Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Conta de celular chega errada e consumidora fica sem linha


Adriana Ferraz
Do Diário do Grande ABC

17/12/2007 | 07:12


Há dois meses, o celular da dentista Caren Cristina Castillo, de São Bernardo, não recebe nem completa chamadas.

“Tudo por causa de uma fatura errada. Minha conta chegou R$ 110 mais cara. Reclamei e desde então não consegui mais normalizar o serviço. Tive de pedir o bloqueio para regularizar as coisas, mas não consigo resposta”, conta.

Segundo a consumidora, seu problema só começou a ser levado a sério quando a reclamação chegou a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). “Antes disso, os protocolos que eu registrava não serviam para nada. Fiz mais de 60 ligações e só fui mal-atendida”, afirma Caren.

A empresa ofereceu um acordo, dispensado pela cliente. “Não quero mais essa linha. Eles querem que eu pague a assinatura, mas não acho justo. Tive de comprar até um novo aparelho.”

De acordo com o Procon, se a Claro realmente cobrou um valor errado deve retirar a quantia extra da conta, sem ônus à cliente.

ANÁLISEA Claro foi procurada pela reportagem e informou que a reclamação está em análise. Em nota, a empresa afirmou que todas as informações estão sendo levantadas para a solução do caso.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Conta de celular chega errada e consumidora fica sem linha

Adriana Ferraz
Do Diário do Grande ABC

17/12/2007 | 07:12


Há dois meses, o celular da dentista Caren Cristina Castillo, de São Bernardo, não recebe nem completa chamadas.

“Tudo por causa de uma fatura errada. Minha conta chegou R$ 110 mais cara. Reclamei e desde então não consegui mais normalizar o serviço. Tive de pedir o bloqueio para regularizar as coisas, mas não consigo resposta”, conta.

Segundo a consumidora, seu problema só começou a ser levado a sério quando a reclamação chegou a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). “Antes disso, os protocolos que eu registrava não serviam para nada. Fiz mais de 60 ligações e só fui mal-atendida”, afirma Caren.

A empresa ofereceu um acordo, dispensado pela cliente. “Não quero mais essa linha. Eles querem que eu pague a assinatura, mas não acho justo. Tive de comprar até um novo aparelho.”

De acordo com o Procon, se a Claro realmente cobrou um valor errado deve retirar a quantia extra da conta, sem ônus à cliente.

ANÁLISEA Claro foi procurada pela reportagem e informou que a reclamação está em análise. Em nota, a empresa afirmou que todas as informações estão sendo levantadas para a solução do caso.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;