Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fundador da Mt. Gox não falará sobre falência nos EUA



15/04/2014 | 01:45


O fundador da plataforma japonesa de negociação de bitcoins Mt. Gox, Mark Karpelès, disse que não irá aos EUA nesta semana para responder os questionamentos no âmbito do pedido de proteção contra a falência nos EUA, disseram os advogados da empresa a um juiz federal na segunda-feira.

A viagem de Karpelès era uma ordem da juíza Stacey Jernigan. O objetivo era de que o executivo respondesse sob juramento, na quinta-feira, questões aos advogados que representam os clientes com contas congeladas.

O advogado de Karpelès citou um conflito, já que o executivo recentemente recebeu uma intimação para comparecer na sexta-feira à Rede de Combate a Crimes Financeiros do Departamento do Tesouro dos EUA, divisão especializada em combater a lavagem de dinheiro. A intimação não especificou os tópicos para discussão, disse o advogado.

Até o momento, Karpelès não foi acusado de nenhum crime. Os advogados da Mt. Gox querem que o questionamento seja adiado para 5 de maio. Um porta-voz do Departamento do Tesouro se recusou a comentar.

A Mt. Gox já foi uma das plataformas de transações de bitcoins mais populares do mundo, mas suspendeu as operações em 25 de fevereiro após anunciar o desaparecimento da moeda digital. A perda de 7% das moedas mundiais, avaliadas em US$ 473 milhões na época, pode ter sido causada por um bug no software de algoritmos da plataforma, que foi explorado por uma ou mais pessoas, alegaram os advogados. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fundador da Mt. Gox não falará sobre falência nos EUA


15/04/2014 | 01:45


O fundador da plataforma japonesa de negociação de bitcoins Mt. Gox, Mark Karpelès, disse que não irá aos EUA nesta semana para responder os questionamentos no âmbito do pedido de proteção contra a falência nos EUA, disseram os advogados da empresa a um juiz federal na segunda-feira.

A viagem de Karpelès era uma ordem da juíza Stacey Jernigan. O objetivo era de que o executivo respondesse sob juramento, na quinta-feira, questões aos advogados que representam os clientes com contas congeladas.

O advogado de Karpelès citou um conflito, já que o executivo recentemente recebeu uma intimação para comparecer na sexta-feira à Rede de Combate a Crimes Financeiros do Departamento do Tesouro dos EUA, divisão especializada em combater a lavagem de dinheiro. A intimação não especificou os tópicos para discussão, disse o advogado.

Até o momento, Karpelès não foi acusado de nenhum crime. Os advogados da Mt. Gox querem que o questionamento seja adiado para 5 de maio. Um porta-voz do Departamento do Tesouro se recusou a comentar.

A Mt. Gox já foi uma das plataformas de transações de bitcoins mais populares do mundo, mas suspendeu as operações em 25 de fevereiro após anunciar o desaparecimento da moeda digital. A perda de 7% das moedas mundiais, avaliadas em US$ 473 milhões na época, pode ter sido causada por um bug no software de algoritmos da plataforma, que foi explorado por uma ou mais pessoas, alegaram os advogados. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;