Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Atenção evita problemas na compra de carros usados


Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

06/04/2009 | 07:05


Com a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros zero quilômetro, até o fim de junho, muitos aproveitam para adquirir o próprio veículo ou trocar o usado pelo novo.

Com os pátios das concessionárias repletos de carros usados, o consumidor que for contra o fluxo e optar por um veículo seminovo deve ter alguns cuidados.

"Tanto no caso de comprar o automóvel de uma revendedora ou de um terceiro a atenção precisa ser a mesma. A primeira providência é analisar a mecânica e, posteriormente, sua conservação", explicou George Assad Chahade, presidente da Assovesp/Sindiauto (entidades que representam os comerciantes de veículos usados no Estado de São Paulo).

Outro ponto-chave para não perder dinheiro nem ter dor de cabeça é solicitar a certidão negativa do veículo (sobre multas, restrição judicial, financeira etc). "Neste documento consta se o veículo já sofreu alguma colisão, por exemplo, o que nem sempre podemos diagnosticar sozinhos", afirmou presidente da Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores), Ilidio Gonçalves dos Santos.

Ele acrescentou que a entidade preocupada com a venda segura dos veículos seminovos, está lançando um selo que será divulgado ainda neste mês. O símbolo vai garantir sete meses de garantia para o veículo, além do certificado da procedência. "Os estabelecimentos de revendas (que devem ser associados a alguma entidade do setor) terão que fazer um cadastro que, se aprovado, permitirá a emissão do selo nos automóveis", enfatizou.

Para o especialista Paulo Roberto Garbossa, da ADK Automotive - empresa de consultoria do setor - para se ter segurança o ideal é solicitar sempre uma vistoria técnica. "Quando vendemos nosso carro para uma revendedora ela solicita esse procedimento, que custa entre R$ 150 e R$ 200 - e é rateado entre loja e proprietário. Portanto, quando compramos de terceiros, podemos solicitar a vistoria, afinal, essa análise feita no veículo é minuciosa e vai apontar qualquer problema, inclusive aquele que poderia surgir posteriormente", comentou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atenção evita problemas na compra de carros usados

Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

06/04/2009 | 07:05


Com a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros zero quilômetro, até o fim de junho, muitos aproveitam para adquirir o próprio veículo ou trocar o usado pelo novo.

Com os pátios das concessionárias repletos de carros usados, o consumidor que for contra o fluxo e optar por um veículo seminovo deve ter alguns cuidados.

"Tanto no caso de comprar o automóvel de uma revendedora ou de um terceiro a atenção precisa ser a mesma. A primeira providência é analisar a mecânica e, posteriormente, sua conservação", explicou George Assad Chahade, presidente da Assovesp/Sindiauto (entidades que representam os comerciantes de veículos usados no Estado de São Paulo).

Outro ponto-chave para não perder dinheiro nem ter dor de cabeça é solicitar a certidão negativa do veículo (sobre multas, restrição judicial, financeira etc). "Neste documento consta se o veículo já sofreu alguma colisão, por exemplo, o que nem sempre podemos diagnosticar sozinhos", afirmou presidente da Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores), Ilidio Gonçalves dos Santos.

Ele acrescentou que a entidade preocupada com a venda segura dos veículos seminovos, está lançando um selo que será divulgado ainda neste mês. O símbolo vai garantir sete meses de garantia para o veículo, além do certificado da procedência. "Os estabelecimentos de revendas (que devem ser associados a alguma entidade do setor) terão que fazer um cadastro que, se aprovado, permitirá a emissão do selo nos automóveis", enfatizou.

Para o especialista Paulo Roberto Garbossa, da ADK Automotive - empresa de consultoria do setor - para se ter segurança o ideal é solicitar sempre uma vistoria técnica. "Quando vendemos nosso carro para uma revendedora ela solicita esse procedimento, que custa entre R$ 150 e R$ 200 - e é rateado entre loja e proprietário. Portanto, quando compramos de terceiros, podemos solicitar a vistoria, afinal, essa análise feita no veículo é minuciosa e vai apontar qualquer problema, inclusive aquele que poderia surgir posteriormente", comentou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;