Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Justiça revoga liminar
e Moura será candidato

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

PT pode registrar Padilha, porém juiz exige a
inclusão de deputado suspeito de elo com PCC


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

12/07/2014 | 07:00


 A Justiça de São Paulo revogou ontem liminar favorável ao deputado estadual Luiz Moura (PT) que anulava os efeitos da convenção estadual petista para a eleição de outubro. Com a decisão, está validada a candidatura do ex-ministro Alexandre Padilha ao governo do Estado e dos postulantes à Assembleia Legislativa e ao Congresso Nacional. O juiz Renato de Abreu Perine, da 17ª Vara Cível da Capital, menciona, entretanto, que Moura, suspeito de elo com o PCC, pode registrar seu nome no TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

No despacho de ontem, o juiz indicou que cabe à Justiça Eleitoral decidir sobre eventual disputa de reeleição de Moura à Assembleia paulista ao entender que a suspensão partidária ao deputado é irregular. A decisão saiu um dia depois de o PT recorrer da liminar obtida pelo parlamentar. O petista entrou com representação na Justiça comum para cancelar a deliberação do partido em suspendê-lo pelo período de 60 dias, o que o impediu de ser incluído na chapa proporcional.

Em evento ontem, em Santo André, Padilha afirmou que o PT vai insistir na decisão firmada durante convenção. Segundo o pleiteante ao Palácio dos Bandeirantes, a legenda está “tranquila e soberana” em relação ao encontro realizado “de forma democrática” no dia 15, que estabeleceu a composição da chapa. “Diferentemente de outros partidos, o PT mostra que é implacável contra qualquer facção criminosa e pessoas que se aproximem dela”, disse, sem responder se faria campanha com Moura.

Com a possibilidade aberta pela Justiça, o deputado deve registrar sua candidatura na segunda-feira. Em contrapartida, o diretório paulista do PT, comandado por Emidio de Souza, alegou, por nota, que a sigla mantém o posicionamento firme em defesa da ética na política e o entendimento de que cabe aos partidos agir com rigor na escolha de seus filiados e candidatos. “Ficou afastada a alegação de ofensa aos princípios do contraditório e da ampla defesa e confirmado que o partido as concedeu ao autor da ação”, diz a nota.

REFILIAÇÃO
Padilha se reuniu ontem no Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá com militantes do PT. Após a concentração, os filiados fizeram tradicional caminhada pelo calçadão da Rua Coronel Oliveira Lima para chegar ao Clube Primeiro de Maio. No local, o partido efetivou a refiliação de ex-correligionários, como o presidente licenciado da entidade e secretário de Trabalho do governo Carlos Grana (PT), Cícero Martinha, que estava no PDT. O encontro marcou o reingresso de outras 120 pessoas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça revoga liminar
e Moura será candidato

PT pode registrar Padilha, porém juiz exige a
inclusão de deputado suspeito de elo com PCC

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

12/07/2014 | 07:00


 A Justiça de São Paulo revogou ontem liminar favorável ao deputado estadual Luiz Moura (PT) que anulava os efeitos da convenção estadual petista para a eleição de outubro. Com a decisão, está validada a candidatura do ex-ministro Alexandre Padilha ao governo do Estado e dos postulantes à Assembleia Legislativa e ao Congresso Nacional. O juiz Renato de Abreu Perine, da 17ª Vara Cível da Capital, menciona, entretanto, que Moura, suspeito de elo com o PCC, pode registrar seu nome no TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

No despacho de ontem, o juiz indicou que cabe à Justiça Eleitoral decidir sobre eventual disputa de reeleição de Moura à Assembleia paulista ao entender que a suspensão partidária ao deputado é irregular. A decisão saiu um dia depois de o PT recorrer da liminar obtida pelo parlamentar. O petista entrou com representação na Justiça comum para cancelar a deliberação do partido em suspendê-lo pelo período de 60 dias, o que o impediu de ser incluído na chapa proporcional.

Em evento ontem, em Santo André, Padilha afirmou que o PT vai insistir na decisão firmada durante convenção. Segundo o pleiteante ao Palácio dos Bandeirantes, a legenda está “tranquila e soberana” em relação ao encontro realizado “de forma democrática” no dia 15, que estabeleceu a composição da chapa. “Diferentemente de outros partidos, o PT mostra que é implacável contra qualquer facção criminosa e pessoas que se aproximem dela”, disse, sem responder se faria campanha com Moura.

Com a possibilidade aberta pela Justiça, o deputado deve registrar sua candidatura na segunda-feira. Em contrapartida, o diretório paulista do PT, comandado por Emidio de Souza, alegou, por nota, que a sigla mantém o posicionamento firme em defesa da ética na política e o entendimento de que cabe aos partidos agir com rigor na escolha de seus filiados e candidatos. “Ficou afastada a alegação de ofensa aos princípios do contraditório e da ampla defesa e confirmado que o partido as concedeu ao autor da ação”, diz a nota.

REFILIAÇÃO
Padilha se reuniu ontem no Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá com militantes do PT. Após a concentração, os filiados fizeram tradicional caminhada pelo calçadão da Rua Coronel Oliveira Lima para chegar ao Clube Primeiro de Maio. No local, o partido efetivou a refiliação de ex-correligionários, como o presidente licenciado da entidade e secretário de Trabalho do governo Carlos Grana (PT), Cícero Martinha, que estava no PDT. O encontro marcou o reingresso de outras 120 pessoas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;