Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

CBF decide reduzir o quadro de árbitros e adota observadores


Das Agências

29/10/2005 | 09:04


Depois do escândalo da Máfia do Apito, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, anunciou sexta-feira duas medidas que prometem melhorar o nível da arbitragem no Brasil para a próxima temporada.

A primeira decisão é reduzir o Quadro de Árbitros da entidade dos atuais 650 para cerca de 400 integrantes. A justificativa é que a redução, para o número adequado às reais necessidades, vai permitir um melhor investimento na formação, capacitação e reciclagem dos árbitros.

A outra providência adotada pelo presidente Ricardo Teixeira, através da Comissão Nacional de Arbitragem, diz respeito à criação de um Quadro de Observadores para ser implantado na próxima temporada. Os observadores serão indicados pelas Federações, com o número correspondente ao número de clubes de cada Estado, segundo o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Edson Rezende de Oliveira. A previsão é que este quadro seja composto por aproximadamente 80 pessoas.

Os observadores serão reunidos em breve pela Comissão Nacional de Arbitragem para receber as orientações sobre suas atribuições. Caberá a eles, principalmente, assistir aos jogos e elaborar uma avaliação técnica sobre a atuação dos árbitros e assistentes, o que será enviado à CBF em forma de relatórios. "Os observadores vão fazer ainda um acompanhamento mais amplo, até mesmo sobre a vida social dos árbitros, o que aumentará a chance de o critério para a escolha dos mesmos ser o mais correto possível", disse Rezende.

O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Edson Rezende, destacou a importância técnica da diminuição no número de árbitros. "O presidente Ricardo Teixeira já comunicou a todos os presidentes de Federações, que terão de fazer a redução para 2006. A medida é necessária, pois está comprovado que 650 é um número exagerado, o que não só impedia a viabilização de cursos para capacitação, como também o rodízio necessário para um melhor aprimoramento técnico", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

CBF decide reduzir o quadro de árbitros e adota observadores

Das Agências

29/10/2005 | 09:04


Depois do escândalo da Máfia do Apito, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, anunciou sexta-feira duas medidas que prometem melhorar o nível da arbitragem no Brasil para a próxima temporada.

A primeira decisão é reduzir o Quadro de Árbitros da entidade dos atuais 650 para cerca de 400 integrantes. A justificativa é que a redução, para o número adequado às reais necessidades, vai permitir um melhor investimento na formação, capacitação e reciclagem dos árbitros.

A outra providência adotada pelo presidente Ricardo Teixeira, através da Comissão Nacional de Arbitragem, diz respeito à criação de um Quadro de Observadores para ser implantado na próxima temporada. Os observadores serão indicados pelas Federações, com o número correspondente ao número de clubes de cada Estado, segundo o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Edson Rezende de Oliveira. A previsão é que este quadro seja composto por aproximadamente 80 pessoas.

Os observadores serão reunidos em breve pela Comissão Nacional de Arbitragem para receber as orientações sobre suas atribuições. Caberá a eles, principalmente, assistir aos jogos e elaborar uma avaliação técnica sobre a atuação dos árbitros e assistentes, o que será enviado à CBF em forma de relatórios. "Os observadores vão fazer ainda um acompanhamento mais amplo, até mesmo sobre a vida social dos árbitros, o que aumentará a chance de o critério para a escolha dos mesmos ser o mais correto possível", disse Rezende.

O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Edson Rezende, destacou a importância técnica da diminuição no número de árbitros. "O presidente Ricardo Teixeira já comunicou a todos os presidentes de Federações, que terão de fazer a redução para 2006. A medida é necessária, pois está comprovado que 650 é um número exagerado, o que não só impedia a viabilização de cursos para capacitação, como também o rodízio necessário para um melhor aprimoramento técnico", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;