Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Flip tem início hoje em Paraty e homenageia a escritora Hilda Hilst

Com curadoria de Joselia Aguiar, evento literário segue até domingo


Miriam Gimenes

25/07/2018 | 07:00


 A poeta, ficcionista, cronista e dramaturga Hilda Hilst (1930-2004) era apaixonada por escrever. Pudera: o talento veio no DNA. Nascida em Jaú, era filha de Almeida Prado Hilst, fazendeiro de café, jornalista, poeta e ensaísta. Não à toa é a homenageada da 16ª Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), realizada de hoje até domingo na bela cidade do Rio de Janeiro. A curadoria é de Joselia Aguiar.

A escolha de Hilda como autora homenageada, segundo o diretor-geral do evento, o arquiteto Mauro Munhoz, se deu pelo fato de sua obra – que ela deu início aos 20 anos – extrapolar fronteiras. “Assim como os outros poetas brasileiros, leu Drummond, Bandeira e Cabral, mas também Fernando Pessoa, o francês Saint-John Perse e o alemão Rainer Maria Rilke. O resultado é uma literatura inovadora do ponto de vista da linguagem que exerce, por exemplo, forte influência na cena da dramaturgia brasileira de hoje”, analisa.

A curadora, por sua vez, descreve essa edição como intimista, cheia de poesia e teatro, com um pouco de irreverência e debates sobre criação artística, arte, natureza, literatura e filosofia. E aproveita para traçar um paralelo entre Hilda e Lima Barreto, o autor homenageado do ano passado. “Ambos foram transgressores, cada um à sua maneira e em seu tempo, e se dedicaram à escrita de modo tal que ultrapassaram o limite do que era esperado de cada um: ele como autor negro de baixa renda, ela como mulher livre numa sociedade que não estava acostumada com isso.”

A abertura da festa será feita pela atriz Fernanda Montenegro e a maestrina, compositora e pianista Jocy de Oliveira, pioneira da música de vanguarda eletroacústica e da ópera multimídia. Quem não tiver a oportunidade de ir ao evento – ingressos de algumas mesas ainda estão à venda no ticketsforfun.com.br por R$ 55 – poderá ver esta e outras manifestações do programa principal gratuitamente via streaming pelo canal oficial no YouTube e acompanhar os eventos da festa literária por meio dos canais da Flip nas mídias sociais.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Flip tem início hoje em Paraty e homenageia a escritora Hilda Hilst

Com curadoria de Joselia Aguiar, evento literário segue até domingo

Miriam Gimenes

25/07/2018 | 07:00


 A poeta, ficcionista, cronista e dramaturga Hilda Hilst (1930-2004) era apaixonada por escrever. Pudera: o talento veio no DNA. Nascida em Jaú, era filha de Almeida Prado Hilst, fazendeiro de café, jornalista, poeta e ensaísta. Não à toa é a homenageada da 16ª Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), realizada de hoje até domingo na bela cidade do Rio de Janeiro. A curadoria é de Joselia Aguiar.

A escolha de Hilda como autora homenageada, segundo o diretor-geral do evento, o arquiteto Mauro Munhoz, se deu pelo fato de sua obra – que ela deu início aos 20 anos – extrapolar fronteiras. “Assim como os outros poetas brasileiros, leu Drummond, Bandeira e Cabral, mas também Fernando Pessoa, o francês Saint-John Perse e o alemão Rainer Maria Rilke. O resultado é uma literatura inovadora do ponto de vista da linguagem que exerce, por exemplo, forte influência na cena da dramaturgia brasileira de hoje”, analisa.

A curadora, por sua vez, descreve essa edição como intimista, cheia de poesia e teatro, com um pouco de irreverência e debates sobre criação artística, arte, natureza, literatura e filosofia. E aproveita para traçar um paralelo entre Hilda e Lima Barreto, o autor homenageado do ano passado. “Ambos foram transgressores, cada um à sua maneira e em seu tempo, e se dedicaram à escrita de modo tal que ultrapassaram o limite do que era esperado de cada um: ele como autor negro de baixa renda, ela como mulher livre numa sociedade que não estava acostumada com isso.”

A abertura da festa será feita pela atriz Fernanda Montenegro e a maestrina, compositora e pianista Jocy de Oliveira, pioneira da música de vanguarda eletroacústica e da ópera multimídia. Quem não tiver a oportunidade de ir ao evento – ingressos de algumas mesas ainda estão à venda no ticketsforfun.com.br por R$ 55 – poderá ver esta e outras manifestações do programa principal gratuitamente via streaming pelo canal oficial no YouTube e acompanhar os eventos da festa literária por meio dos canais da Flip nas mídias sociais.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;