Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mais um taxista morto é reconhecido


Giba Bergamim Jr.
Do Diário do Grande ABC
Com AE

03/09/2004 | 14:30


O taxista Daniel de Souza Lima, 19 anos, é a quarta vítima reconhecida do suposto serial killer (assassino em série) Anestor Bezerra de Lima, 30 anos. O ex-motorista de Diadema é acusado de matar seis taxistas de Minas Gerais entre 23 de julho e 24 de agosto passado. Todos os quatro corpos já identificados foram encontrados em São Bernardo. Até esta quinta, Anestor, que é tratado pela polícia de São Paulo como um psicopata e está com prisão decretada, continuava foragido. “É muito provável que ele volte a agir, talvez não em Minas, onde todos já estão alertas, mas em São Paulo”, afirmou o delegado Marcos Carneiro Lima, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelas investigações.

Anestor foi demitido da cooperativa em que trabalhava porque um laudo psicológico o considerou uma pessoa com desestruturação psíquica, com comportamento marcado pela hostilidade e por idéias de grandeza. A ousadia é uma de suas marcas. No domingo, o suspeito telefonou para os policiais do DHPP e tentou corrompê-los a fim de que seu nome não fosse fornecida à polícia mineira.

O corpo do taxista Lima, que emprestou uma van Sprinter de um amigo para levar Anestor para São Paulo, foi reconhecido nesta quinta por um irmão, no IML de São Bernardo. Lima foi contratado pelo ex-motorista em 24 de agosto passado, em Pouso Alegre. Seu corpo foi localizado no dia seguinte na estrada José Moura, no bairro Batistini, em São Bernardo. Mas ficou sem identificação até que veio à tona a série de crimes contra taxistas. Ele levou dois tiros, na testa e na nuca. O assassino usa uma pistola calibre 7,65 milímetros, segundo a polícia.

Assim como Lima, todos os taxistas desaparecidos trabalhavam em cidades no norte e leste de Minas Gerais e na capital, Belo Horizonte, e foram contratados por Anestor - que usava nomes e profissões falsos - para que o levassem a São Paulo. Em cinco casos, testemunhas reconheceram Anestor como a pessoa que solicitou os serviços dos taxistas. Nenhum carro foi achado.

Na quarta, familiares do taxista Edmárcio Martins, 22 anos, reconheceram as fotos do corpo do rapaz, que desapareceu da cidade de Porteirinha, em 23 de julho. Ele seria a primeira vítima do ex-motorista. O reconhecimento ainda não foi oficializado porque o IML aguarda a chegada de outros parentes do taxista.

Os outros dois corpos de taxistas reconhecidos são de Hélio Lord, 53 anos, morador de Lassance, e José Wanderlei de Souza, 39 anos, de Inhapim. Souza foi achado morto na estrada do Curucutu, no Riacho Grande, com tiros na cabeça, em 6 de agosto, um dia após sair da cidade levando Anestor.

O corpo de Lord, que deixou Lassance no dia 9 e foi achado achado com tiros na cabeça na estrada do Capivari no dia 10. A delegada de homicídios de São Bernardo, Kátia Regina Cristofaro, disse que há outros corpos achados na região do Riacho Grande que podem ser dos outros dois taxistas desaparecidos. São eles: Flávio Augusto de Souza, 29 anos, de Belo Horizonte, e Wilian Xavier de Carvalho, de João Pinheiro. Eles sumiram respectivamente em 12 e 19 de agosto.

Para ajudá-los nas buscas, os investigadores dispõem de um vídeo em que Anestor aparece num churrasco na cidade de João Pinheiro (MG), pouco antes de contratar, no dia 19 de agosto, o taxista Willian, de 19 anos, que continua desaparecido. “Percorremos toda a região por onde esse marginal passou com meu irmão. Sabemos que é difícil, mas entramos nos matagais, perguntamos nos postos de gasolinas e nos hotéis”, contou Wesley Júnior de Souza Carvalho, irmão de Willian.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;