Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Câmara aprova acordo que triplica custo de Itaipu



07/04/2011 | 01:10


Com uma demora de um ano e sete meses, o plenário da Câmara aprovou ontem à noite o acordo entre os governos do Brasil e do Paraguai sobre o valor da energia gerada em Itaipu. Em setembro de 2009, o Brasil aceitou pagar três vezes mais ao Paraguai pela cessão da energia não consumida pelo país vizinho, subindo dos atuais US$ 120 milhões para US$ 360 milhões anuais.

O atraso na aprovação do acordo pelo Legislativo brasileiro está criando uma saia-justa para a presidente Dilma Rousseff. Ela pretende viajar em maio ao Paraguai, mas não poderá chegar lá sem a concretização do acordo. A alteração no Tratado de Itaipu já foi aprovada pelo Parlamento paraguaio. O DEM e o PSDB tentaram evitar a votação da proposta, usando a estratégia de obstrução. Após quase cinco horas de sessão, às 23h44, a proposta foi aprovada com os votos contrários dos dois partidos. O placar registrou 285 votos a favor e 54 contrários. O acordo terá de ser votado ainda pelos senadores.

A votação deixou claro que a decisão de pagar mais pela energia de Itaipu não é apenas uma conta numérica e uma discussão econômica. Estão em cena a relação política e diplomática com o Paraguai e a estratégia geopolítica do governo. Ao acertar rever o tratado com o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou a importância de o Brasil não ter um país pobre como vizinho e de combater a desigualdade regional.

O relator da proposta na Câmara, deputado Doutor Rosinha (PT-PR), ao defender a proposta, disse que o acordo representa pouco para o Brasil, mas significa bastante para o Paraguai. Segundo Rosinha, a remuneração pela energia de Itaipu representa cerca de 20% do total das receitas do Paraguai.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara aprova acordo que triplica custo de Itaipu


07/04/2011 | 01:10


Com uma demora de um ano e sete meses, o plenário da Câmara aprovou ontem à noite o acordo entre os governos do Brasil e do Paraguai sobre o valor da energia gerada em Itaipu. Em setembro de 2009, o Brasil aceitou pagar três vezes mais ao Paraguai pela cessão da energia não consumida pelo país vizinho, subindo dos atuais US$ 120 milhões para US$ 360 milhões anuais.

O atraso na aprovação do acordo pelo Legislativo brasileiro está criando uma saia-justa para a presidente Dilma Rousseff. Ela pretende viajar em maio ao Paraguai, mas não poderá chegar lá sem a concretização do acordo. A alteração no Tratado de Itaipu já foi aprovada pelo Parlamento paraguaio. O DEM e o PSDB tentaram evitar a votação da proposta, usando a estratégia de obstrução. Após quase cinco horas de sessão, às 23h44, a proposta foi aprovada com os votos contrários dos dois partidos. O placar registrou 285 votos a favor e 54 contrários. O acordo terá de ser votado ainda pelos senadores.

A votação deixou claro que a decisão de pagar mais pela energia de Itaipu não é apenas uma conta numérica e uma discussão econômica. Estão em cena a relação política e diplomática com o Paraguai e a estratégia geopolítica do governo. Ao acertar rever o tratado com o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou a importância de o Brasil não ter um país pobre como vizinho e de combater a desigualdade regional.

O relator da proposta na Câmara, deputado Doutor Rosinha (PT-PR), ao defender a proposta, disse que o acordo representa pouco para o Brasil, mas significa bastante para o Paraguai. Segundo Rosinha, a remuneração pela energia de Itaipu representa cerca de 20% do total das receitas do Paraguai.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;