Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

O adeus a Eloi Carlone

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Familiares, amigos e admiradores se despedem e
fazem homenagem ao dono da Estância Alto da Serra


Vanessa Soares

23/02/2016 | 07:00


 Alegria. Foi este o principal legado que o empresário Eloi Carlone – cuja morte foi decretada ontem, aos 68 anos, em decorrência de infecção hospitalar – deixou de acordo com amigos e parentes que estiveram no velório e sepultamento, realizados no Cemitério da Vila Euclides, em São Bernardo. Nascido na cidade, o fundador da Estância Alto da Serra lutava há quatro meses contra uma amiloidose, doença rara no sangue, que afeta oito a cada 1 milhão de pessoas. O empresário deixa mulher, filhos e netos.

“Eloi se tornou hoje símbolo de festa. Com ele, qualquer motivo era razão para comemoração”, declarou Roberto Figueiredo, amigo de Carlone há 48 anos. O irmão Névio se pronunciou em nome da família. “Ele deixa alegria, festa e emoção.” O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), também falou sobre Eloi. “A cultura da cidade perde um dos seus grandes nomes e eu perco um grande amigo. Deixo meu abraço e carinho a mulher e filhos neste momento de tristeza”, declarou. Além dele, Carlos Grana (PT), prefeito de Santo André, Donisete Braga (PT), chefe do Executivo de Mauá, e o deputado estadual Orlando Morando (PSDB), todos amigos de Carlone, prestaram condolências.

A despedida foi marcada por grande emoção. A pedido do próprio Carlone, o grupo Lumen Serenatas declamou o poema e cantou Cabocla Tereza, de Tonico e Tinoco, uma de suas preferidas. Além dessas, diversas canções foram entoadas por todos os presentes. Muitos prestaram homenagem ao empresário usando chapéu, além de roupas e bandeiras com a logomarca da Estância. Antes de ser enterrado, Eloi Carlone foi aplaudido por diversas vezes.

A ESTÂNCIA
O empresário – que também foi lembrado durante todo o dia de ontem nas redes sociais, inclusive por artistas (leia frases abaixo) – foi grande visionário. Ao lado do irmão Névio transformou o refúgio da família Carlone em Estância Alto da Serra, maior e mais conceituada casa de shows da região, com 950 mil m2.

Fundada em 1999, a Estância já recebeu grandes nomes de destaque no cenário musical nacional. Eloi, inclusive, virou amigo pessoal de muitos dos artistas que passaram por lá. Daniel, Edson e Hudson, Zezé Di Camargo e Luciano, Luan Santana, Bruno e Marrone, Fernando e Sorocaba, entre outros, enviaram mensagens de apoio à família.

Durante a última entrevista concedida ao Diário, em outubro, Carlone relembrou que um dos primeiros shows realizados por lá foi da dupla Milionário e José Rico. Já o recorde de público foi registrado na apresentação de Henrique e Juliano, em dezembro, mas até então a marca pertencia ao Natiruts, que trouxe 18 mil pessoas ao local. Além da casa de shows, Carlone dedicou 12 anos de sua vida no comando do programa sertanejo No Alto da Serra, gravado dentro do complexo. A produção diária é transmitida pelo canal Terraviva e pelo Canal Rural.

‘Ele viveu a música sertaneja intensamente e deixou trajetória linda de sucesso e paixão.’ Chitãozinho & Xororó

‘Eloi escreveu importante capítulo no mundo artístico. Com certeza, jamais será esquecido.’ Jorge & Mateus

‘Ele fez história e muita gente se emocionar ao levar grandes nomes sertanejos para seu espaço.’ Fernando e Sorocaba



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O adeus a Eloi Carlone

Familiares, amigos e admiradores se despedem e
fazem homenagem ao dono da Estância Alto da Serra

Vanessa Soares

23/02/2016 | 07:00


 Alegria. Foi este o principal legado que o empresário Eloi Carlone – cuja morte foi decretada ontem, aos 68 anos, em decorrência de infecção hospitalar – deixou de acordo com amigos e parentes que estiveram no velório e sepultamento, realizados no Cemitério da Vila Euclides, em São Bernardo. Nascido na cidade, o fundador da Estância Alto da Serra lutava há quatro meses contra uma amiloidose, doença rara no sangue, que afeta oito a cada 1 milhão de pessoas. O empresário deixa mulher, filhos e netos.

“Eloi se tornou hoje símbolo de festa. Com ele, qualquer motivo era razão para comemoração”, declarou Roberto Figueiredo, amigo de Carlone há 48 anos. O irmão Névio se pronunciou em nome da família. “Ele deixa alegria, festa e emoção.” O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), também falou sobre Eloi. “A cultura da cidade perde um dos seus grandes nomes e eu perco um grande amigo. Deixo meu abraço e carinho a mulher e filhos neste momento de tristeza”, declarou. Além dele, Carlos Grana (PT), prefeito de Santo André, Donisete Braga (PT), chefe do Executivo de Mauá, e o deputado estadual Orlando Morando (PSDB), todos amigos de Carlone, prestaram condolências.

A despedida foi marcada por grande emoção. A pedido do próprio Carlone, o grupo Lumen Serenatas declamou o poema e cantou Cabocla Tereza, de Tonico e Tinoco, uma de suas preferidas. Além dessas, diversas canções foram entoadas por todos os presentes. Muitos prestaram homenagem ao empresário usando chapéu, além de roupas e bandeiras com a logomarca da Estância. Antes de ser enterrado, Eloi Carlone foi aplaudido por diversas vezes.

A ESTÂNCIA
O empresário – que também foi lembrado durante todo o dia de ontem nas redes sociais, inclusive por artistas (leia frases abaixo) – foi grande visionário. Ao lado do irmão Névio transformou o refúgio da família Carlone em Estância Alto da Serra, maior e mais conceituada casa de shows da região, com 950 mil m2.

Fundada em 1999, a Estância já recebeu grandes nomes de destaque no cenário musical nacional. Eloi, inclusive, virou amigo pessoal de muitos dos artistas que passaram por lá. Daniel, Edson e Hudson, Zezé Di Camargo e Luciano, Luan Santana, Bruno e Marrone, Fernando e Sorocaba, entre outros, enviaram mensagens de apoio à família.

Durante a última entrevista concedida ao Diário, em outubro, Carlone relembrou que um dos primeiros shows realizados por lá foi da dupla Milionário e José Rico. Já o recorde de público foi registrado na apresentação de Henrique e Juliano, em dezembro, mas até então a marca pertencia ao Natiruts, que trouxe 18 mil pessoas ao local. Além da casa de shows, Carlone dedicou 12 anos de sua vida no comando do programa sertanejo No Alto da Serra, gravado dentro do complexo. A produção diária é transmitida pelo canal Terraviva e pelo Canal Rural.

‘Ele viveu a música sertaneja intensamente e deixou trajetória linda de sucesso e paixão.’ Chitãozinho & Xororó

‘Eloi escreveu importante capítulo no mundo artístico. Com certeza, jamais será esquecido.’ Jorge & Mateus

‘Ele fez história e muita gente se emocionar ao levar grandes nomes sertanejos para seu espaço.’ Fernando e Sorocaba

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;