Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 2 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Separaçao de siamesas australianas se realiza sem problemas


Do Diário do Grande ABC

26/10/2000 | 08:54


A histórica cirurgia de separaçao de duas siamesas ligadas pela cabeça foi realizada ``sem grandes problemas'' e aparentemente foi um sucesso, anunciou esta quinta-feira o neurocirurgiao responsável pela intervençao no hospital infantil de Brisbane (Leste da Austrália), o dr. Scott Campbell.

O médico precisou que, depois da operaçao, realizada quarta-feira e que durou doze horas, as duas meninas se encontravam em estado crítico mas estável na unidade de tratamento intensivo do hospital.

As siamesas, nascidas prematuramente (sete semanas antes da data normal) no dia 3 de abril passado, estavam unidas por um pequeno osso e compartilhavam uma parte importante do sistema vascular, mas tinham cada uma um cérebro. Esse tipo de anomalia é sumamente raro (um caso em cinco milhoes de nascimentos).

Alguns especialistas tinham assinalado que a operaçao apresentava riscos de sequelas cerebrais e inclusive de morte dos bebês, considerando que o setor de uniao se situava perto de vasos de irrigaçao do cérebro.

O dr. Campbell reconheceu que teve dúvidas antes de realizar a operaçao, a primeira que se pratica no mundo para separar siameses unidos dessa maneira.

Mas a operaçao, realizada por uma equipe de 25 pessoas, entre médicos especialistas, enfermeiras e técnicos, se desenvolveu como estava previsto.

``O essencial foi que conseguimos separar as estruturas vasculares sem inconvenientes. Pudemos separar completamente dois conjuntos de vasos sanguíneos sem afetar em absoluto o cérebro'', precisou.

O neurocirurgiao informou que a equipe médica ensaiou primeiro a intervençao com bonecos-modelos antes de operar as duas meninas, de seis meses de idade. Explicou ainda que foram consultados especialistas da Austrália e do estrangeiro para preparar a cirurgia.

As duas meninas permanecerao durante pelo menos duas semanas na unidade de terapia intensiva do hospital, para acompanhar sua evoluçao em caráter permanente.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;