Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ladrões usam ônibus para comprar droga


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

20/11/2007 | 07:10


Quatro ladrões fizeram um assalto inusitado anteontem à noite em Diadema. Eles renderam um motorista de ônibus da Viação Imigrantes e o obrigaram a rodar pela cidade para comprar bebidas alcóolicas e drogas.

A vítima ficou três horas em poder dos assaltantes e ainda foi obrigada a ingerir álcool. Ninguém foi preso.

O martírio do motorista L. P.M., 41 anos, começou às 21h40, quando circulava com o ônibus perto da favela do Morro do Samba. Ele dirigia a linha 13, que vai do Terminal Piraporinha até o Centro, passando por diversos bairros do município.

Os ladrões aproveitaram que no coletivo não havia nenhum outro passageiro para atacar. Um dos assaltantes sacou uma arma e anunciou o roubo. Os quatro haviam subido no ônibus no terminal.

Com a arma sob a mira em sua cabeça, M. foi forçado a dirigir para os assaltantes.

“Eles mandaram meu marido dirigir para qualquer lugar que dissessem, senão iriam matar”, contou a cozinheira M.S.M., 42 anos. Ela e o marido moram no Jardim Padre Anchieta, em Diadema.

Os assaltantes fizeram um verdadeiro tour pela cidade. Primeiro foram até o ponto final da Vila Paulina, depois se dirigiram até o bairro Eldorado, perto do cemitério Jardim Vale da Paz, passaram pelo bairro Pedreira e desceram na região central.

Em cada ponto de parada, os ladrões compravam cocaína, maconha ou bebidas alcóolicas.

“Eles ordenaram meu marido a tomar diversos goles de cachaça. Foi uma coisa humilhante. Hoje (ontem), no começo da tarde, ele começou a passar mal por causa do que ingeriu. Ainda bateram no seu braço direito”, afirmou a cozinheira.

Antes de fugir, três horas depois, os ladrões roubaram R$ 650 entre dinheiro que estava no caixa, vale-transporte e dinheiro que havia na carteira do motorista.

“Vou pedir para meu marido nunca mais trocar de linha com outro motorista a pedido da empresa, como aconteceu ontem (anteontem).

Há uns dois anos, quando foi roubado a primeira vez, ele também dirigiu

em uma linha que não conhecia”, disse a mulher do motorista.

A reportagem entrou em contato com a Viação Imigrantes para que desse declarações sobre o caso, mas o pedido não foi respondido.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;