Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Mascherano abusa da raça e vira herói da classificação

Claudinei Plaza Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Volante faz desarme essencial no fim da partida e ressalta a valentia da Argentina


Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

10/07/2014 | 07:00


Claudinei Plaza

Se a Argentina tem Messi na frente e Romero atrás, uma das principais armas da equipe está postada entre esses dois atletas. O volante Mascherano, embora seja daqueles jogadores que pouco aparece para a torcida, foi fundamental para que o time de Alejandro Sabella saísse ontem, da Arena Corinthians, com a classificação para a final.

Um de seus desarmes na frente do atacante Robben foi essencial para evitar o gol da Holanda, aos 45 minutos da segunda etapa. Mesmo sendo apontado como um dos heróis da equipe, o volante divide os méritos. “Foi um lance rápido e a única maneira que encontrei de parar a jogada foi no desarme. Estou feliz, bastante satisfeito. Nosso grupo é muito forte, jogamos partida brilhante e em nenhum momento a Holanda teve chance de vencer”, disse.

ROMERO

O camisa um virou santo em seu país. Após a vitória nos pênaltis, as manchetes dos principais jornais argentinos chamavam o arqueiro de ‘San Romero’, ‘Herói’, ‘Brilhante’, entre outros adjetivos. O atleta, por sua vez, destacou a dedicação do grupo e pediu que a comemoração já fosse encerrrada ontem mesmo.

“Desde o primeiro dia, quando dissemos que íamos dar tudo por essa camisa, demos o máximo dentro de campo. Eu digo para aproveitarem o momento, comemorem, porque nós também comemoraremos. Mas amanhã (hoje) começaremos a trabalhar de novo”, disse.

Sobre a final da Copa, o treinador afirmou que a Alemanha está em vantagem. “O jogo deles (contra o Brasil), estava decidido na primeira etapa. Eles puderam poupar forças, e nós não pudemos poupar nada. Usamos todo nosso elenco”, disse.

Robben diz ter orgulho da Holanda

Apesar das poucas oportunidades e do futebol sem brilho na partida de ontem, o atacante Robben saiu de campo bastante aplaudido pelos holandeses. O jogador, fundamental para a campanha da Laranja Mecânica, agradeceu o carinho dos torcedores e disse sentir orgulho do seu time, mesmo após a eliminação na disputa de pênaltis.

“Toda a nossa equipe teve desempenho muito bom. Talvez não seja bom momento para falar alguma coisa, já que estou bastante decepcionado. Mas posso garantir que demos tudo de nós. A gente sai de forma muito chata, mas não se pode culpar ninguém, nem os que bateram os pênaltis. Trabalhamos juntos, ganhamos juntos e perdemos juntos. Tenho muito orgulho do meu time”, disse Robben.

Apontado por muitos como vilão após perder a primeira cobrança na decisão por pênaltis, o zagueiro Vlaar disse que durante os 90 minutos, havia feito sua melhor atuação na Copa do Mundo. “Talvez esse tenha sido o melhor jogo da minha vida. Eu estava muito confiante. Mas, no futebol, você precisa vencer. E não aconteceu”, destacou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mascherano abusa da raça e vira herói da classificação

Volante faz desarme essencial no fim da partida e ressalta a valentia da Argentina

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

10/07/2014 | 07:00


Claudinei Plaza

Se a Argentina tem Messi na frente e Romero atrás, uma das principais armas da equipe está postada entre esses dois atletas. O volante Mascherano, embora seja daqueles jogadores que pouco aparece para a torcida, foi fundamental para que o time de Alejandro Sabella saísse ontem, da Arena Corinthians, com a classificação para a final.

Um de seus desarmes na frente do atacante Robben foi essencial para evitar o gol da Holanda, aos 45 minutos da segunda etapa. Mesmo sendo apontado como um dos heróis da equipe, o volante divide os méritos. “Foi um lance rápido e a única maneira que encontrei de parar a jogada foi no desarme. Estou feliz, bastante satisfeito. Nosso grupo é muito forte, jogamos partida brilhante e em nenhum momento a Holanda teve chance de vencer”, disse.

ROMERO

O camisa um virou santo em seu país. Após a vitória nos pênaltis, as manchetes dos principais jornais argentinos chamavam o arqueiro de ‘San Romero’, ‘Herói’, ‘Brilhante’, entre outros adjetivos. O atleta, por sua vez, destacou a dedicação do grupo e pediu que a comemoração já fosse encerrrada ontem mesmo.

“Desde o primeiro dia, quando dissemos que íamos dar tudo por essa camisa, demos o máximo dentro de campo. Eu digo para aproveitarem o momento, comemorem, porque nós também comemoraremos. Mas amanhã (hoje) começaremos a trabalhar de novo”, disse.

Sobre a final da Copa, o treinador afirmou que a Alemanha está em vantagem. “O jogo deles (contra o Brasil), estava decidido na primeira etapa. Eles puderam poupar forças, e nós não pudemos poupar nada. Usamos todo nosso elenco”, disse.

Robben diz ter orgulho da Holanda

Apesar das poucas oportunidades e do futebol sem brilho na partida de ontem, o atacante Robben saiu de campo bastante aplaudido pelos holandeses. O jogador, fundamental para a campanha da Laranja Mecânica, agradeceu o carinho dos torcedores e disse sentir orgulho do seu time, mesmo após a eliminação na disputa de pênaltis.

“Toda a nossa equipe teve desempenho muito bom. Talvez não seja bom momento para falar alguma coisa, já que estou bastante decepcionado. Mas posso garantir que demos tudo de nós. A gente sai de forma muito chata, mas não se pode culpar ninguém, nem os que bateram os pênaltis. Trabalhamos juntos, ganhamos juntos e perdemos juntos. Tenho muito orgulho do meu time”, disse Robben.

Apontado por muitos como vilão após perder a primeira cobrança na decisão por pênaltis, o zagueiro Vlaar disse que durante os 90 minutos, havia feito sua melhor atuação na Copa do Mundo. “Talvez esse tenha sido o melhor jogo da minha vida. Eu estava muito confiante. Mas, no futebol, você precisa vencer. E não aconteceu”, destacou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;