Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Disputa por novas contratações na Volks chega à delegacia


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

29/06/2005 | 08:09


A guerra de nervos entre a Volkswagen e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC por conta dos protestos por novas contratações na empresa pode se transformar em caso de polícia. Os sindicalistas fizeram um BO (Boletim de Ocorrência) no 3ªDistrito Policial de São Bernardo contra a Volkswagen por suposto desrespeito à atuação de integrantes da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

Os cipeiros interditaram na última sexta-feira duas prensas da linha de montagem ao constatarem que colocavam em risco a segurança dos trabalhadores da área de estamparia. No entanto, no mesmo dia, por determinação de gerentes e supervisores do setor, as máquinas foram desinterditadas e voltaram à operação.

Nesta terça-feira, representantes do sindicato entraram com uma representação criminal, para a abertura de inquérito policial, em que acusam os representantes da empresa pela violação do Código Penal, por supostamente exporem ao risco de morte ou de saúde os trabalhadores da companhia.

A Volkswagen contestou a acusação. Informou que a liberação das máquinas ocorreu após verificação de técnicos de segurança no trabalho. Como forma de reforçar a preocupação com a integridade dos trabalhadores, a empresa revelou que registrou em 2004 o menor índice de acidentes de trabalho de toda a história da companhia no país.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijóo, diz que a postura da empresa tem sido o de desrespeito ao direito de greve e que a atitude em relação ao pessoal da Cipa demonstra interesse "em radicalizar".

Os funcionários reivindicam, para a fábrica, a contratação de pelo menos 350 pessoas para a produção do Fox direcionado a exportação para a Europa. Representantes de trabalhadores e a montadora realizam na quinta-feira audiência de conciliação no Ministério Público do Trabalho. As paralisações na unidade estão suspensas até sexta-feira, quando haverá assembléia dos funcionários.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Disputa por novas contratações na Volks chega à delegacia

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

29/06/2005 | 08:09


A guerra de nervos entre a Volkswagen e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC por conta dos protestos por novas contratações na empresa pode se transformar em caso de polícia. Os sindicalistas fizeram um BO (Boletim de Ocorrência) no 3ªDistrito Policial de São Bernardo contra a Volkswagen por suposto desrespeito à atuação de integrantes da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

Os cipeiros interditaram na última sexta-feira duas prensas da linha de montagem ao constatarem que colocavam em risco a segurança dos trabalhadores da área de estamparia. No entanto, no mesmo dia, por determinação de gerentes e supervisores do setor, as máquinas foram desinterditadas e voltaram à operação.

Nesta terça-feira, representantes do sindicato entraram com uma representação criminal, para a abertura de inquérito policial, em que acusam os representantes da empresa pela violação do Código Penal, por supostamente exporem ao risco de morte ou de saúde os trabalhadores da companhia.

A Volkswagen contestou a acusação. Informou que a liberação das máquinas ocorreu após verificação de técnicos de segurança no trabalho. Como forma de reforçar a preocupação com a integridade dos trabalhadores, a empresa revelou que registrou em 2004 o menor índice de acidentes de trabalho de toda a história da companhia no país.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijóo, diz que a postura da empresa tem sido o de desrespeito ao direito de greve e que a atitude em relação ao pessoal da Cipa demonstra interesse "em radicalizar".

Os funcionários reivindicam, para a fábrica, a contratação de pelo menos 350 pessoas para a produção do Fox direcionado a exportação para a Europa. Representantes de trabalhadores e a montadora realizam na quinta-feira audiência de conciliação no Ministério Público do Trabalho. As paralisações na unidade estão suspensas até sexta-feira, quando haverá assembléia dos funcionários.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;