Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA: Pompeo diz que China explora morte de George Floyd com fins políticos



06/06/2020 | 16:45


O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, criticou duramente a China neste sábado, dizendo que o país está explorando a morte de George Floyd com fins políticos. "A exploração insensível da trágica morte de George Floyd pelo Partido Comunista Chinês, para justificar sua negação autoritária da dignidade humana básica, expõe novamente seu verdadeiro caráter", disse Pompeo em declaração divulgada pelo Departamento de Estado.

A mídia estatal chinesa vem dando grande destaque aos protestos contra violência policial que tomaram várias cidades americanas após Floyd, um homem negro, ter sido sufocado por um policial branco em Minneapolis. Ao mesmo tempo, está atacando políticos americanos que apoiaram os protestos em Hong Kong no ano passado. A agência estatal de notícias Xinhua descreveu as cenas dos protestos nos EUA como "a linda paisagem de Pelosi", referindo-se a um comentário feito no ano passado pela presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi. Na ocasião, ela disse que os protestos em Hong Kong eram "uma linda visão".

O secretário afirmou que manifestações pacíficas como as de Hong Kong e as da Praça da Paz Celestial, em 1989, são sufocadas por milícias armadas, enquanto nos EUA as demonstrações, desde que pacíficas, são respeitadas. Além disso, observou que nos EUA a imprensa tem liberdade para cobrir esses eventos.

Em sua declaração, Pompeo disse que Pequim vem demonstrando nos últimos dias seu desprezo pela verdade e pela lei. "Os esforços de propaganda do Partido Comunista Chinês - que busca confundir as ações dos EUA após a morte de George Floyd com sua contínua negação dos direitos humanos básicos e da liberdade - devem ser vistos como a fraude que são", afirmou o secretário de Estado americano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA: Pompeo diz que China explora morte de George Floyd com fins políticos


06/06/2020 | 16:45


O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, criticou duramente a China neste sábado, dizendo que o país está explorando a morte de George Floyd com fins políticos. "A exploração insensível da trágica morte de George Floyd pelo Partido Comunista Chinês, para justificar sua negação autoritária da dignidade humana básica, expõe novamente seu verdadeiro caráter", disse Pompeo em declaração divulgada pelo Departamento de Estado.

A mídia estatal chinesa vem dando grande destaque aos protestos contra violência policial que tomaram várias cidades americanas após Floyd, um homem negro, ter sido sufocado por um policial branco em Minneapolis. Ao mesmo tempo, está atacando políticos americanos que apoiaram os protestos em Hong Kong no ano passado. A agência estatal de notícias Xinhua descreveu as cenas dos protestos nos EUA como "a linda paisagem de Pelosi", referindo-se a um comentário feito no ano passado pela presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi. Na ocasião, ela disse que os protestos em Hong Kong eram "uma linda visão".

O secretário afirmou que manifestações pacíficas como as de Hong Kong e as da Praça da Paz Celestial, em 1989, são sufocadas por milícias armadas, enquanto nos EUA as demonstrações, desde que pacíficas, são respeitadas. Além disso, observou que nos EUA a imprensa tem liberdade para cobrir esses eventos.

Em sua declaração, Pompeo disse que Pequim vem demonstrando nos últimos dias seu desprezo pela verdade e pela lei. "Os esforços de propaganda do Partido Comunista Chinês - que busca confundir as ações dos EUA após a morte de George Floyd com sua contínua negação dos direitos humanos básicos e da liberdade - devem ser vistos como a fraude que são", afirmou o secretário de Estado americano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;