Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Petróleo se mantém estável nesta quarta-feira


Da AFP

01/11/2006 | 18:12


Os preços do petróleo se mantiveram praticamente estáveis nesta quarta-feira, após a publicação das reservas nos Estados Unidos. Em Nova York, o barril de "light sweet" para entrega em dezembro fechou a US$ 58,71.

Em seu relatório semanal publicado quarta-feira, o DoE (departamento americano de Energia) registrou alta menor que a prevista, de dois milhões de barris, dos estoques de cru na semana passada.

Além disso, revelou uma queda duas vezes maior que a prevista dos estoques de produtos destilados, diesel e óleo para calefação, mas as reservas de gasolina estiveram três vezes mais que o esperado.

Estes dados eram teoricamente favoráveis a uma retomada dos preços do cru, mas ocorreu o contrário de início. As cotações se estabilizarem no fim da sessão.

Segundo Mike Fitzpatrick, analista da corretora Fimat, esta baixa inicial dos preços "foi uma reação à alta dos níveis de utilização das capacidades das refinarias americanas".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Petróleo se mantém estável nesta quarta-feira

Da AFP

01/11/2006 | 18:12


Os preços do petróleo se mantiveram praticamente estáveis nesta quarta-feira, após a publicação das reservas nos Estados Unidos. Em Nova York, o barril de "light sweet" para entrega em dezembro fechou a US$ 58,71.

Em seu relatório semanal publicado quarta-feira, o DoE (departamento americano de Energia) registrou alta menor que a prevista, de dois milhões de barris, dos estoques de cru na semana passada.

Além disso, revelou uma queda duas vezes maior que a prevista dos estoques de produtos destilados, diesel e óleo para calefação, mas as reservas de gasolina estiveram três vezes mais que o esperado.

Estes dados eram teoricamente favoráveis a uma retomada dos preços do cru, mas ocorreu o contrário de início. As cotações se estabilizarem no fim da sessão.

Segundo Mike Fitzpatrick, analista da corretora Fimat, esta baixa inicial dos preços "foi uma reação à alta dos níveis de utilização das capacidades das refinarias americanas".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;