Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 2 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Oposição socialista vence eleições legislativas na Bulgária


Da AFP

26/06/2005 | 11:27


A chapa ‘Coalizão pela Bulgária’, liderada pelo PSB (Partido Socialista Búlgaro), oposição socialista, venceu as eleições legislativas do país, revela resultados oficiais divulgados neste domingo — com 97% dos votos apurados. Porém, o resultado da votação fará o grupo governar com outros dois partidos, provavelmente a centro-direita e a minoria turca.

Os búlgaros constataram atônitos que, pela primeira vez em sua história recente, o Parlamento terá a representação de um partido xenófobo e racista. O ‘Ataka’ (ataque em búlgaro), partido extremista, xenófobo, racista e hostil às minorias turca e cigana - que representam cada uma 9% da população - obteve 8,21% dos votos e contará com entre 20 e 22 deputados.

O PSB herdeiro do partido comunista que governou o país por 45 anos, obteve apenas 31,17% dos votos, segundo os últimos dados oficiais, e multiplicou os pedidos a seus dois possíveis aliados para constituir uma maioria na próxima Assembléia. "A unidade nacional deve prevalecer para resolver os problemas da Bulgária, que deve passar uma imagem de país estável antes de entrar na UE", declarou Rumen Petkov, vice-presidente do PSB.

Depois de anunciar a vitória de seu partido na noite de sábado, o líder do PSB, Serguei Stanichev, 39 anos, disse estar disposto a iniciar imediatamente consultas com todas as forças políticas democráticas para garantir a estabilidade política do país. Ele se referia sobretudo ao Movimento Nacional Simeão II (MNS II, centro-direito), do atual primeiro-ministro Simeão de Saxe-Coburgo Gotha que, com 19,91% dos votos, se perfila como o principal candidato a se aliar aos socialistas.

O MNS II, que se opôs a uma coalizão com o PSB durante a campanha eleitoral, parece mais propenso ao diálogo depois da derrota. "Será difícil para o PSB e o Movimento para os Direitos e Liberdades (MDL, partido da minoria turca que governou durante quatro anos com o MNS II) formar um governo sem o MNS II", declarou o ministro dos Transportes, Nikolai Vasilev, à rádio nacional.

Além disso, o ex-rei Simeão II considerou que o governo deve ser o mais amplo possível e seu ministro das Finanças, Milen Veltchev, afirmou que a única forma de evitar um bloqueio constitucional é criar uma aliança MNS II-PSB. O MDL, que com 12,45% dos votos dobrou seu resultado de 2001, pensa da mesma forma. Seu líder, Ahmed Dogan, pediu uma "coalizão de centro-esquerda" com os ex-comunistas e um "possível terceiro sócio".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;