Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

UBS Itapark continua em galeria comercial

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dono do imóvel diz que Prefeitura deve aluguel; construção do prédio está 4 anos atrasada


Bia Moço

13/07/2018 | 07:00


Com aluguel que estaria em atraso há quatro meses, a UBS (Unidade Básica de Saúde) Itapark, em Mauá – funciona em salas de uma galeria comercial –, espera o novo prédio ser inaugurado desde 2014. Com quatro anos de atraso na obra, o atendimento em espaço improvisado incomoda funcionários e usuários.

O proprietário do local, Roberto da Silveira, diz que a administração pública deve quatro meses de aluguel. A equipe do Diário recebeu a informação de que o valor em débito é de aproximadamente R$ 14 mil.

Na galeria localizada na Avenida Itapark, o atendimento é apontado como subumano pelos usuários. Além do mau cheiro, o espaço é escuro e não passa sensação de acolhimento. 

Para a vendedora Renata Delgado, 38 anos, que acompanhava a mãe em consulta, ontem, “já passou da hora” de entregarem o novo espaço. “Os profissionais são bons, o atendimento dos médicos e enfermeiros é o melhor que podem dar. O problema é a falta de estrutura. Uma unidade de Saúde funcionando em galpão é um absurdo”, reclama.

Funcionários ouvidos pela equipe de reportagem relatam que a situação é “complicada demais”, e que atualmente trabalham “com o que não têm”, quando se referem à falta de estrutura, com consultórios instalados em boxes comerciais.

HISTÓRICO

Após interromper as obras da nova UBS por aproximadamente um ano, o então prefeito municipal, Donisete Braga (PT), retomou em julho de 2016 os trabalhos no equipamento. Logo que assumiu a Prefeitura, em janeiro de 2017, o prefeito afastado Atila Jacomussi (PSB) relutou a dar continuidade, mas prosseguiu. A dúvida que agora atormenta funcionários é se a prefeita interina Alaíde Damo (MDB) vai levar a construção adiante.

A obra, que começou com a empresa Sotenppi Engenharia, em agosto de 2014, tinha como prazo de entrega o primeiro trimestre de 2015. No entanto, após receber cerca de R$ 614 mil, a empresa e a Prefeitura romperam o contrato, o que paralisou a construção da unidade. Para conclusão da obra, a administração municipal fechou, em julho de 2016, novo contrato com a empresa CEP Construções e Projetos Ltda, no valor de R$ 1,1 milhão. Até agora foram pagos R$ 937 mil.

Em visita à construção, na tarde de ontem, a equipe do Diário verificou que havia dois operários trabalhando no acabamento da obra. O prédio encontra-se, desde 2016, na mesma fase de pintura e finalização. Conforme o projeto original, a nova unidade será equipada com sala de acolhimento, dez consultórios e brinquedoteca, além da implantação do atendimento em saúde bucal.

De acordo com o conselheiro municipal de Saúde Hamilton Petô, a secretária adjunta de Saúde, Ana Emília, nomeada nesta semana, disse que a unidade será entregue no máximo no dia 15 de agosto.

A Prefeitura de Mauá informou, em nota, que a locação do imóvel onde a UBS funciona “foi realizada pela Cosam (Complexo de Saúde de Mauá) – entidade jurídica criada junto à FUABC (Faculdade de Medicina do ABC) para administração da rede municipal de Saúde”, e que a “administração está em diálogo com a instituição, apurando todos os débitos oriundos do contrato e trabalhando para saldá-los.”

A Prefeitura disse ainda que a obra será concluída em breve, porém não deu prazo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

UBS Itapark continua em galeria comercial

Dono do imóvel diz que Prefeitura deve aluguel; construção do prédio está 4 anos atrasada

Bia Moço

13/07/2018 | 07:00


Com aluguel que estaria em atraso há quatro meses, a UBS (Unidade Básica de Saúde) Itapark, em Mauá – funciona em salas de uma galeria comercial –, espera o novo prédio ser inaugurado desde 2014. Com quatro anos de atraso na obra, o atendimento em espaço improvisado incomoda funcionários e usuários.

O proprietário do local, Roberto da Silveira, diz que a administração pública deve quatro meses de aluguel. A equipe do Diário recebeu a informação de que o valor em débito é de aproximadamente R$ 14 mil.

Na galeria localizada na Avenida Itapark, o atendimento é apontado como subumano pelos usuários. Além do mau cheiro, o espaço é escuro e não passa sensação de acolhimento. 

Para a vendedora Renata Delgado, 38 anos, que acompanhava a mãe em consulta, ontem, “já passou da hora” de entregarem o novo espaço. “Os profissionais são bons, o atendimento dos médicos e enfermeiros é o melhor que podem dar. O problema é a falta de estrutura. Uma unidade de Saúde funcionando em galpão é um absurdo”, reclama.

Funcionários ouvidos pela equipe de reportagem relatam que a situação é “complicada demais”, e que atualmente trabalham “com o que não têm”, quando se referem à falta de estrutura, com consultórios instalados em boxes comerciais.

HISTÓRICO

Após interromper as obras da nova UBS por aproximadamente um ano, o então prefeito municipal, Donisete Braga (PT), retomou em julho de 2016 os trabalhos no equipamento. Logo que assumiu a Prefeitura, em janeiro de 2017, o prefeito afastado Atila Jacomussi (PSB) relutou a dar continuidade, mas prosseguiu. A dúvida que agora atormenta funcionários é se a prefeita interina Alaíde Damo (MDB) vai levar a construção adiante.

A obra, que começou com a empresa Sotenppi Engenharia, em agosto de 2014, tinha como prazo de entrega o primeiro trimestre de 2015. No entanto, após receber cerca de R$ 614 mil, a empresa e a Prefeitura romperam o contrato, o que paralisou a construção da unidade. Para conclusão da obra, a administração municipal fechou, em julho de 2016, novo contrato com a empresa CEP Construções e Projetos Ltda, no valor de R$ 1,1 milhão. Até agora foram pagos R$ 937 mil.

Em visita à construção, na tarde de ontem, a equipe do Diário verificou que havia dois operários trabalhando no acabamento da obra. O prédio encontra-se, desde 2016, na mesma fase de pintura e finalização. Conforme o projeto original, a nova unidade será equipada com sala de acolhimento, dez consultórios e brinquedoteca, além da implantação do atendimento em saúde bucal.

De acordo com o conselheiro municipal de Saúde Hamilton Petô, a secretária adjunta de Saúde, Ana Emília, nomeada nesta semana, disse que a unidade será entregue no máximo no dia 15 de agosto.

A Prefeitura de Mauá informou, em nota, que a locação do imóvel onde a UBS funciona “foi realizada pela Cosam (Complexo de Saúde de Mauá) – entidade jurídica criada junto à FUABC (Faculdade de Medicina do ABC) para administração da rede municipal de Saúde”, e que a “administração está em diálogo com a instituição, apurando todos os débitos oriundos do contrato e trabalhando para saldá-los.”

A Prefeitura disse ainda que a obra será concluída em breve, porém não deu prazo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;