Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Grana descarta executar mudança na gestão da Craisa

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Petista de Sto.André diz que alteração no sistema ou concessão não está em seu plano de governo


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

10/05/2014 | 07:00


O prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), rechaçou mudar o caráter de administração da Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), embora os vereadores apontem que o relatório da CPI da autarquia, instaurada na Câmara, vai sugerir interferência do Executivo devido aos sucessivos deficits financeiros. Segundo o petista, não existe qualquer interesse do Paço no momento em fazer a alteração. “Não consta no meu programa de governo nenhuma indicação neste sentido. Meu compromisso é cumprir o plano (prometido na campanha eleitoral).”

Parlamentares, inclusive da base governista, como o presidente da comissão, José Montoro Filho, o Montorinho (PT), entraram no coro de que o sistema da Craisa está falido e arcaico, provocando rombo nos cofres públicos. Grana afirmou que o Legislativo tem o direito de sugerir possíveis alternativas, só que, “por ora”, a única pretensão “é melhorar a eficiência de gestão”. “Queremos diminuir o custo (da operação). Essa é a nossa determinação ao Hélio (Tomaz Rocha, PT, superintendente da autarquia desde o ano passado). Fora isso não há absolutamente nada.”

A dívida da Craisa hoje gira em torno de R$ 20 milhões, com débitos trabalhistas e de impostos. Por outro lado, existe outro passivo judicial, da ordem de R$ 13,8 milhões, deixado da administração do prefeito Celso Daniel (PT), morto em 2002. Se somado ao consolidado, o montante chega a R$ 34 milhões. Por isso, os vereadores insistem que a modificação se faz necessária na autarquia. Montorinho disse que o governo precisa adotar providências, revisando o modelo de gestão. O dirigente da CPI sugere até estudo sobre concessão do espaço.

Para Grana, o debate “pode ser aberto” na cidade pelo Legislativo, porém eximiu-se de colocar a equipe da Prefeitura para encabeçar a discussão. Isso não significa também que a proposta será futuramente acatada pelo governo petista. “Caso a Câmara aponte caminhos viáveis tem que ser bem analisado (no Paço). Tudo é possível de ser estudado, levatado números. Desconheço o teor da sugestão (dos vereadores). Até porque (o relatório da CPI) não está pronto”, justificou o prefeito. A comissão deve finalizar a apuração e concluir o documento no fim de junho.

Recentemente, a Prefeitura fez remanejamento de R$ 5 milhões para tentar diminuir o buraco financeiro da autarquia, que tem Orçamento estimado em aproximadamente R$ 72 milhões para o exercício vigente. Entre suas atribuições, a Craisa possui o trabalho de abastecer a merenda escolar das redes municipais e estadual, restaurantes de órgãos públicos, sacolões e banco de alimentos. Em contrapartida, na concepção da direção, a sua finalidade é apenas social e não foi criada para obter lucro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;