Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Petrobras quer aumentar atuaçao no mercado internacional


Do Diário do Grande ABC

20/08/1999 | 20:30


A Petrobras quer aumentar a sua atuaçao no mercado internacional. Na próxima segunda-feira, o ministro de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, e o presidente da Petrobras, Henri Phillippe Reichstul, viajarao para Angola e Nigéria onde irao discutir a ampliaçao dos negócios da empresa nesses países. Atualmente, a Petrobras explora 16 campos de petróleo em Angola, em parceira com a Texaco, a francesa Total e a empresa petrolífera daquele país, Sonangol. Ele explicou que a intençao da Petrobras é explorar novos campos petrolíferos na costa de Angola, considerada uma das áreas prioritárias de produçao.

Para Rodolpho Tourinho, a busca de mais reservas e maior produçao de petróleo é a "saída natural da Petrobras". Lembrou que essa é a forma de se valorizar uma empresa petrolífera. Cuba é outra área em que a Petrobras já começou as negociaçoes para aumentar a sua atuaçao, segundo o ministro. Atualmente, a empresa atua em 12 países, além do Brasil. Este ano, a Petrobras deverá investir US$ 232 milhoes nos campos de petróleo do exterior.

Na Nigéria, explicou Tourinho, vamos iniciar as negociaçoes para ampliar a atuaçao da Petrobras. "Temos interesse em alguns blocos de petróleo, em parceria com a Texaco e a Total", disse. Este ano, a empresa vai investir US$ 27 milhoes nos campos petrolíferos da Nigéria.

O presidente da Petrobras seguirá depois para o Japao para negociar um empréstimo no valor de US$ 4,9 bilhoes, junto ao Japan Eximbank, na forma de project finance. Deverao ser liberados US$ 1 bilhao este ano; US$ 1,7 bilhao, em 2000; e US$ 2,2 bilhoes, em 2001. Os recursos serao utilizados em projetos de exploraçao e produçao de petróleo na Bacia de Campos, desenvolvidos em parceria com empresas japonesas.

Energia - O ministro Tourinho garantiu nesta sexta-feira que as empresas geradoras de energia elétrica, Furnas, CHESF (Companhia Hidrelétrica do Sao Francisco) e Eletronorte, que deveriam ter sido vendidas este ano, serao privatizadas em 2000. "Com certeza vende no ano que vem todas as empresas", afirmou. Ele explicou que a modelagem de venda que será utilizada, elaborada pela USP (Universidade de Sao Paulo), está pronta. Porém, alguns pontos do modelo de privatizaçao da CHESF, também realizado pela USP, ainda precisam ser acertados.

A demanda de energia elétrica este ano deverá crescer cerca de 4%, nos setores residencial, comercial e industrial, principalmente nas regioes Sul e Sudeste, onde há maior carência de energia. Embora, segundo o ministro, esse dado deva ser comemorado pelo país, porque demonstra o crescimento da economia, é um fator preocupante. "O sistema elétrico está menos vulnerável, mas ainda está", explicou. Lembrou que somente a partir de 2002, quando começam a operar as primeiras usinas térmicas, o sistema estará equilibrado.

Uma das medidas adotadas pelo governo para economizar energia elétrica foi a decisao de antecipar o horário de verao. Ele irá começar a zero hora do dia 3 de outubro e terminará no dia 27 de fevereiro do próximo ano. A expectativa é de que o horário de verao reduza o consumo de energia no horário de ponta, entre 18h e 20h, em 4,5%, o que eqüivaleria a desligar todas as lâmpadas de Belo Horizonte neste horário.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;