Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Sobe para 28 o número de mortos em desabamento de edifício no Camboja

Reprodução YouTube Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


24/06/2019 | 07:27


Os socorristas continuam a busca por vítimas entre os escombros de um prédio em construção que desabou no sábado, 22, na zona costeira do Camboja. Ao menos 28 trabalhadores que dormiam no local morreram.

O edifício de sete andares estava sendo construído na localidade turística de Sihanoukville. Os trabalhadores dormiam todas as noites no segundo andar da obra.

A cidade possui muitos projetos financiados pelo governo chinês. A embaixada chinesa no país manifestou condolências e informou que estava mobilizando assistência para o resgate.

As autoridades da província de Preah Sihanouk informaram que os socorristas que faziam as buscas entre os escombros encontraram cinco cadáveres durante a noite e mais quatro durante esta segunda-feira, 24, o que elevou o número de mortos para 28. Cerca de 75% dos escombros já haviam sido removidos do local até a manhã desta segunda.

Pelo menos 26 trabalhadores ficaram feridos no desabamento. Um deles, Nhor Chandeun, disse que ele e sua esposa dormiam quando escutaram um forte ruído, sentiram uma vibração e, em seguida, o prédio começou a desabar. O trabalhador e a esposa ficaram presos por 12 horas antes de serem resgatados.

Chineses investigados

Quatro chineses envolvidos com a obra foram detidos enquanto são investigadas as causas do desabamento, disseram autoridades da província local. A embaixada da China emitiu declaração em que "apoia uma investigação cabal do acidente e a adoção das medidas necessárias por parte das autoridades cambojanas em acordo com a lei".

A sede diplomática disse lamentar o acidente. Alega, ainda, ter conversado com empresas chinesas no país para que mobilizassem pessoal e maquinário para ajudar na retirada dos escombros. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sobe para 28 o número de mortos em desabamento de edifício no Camboja


24/06/2019 | 07:27


Os socorristas continuam a busca por vítimas entre os escombros de um prédio em construção que desabou no sábado, 22, na zona costeira do Camboja. Ao menos 28 trabalhadores que dormiam no local morreram.

O edifício de sete andares estava sendo construído na localidade turística de Sihanoukville. Os trabalhadores dormiam todas as noites no segundo andar da obra.

A cidade possui muitos projetos financiados pelo governo chinês. A embaixada chinesa no país manifestou condolências e informou que estava mobilizando assistência para o resgate.

As autoridades da província de Preah Sihanouk informaram que os socorristas que faziam as buscas entre os escombros encontraram cinco cadáveres durante a noite e mais quatro durante esta segunda-feira, 24, o que elevou o número de mortos para 28. Cerca de 75% dos escombros já haviam sido removidos do local até a manhã desta segunda.

Pelo menos 26 trabalhadores ficaram feridos no desabamento. Um deles, Nhor Chandeun, disse que ele e sua esposa dormiam quando escutaram um forte ruído, sentiram uma vibração e, em seguida, o prédio começou a desabar. O trabalhador e a esposa ficaram presos por 12 horas antes de serem resgatados.

Chineses investigados

Quatro chineses envolvidos com a obra foram detidos enquanto são investigadas as causas do desabamento, disseram autoridades da província local. A embaixada da China emitiu declaração em que "apoia uma investigação cabal do acidente e a adoção das medidas necessárias por parte das autoridades cambojanas em acordo com a lei".

A sede diplomática disse lamentar o acidente. Alega, ainda, ter conversado com empresas chinesas no país para que mobilizassem pessoal e maquinário para ajudar na retirada dos escombros. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;