Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Produtos orgânicos movimentam US$ 150 milhoes


Do Diário do Grande ABC

14/10/2000 | 14:33


Segundo os dados da Organizaçao das Naçoes Unidas para a Agricultura e Alimentaçao (FAO), alimentos geneticamente modificados e os produtos orgânicos movimentaram no país, em 1999, de US$ 100 a 150 milhoes, volume que deve dobrar nesse ano.

A demanda é tanta que países como Alemanha, França e Japao passaram a importar os produtos 100% orgânicos brasileiros.

``Cada ano que passa estamos, no mínimo, duplicando o volume de produçao'', afirmou Mônica Bicudo, presidente da associaçao de Agricultores Biológicos do Rio de Janeiro (Abio). De acordo com dados da Abio, a produçao no estado deve chegar às mil toneladas até o fim do ano. Em 1999, fechou em 600 toneladas e R$ 750 mil em vendas.

O consumidor, no entanto, deve ter atençao para nao levar gato por lebre. ``Os alimentos orgânicos devem ter o selo de uma certificadora e estar embalados corretamente'', explica Fábio Sampaio Vianna Filho, sócio da consultoria agropecuária e agroindustrial Agrosuisse. ``Alguns produtores, como os de açúcar e banana já estao com 100% da produçao vendida'', conta.

Na pauta das exportaçoes de orgânicos, açúcar, banana, cacau e café encabeçam a lista. De acordo com o levantamento da FAO, as exportaçoes de produtos orgânicos já movimenta US$ 130 milhoes anuais. Estreando brevemente nas prateleiras estrangeiras, os doces da fábrica Vovó Chiquita, em Passa Vinte, Minas Gerais, só esperam pelo selo do Instituto Biodinâmico (IBD), órgao nacional responsável pela certificaçao dos produtores que desejam exportar.

Criada há menos de seis meses, Vovó Chiquita pode ser considerada um fenômeno. ``Já produzimos 400 quilos por dia e vamos chegar aos mil, até o fim do ano'', prevê a analista de sistemas Rejane Ribeiro de Resende, proprietária. Um financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de R$ 70 mil mais uma injeçao de capital próprio, também de R$ 70 mil, foram os primeiros passos.

Hoje, o faturamento bruto já está na casa dos R$ 100 mil, e os convites nao param de chegar. ``Temos interessados na França, Portugal e países do Mercosul'', comemora Rejane, que já fechou negócio com a rede de produtos naturais Mundo Verde e a rede de supermercados Pao de Açúcar.

O açúcar orgânico Native da Usina Sao Francisco em Sertaozinho, interior de Sao Paulo, também engrossa a lista dos casos de sucesso.

A empresa já é a maior produtora e exportadora mundial do produto, vendido desde 1997 para mais de 20 países. Segundo Leontino Balbo, diretor agrícola da Usina, sua produçao já é responsável por 50% do fornecimento mundial de açúcar orgânico.

A rede Armazém do Café lançou um café 100% orgânico. ``É um produto sem agrotóxicos, colhido à sombra e plantado a mil metros de altitude'', explica Marcos Modiano, dono do Armazém. Para Modiano, muitos consumidores preferem pagar mais (o quilo sai por R$ 30, enquanto o café normal dificilmente passa de R$ 10) por um café mais encorpado e suave.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Produtos orgânicos movimentam US$ 150 milhoes

Do Diário do Grande ABC

14/10/2000 | 14:33


Segundo os dados da Organizaçao das Naçoes Unidas para a Agricultura e Alimentaçao (FAO), alimentos geneticamente modificados e os produtos orgânicos movimentaram no país, em 1999, de US$ 100 a 150 milhoes, volume que deve dobrar nesse ano.

A demanda é tanta que países como Alemanha, França e Japao passaram a importar os produtos 100% orgânicos brasileiros.

``Cada ano que passa estamos, no mínimo, duplicando o volume de produçao'', afirmou Mônica Bicudo, presidente da associaçao de Agricultores Biológicos do Rio de Janeiro (Abio). De acordo com dados da Abio, a produçao no estado deve chegar às mil toneladas até o fim do ano. Em 1999, fechou em 600 toneladas e R$ 750 mil em vendas.

O consumidor, no entanto, deve ter atençao para nao levar gato por lebre. ``Os alimentos orgânicos devem ter o selo de uma certificadora e estar embalados corretamente'', explica Fábio Sampaio Vianna Filho, sócio da consultoria agropecuária e agroindustrial Agrosuisse. ``Alguns produtores, como os de açúcar e banana já estao com 100% da produçao vendida'', conta.

Na pauta das exportaçoes de orgânicos, açúcar, banana, cacau e café encabeçam a lista. De acordo com o levantamento da FAO, as exportaçoes de produtos orgânicos já movimenta US$ 130 milhoes anuais. Estreando brevemente nas prateleiras estrangeiras, os doces da fábrica Vovó Chiquita, em Passa Vinte, Minas Gerais, só esperam pelo selo do Instituto Biodinâmico (IBD), órgao nacional responsável pela certificaçao dos produtores que desejam exportar.

Criada há menos de seis meses, Vovó Chiquita pode ser considerada um fenômeno. ``Já produzimos 400 quilos por dia e vamos chegar aos mil, até o fim do ano'', prevê a analista de sistemas Rejane Ribeiro de Resende, proprietária. Um financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de R$ 70 mil mais uma injeçao de capital próprio, também de R$ 70 mil, foram os primeiros passos.

Hoje, o faturamento bruto já está na casa dos R$ 100 mil, e os convites nao param de chegar. ``Temos interessados na França, Portugal e países do Mercosul'', comemora Rejane, que já fechou negócio com a rede de produtos naturais Mundo Verde e a rede de supermercados Pao de Açúcar.

O açúcar orgânico Native da Usina Sao Francisco em Sertaozinho, interior de Sao Paulo, também engrossa a lista dos casos de sucesso.

A empresa já é a maior produtora e exportadora mundial do produto, vendido desde 1997 para mais de 20 países. Segundo Leontino Balbo, diretor agrícola da Usina, sua produçao já é responsável por 50% do fornecimento mundial de açúcar orgânico.

A rede Armazém do Café lançou um café 100% orgânico. ``É um produto sem agrotóxicos, colhido à sombra e plantado a mil metros de altitude'', explica Marcos Modiano, dono do Armazém. Para Modiano, muitos consumidores preferem pagar mais (o quilo sai por R$ 30, enquanto o café normal dificilmente passa de R$ 10) por um café mais encorpado e suave.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;