Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Acusados de roubo de fuzis do Exército devem ser julgados até dezembro


Do Diário OnLine
Com Agência Brasil

17/11/2006 | 15:05


A Justiça Militar deve julgar até dezembro os sete acusados de participar do roubo de dez fuzis de um quartel do Exército, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio de Janeiro, em março deste ano.

Segundo o promotor de Justiça Militar Antonio Carlos Facuri, o último passo é permitir que os réus façam suas considerações finais escritas no processo. Facuri explicou que três civis e um militar estão sendo processados pelo roubo das armas. Dois deles estão presos: Joelson Basílio da Silva e Carlos Leandro de Souza, ambos ex-militares.

Um terceiro civil, Alex Souza Marinho, continua foragido, mas deverá ser julgado assim mesmo. O quarto acusado é o sargento Humberto de Sousa Freire, que pode ser acusado apenas de negligência em serviço, uma vez que ainda não há provas suficientes de sua participação no crime.

Outros três militares estão sendo acusados apenas do crime de negligência no serviço: o tenente Igor dos Santos da Silva, o cabo Eric da Silva Campos e o soldado Max Athaíde Pereira.

A busca pelas armas roubadas mobilizou 1,5 mil homens do Exército por cerca de duas semanas. Os militares ocuparam mais de dez favelas para tentar recuperar os dez fuzis e uma pistola roubados do quartel.

As armas foram achadas numa região conhecida como Esqueleto, próxima da Estrada das Canoas, em São Conrado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Acusados de roubo de fuzis do Exército devem ser julgados até dezembro

Do Diário OnLine
Com Agência Brasil

17/11/2006 | 15:05


A Justiça Militar deve julgar até dezembro os sete acusados de participar do roubo de dez fuzis de um quartel do Exército, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio de Janeiro, em março deste ano.

Segundo o promotor de Justiça Militar Antonio Carlos Facuri, o último passo é permitir que os réus façam suas considerações finais escritas no processo. Facuri explicou que três civis e um militar estão sendo processados pelo roubo das armas. Dois deles estão presos: Joelson Basílio da Silva e Carlos Leandro de Souza, ambos ex-militares.

Um terceiro civil, Alex Souza Marinho, continua foragido, mas deverá ser julgado assim mesmo. O quarto acusado é o sargento Humberto de Sousa Freire, que pode ser acusado apenas de negligência em serviço, uma vez que ainda não há provas suficientes de sua participação no crime.

Outros três militares estão sendo acusados apenas do crime de negligência no serviço: o tenente Igor dos Santos da Silva, o cabo Eric da Silva Campos e o soldado Max Athaíde Pereira.

A busca pelas armas roubadas mobilizou 1,5 mil homens do Exército por cerca de duas semanas. Os militares ocuparam mais de dez favelas para tentar recuperar os dez fuzis e uma pistola roubados do quartel.

As armas foram achadas numa região conhecida como Esqueleto, próxima da Estrada das Canoas, em São Conrado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;