Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Sindicato negocia PLR com Mercedes

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Entidade realiza assembleia hoje às 5h;
empresa quer mudar forma de cálculo do abono


Pedro Souza
do Diário do Grande ABC

20/05/2014 | 07:07


Após quase cinco horas de negociações, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a Mercedes-Benz não chegaram a acordo sobre a PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Hoje, a entidade informará aos trabalhadores do primeiro turno sobre a inconclusão das negociações, por volta das 5h.

Conforme a montadora, as discussões com o sindicato continuam hoje. A previsão é que a reunião ocorra entre 10h e 17h, destacou a empresa. O conflito, que contou com a paralisação de cerca de 3.000 funcionários na sexta-feira, foi desencadeado, segundo o sindicato, porque a Mercedes quer alterar o cálculo da PLR, que atualmente considera unidade produzida. Porém, na avaliação da entidade, tal mudança será prejudicial aos trabalhadores.

O diretor de comunicação do sindicato, Valter Sanches, que participou das negociações ontem, deixou claro que não houve acordo. Mas confirmou assembleia, hoje, às 5h, para informar os trabalhadores e, se necessário, tomar alguma atitude com o aval dos empregados da montadora.

SUSPENSÃO

Teve início ontem o lay-off (suspensão temporária de contrato de trabalho) de 790 metalúrgicos da Volkswagen. A previsão é que eles fiquem em casa por no mínimo dois meses e no máximo cinco meses.

Os trabalhadores têm a garantia de que retornarão ao emprego, após o período, porque há previsão em acordo coletivo do sindicato e empresa de manutenção dos postos até março de 2017.

Conforme prevê a legislação, os suspensos farão curso de qualificação profissional. O FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), do governo federal, garantirá R$ 1.306,63 do pagamento mensal aos metalúrgicos. A montadora será responsável pelo complemento, até que atinja o salário líquido.
Segundo a Volks, o lay-off foi uma das maneiras que a montadora encontrou para superar o período atual do mercado, que teve recuo nas comercializações de veículos.

Conforme último levantamento da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), entre janeiro e abril, foi vendido 1,106 milhão de unidades, 5% a menos do que em igual período do ano anterior. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sindicato negocia PLR com Mercedes

Entidade realiza assembleia hoje às 5h;
empresa quer mudar forma de cálculo do abono

Pedro Souza
do Diário do Grande ABC

20/05/2014 | 07:07


Após quase cinco horas de negociações, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a Mercedes-Benz não chegaram a acordo sobre a PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Hoje, a entidade informará aos trabalhadores do primeiro turno sobre a inconclusão das negociações, por volta das 5h.

Conforme a montadora, as discussões com o sindicato continuam hoje. A previsão é que a reunião ocorra entre 10h e 17h, destacou a empresa. O conflito, que contou com a paralisação de cerca de 3.000 funcionários na sexta-feira, foi desencadeado, segundo o sindicato, porque a Mercedes quer alterar o cálculo da PLR, que atualmente considera unidade produzida. Porém, na avaliação da entidade, tal mudança será prejudicial aos trabalhadores.

O diretor de comunicação do sindicato, Valter Sanches, que participou das negociações ontem, deixou claro que não houve acordo. Mas confirmou assembleia, hoje, às 5h, para informar os trabalhadores e, se necessário, tomar alguma atitude com o aval dos empregados da montadora.

SUSPENSÃO

Teve início ontem o lay-off (suspensão temporária de contrato de trabalho) de 790 metalúrgicos da Volkswagen. A previsão é que eles fiquem em casa por no mínimo dois meses e no máximo cinco meses.

Os trabalhadores têm a garantia de que retornarão ao emprego, após o período, porque há previsão em acordo coletivo do sindicato e empresa de manutenção dos postos até março de 2017.

Conforme prevê a legislação, os suspensos farão curso de qualificação profissional. O FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), do governo federal, garantirá R$ 1.306,63 do pagamento mensal aos metalúrgicos. A montadora será responsável pelo complemento, até que atinja o salário líquido.
Segundo a Volks, o lay-off foi uma das maneiras que a montadora encontrou para superar o período atual do mercado, que teve recuo nas comercializações de veículos.

Conforme último levantamento da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), entre janeiro e abril, foi vendido 1,106 milhão de unidades, 5% a menos do que em igual período do ano anterior. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;