Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lula visita ex-sindicalista do Acre acidentado em 1989



22/01/2006 | 08:53


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu cedo, às 7h da manhã deste sábado, da casa do governador Jorge Viana (PT), onde está hospedado desde sexta-feira em Rio Branco (Acre), para fazer uma visita fora da agenda oficial a um ex-líder sindical petista tetraplégico, Elpídio Moreira de Souza, 55 anos, mineiro de Curvelo, “acreano de coração” há 25 anos. “É nesse tipo de casa que me sinto mais em casa”, disse o presidente ao entrar no pequeno imóvel de madeira, de três cômodos, onde Elpídio mora com a mulher, Vera Lúcia Guimarães Souza, 49 anos, duas das quatro filhas, um genro e duas netas. Durante a visita de quase meia hora, Lula ficou segurando as mãos de Elpídio.

O senador Tião Viana e o ministro da Fazenda Antonio Palloci, médicos, que acompanhavam o presidente junto com o governador, explicavam que, embora tetraplégico, ele estava com tratamentos fisioterápicos começando a mexer as mãos. Elpídio caiu de um caminhão durante a campanha presidencial de 1989 e ficou tetraplégico. Elpídio contou que fez campanha para Lula no Acre em todas as eleições à Presidência. Em sua parede, há uma cópia do salmo 91 e uma foto sua abraçado a Lula em 2004. “Eu sempre fiz política, eu sempre tive minha posição e critiquei a oposição, mas o que estão fazendo com esse coitado (Lula) é agressão, não oposição”, disse Elpídio ao presidente.

Durante a conversa, observada em parte pela imprensa, Elpídio insistiu que Lula deve logo se posicionar que vai à reeleição. “Elpídio, está cedo, os partidos só começam a se posicionar oficialmente em junho, agora tenho de administrar e ainda me acusam de fazer campanha”, disse Lula. “O simples fato de vir inaugurar obras começadas em meu governo apontam como campanha. Ora, se eu plantei a manga, tenho de vir chupar. Vou deixar para eles?”, defendeu o presidente. “Nenhum jogador perde um gol se chuta para o gol, só marca se chutar, não é?”

Aproveitando a deixa, Elpídio criticou a performance de Lula nos campos de futebol. “Governar o senhor tem de continuar, mas precisa parar de jogar futebol, porque não joga nada”, disse Elpídio. Lula respondeu rindo: “Menino, não fala isso na frente da imprensa, que eu jogo mal. Aliás, você deve estar vendo pela televisão só os maus momentos do jogo, que eles mostram. Eu vou gravar uma fita só com os bons momentos e mandar para sua casa”, disse Lula. Sempre segurando a mão do presidente, Elpídio perguntou por Dona Marisa. “Marisa está bem, não veio dessa vez. Ela é a mulher mais bem casada do mundo”, disse.

Elpídio contou ao presidente que seus quatro netos recebem o Bolsa-Escola e uma das filhas, Edicléia Guimarães Souza, 21 anos, recebe bolsa parcial do ProUni para cursar letras. Lula pediu para conhecer Edicléia e a abraçou, parabenizando-a pela faculdade.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lula visita ex-sindicalista do Acre acidentado em 1989


22/01/2006 | 08:53


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu cedo, às 7h da manhã deste sábado, da casa do governador Jorge Viana (PT), onde está hospedado desde sexta-feira em Rio Branco (Acre), para fazer uma visita fora da agenda oficial a um ex-líder sindical petista tetraplégico, Elpídio Moreira de Souza, 55 anos, mineiro de Curvelo, “acreano de coração” há 25 anos. “É nesse tipo de casa que me sinto mais em casa”, disse o presidente ao entrar no pequeno imóvel de madeira, de três cômodos, onde Elpídio mora com a mulher, Vera Lúcia Guimarães Souza, 49 anos, duas das quatro filhas, um genro e duas netas. Durante a visita de quase meia hora, Lula ficou segurando as mãos de Elpídio.

O senador Tião Viana e o ministro da Fazenda Antonio Palloci, médicos, que acompanhavam o presidente junto com o governador, explicavam que, embora tetraplégico, ele estava com tratamentos fisioterápicos começando a mexer as mãos. Elpídio caiu de um caminhão durante a campanha presidencial de 1989 e ficou tetraplégico. Elpídio contou que fez campanha para Lula no Acre em todas as eleições à Presidência. Em sua parede, há uma cópia do salmo 91 e uma foto sua abraçado a Lula em 2004. “Eu sempre fiz política, eu sempre tive minha posição e critiquei a oposição, mas o que estão fazendo com esse coitado (Lula) é agressão, não oposição”, disse Elpídio ao presidente.

Durante a conversa, observada em parte pela imprensa, Elpídio insistiu que Lula deve logo se posicionar que vai à reeleição. “Elpídio, está cedo, os partidos só começam a se posicionar oficialmente em junho, agora tenho de administrar e ainda me acusam de fazer campanha”, disse Lula. “O simples fato de vir inaugurar obras começadas em meu governo apontam como campanha. Ora, se eu plantei a manga, tenho de vir chupar. Vou deixar para eles?”, defendeu o presidente. “Nenhum jogador perde um gol se chuta para o gol, só marca se chutar, não é?”

Aproveitando a deixa, Elpídio criticou a performance de Lula nos campos de futebol. “Governar o senhor tem de continuar, mas precisa parar de jogar futebol, porque não joga nada”, disse Elpídio. Lula respondeu rindo: “Menino, não fala isso na frente da imprensa, que eu jogo mal. Aliás, você deve estar vendo pela televisão só os maus momentos do jogo, que eles mostram. Eu vou gravar uma fita só com os bons momentos e mandar para sua casa”, disse Lula. Sempre segurando a mão do presidente, Elpídio perguntou por Dona Marisa. “Marisa está bem, não veio dessa vez. Ela é a mulher mais bem casada do mundo”, disse.

Elpídio contou ao presidente que seus quatro netos recebem o Bolsa-Escola e uma das filhas, Edicléia Guimarães Souza, 21 anos, recebe bolsa parcial do ProUni para cursar letras. Lula pediu para conhecer Edicléia e a abraçou, parabenizando-a pela faculdade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;