Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 7 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Débito


Do Diário OnLine

17/11/2015 | 07:00


A Seleção continua devendo um bom futebol. Espera-se que hoje, em Salvador, o time de Dunga volte a encantar. Pela história do treinador e pelo que se viu até agora, a equipe joga com o breque de mão puxado. Mesmo com a volta de Neymar em Buenos Aires, percebeu-se que o esquema tático privilegia primeiro a marcação. Em segundo lugar os jogadores devem pensar na... marcação!

Como décima prioridade, sei lá, tenta-se uma jogada de velocidade, um contra-ataque, alguma coisa para marcar um gol. Um gol, aquilo que o Parreira disse um dia que era um mero detalhe do futebol. E Dunga deve pensar da mesma forma.

Contra o Peru, com o empurrão da fanática e alegre torcida baiana, o Brasil será mais ofensivo. Aguarda-se o adversário mais cauteloso e se correr tudo bem, a vitória será conquistada.

Mesmo se o Brasil vencer, continuará em uma posição delicada na tabela de classificação. Serão quatro jogos, duas vitórias, um empate e uma derrota. Aproveitamento de 58%, o que, convenhamos, para uma Seleção pentacampeã mundial, é muito pouco.

Na coletiva de Dunga ainda em Buenos Aires, depois de quase perder para a desfalcada Argentina, ele deixou claro que a disputa das Eliminatórias será sofrida, como tem acontecido antes das últimas Copas. O que nos leva a alertar o torcedor para preparar o seu coração.

Decisão

O Brasileiro pode ser decidido na quinta-feira, mas ainda haverá muita disputa por outros objetivos. O Vasco da Gama, com toda sua história e tradição, tenta fugir do rebaixamento. Pelo menos quatro times lutam pela quarta posição do G-4. E na parte de baixo da tabela pouca coisa está resolvida. Portanto, tem muito jogo pela frente.

Represália

É óbvio que as autoridades russas não vão aceitar passivamente a punição imposta pela IAAF (Federação Internacional de Atletismo). A suspensão nas disputas internacionais por tempo indeterminado pode levar a exclusão dos atletas até dos Jogos Olímpicos do Rio.

Diante de tantas provas de doping encontradas, as autoridades esportivas estão sendo diplomáticas, apesar de medidas duras e justas, contra quem burla o resultado natural de uma disputa esportiva. Teme-se que se não conseguir reverter a punição, o governo russo articule com países aliados um boicote à Olimpíada do Rio de Janeiro, nos moldes dos tempos da Guerra Fria.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Débito

Do Diário OnLine

17/11/2015 | 07:00


A Seleção continua devendo um bom futebol. Espera-se que hoje, em Salvador, o time de Dunga volte a encantar. Pela história do treinador e pelo que se viu até agora, a equipe joga com o breque de mão puxado. Mesmo com a volta de Neymar em Buenos Aires, percebeu-se que o esquema tático privilegia primeiro a marcação. Em segundo lugar os jogadores devem pensar na... marcação!

Como décima prioridade, sei lá, tenta-se uma jogada de velocidade, um contra-ataque, alguma coisa para marcar um gol. Um gol, aquilo que o Parreira disse um dia que era um mero detalhe do futebol. E Dunga deve pensar da mesma forma.

Contra o Peru, com o empurrão da fanática e alegre torcida baiana, o Brasil será mais ofensivo. Aguarda-se o adversário mais cauteloso e se correr tudo bem, a vitória será conquistada.

Mesmo se o Brasil vencer, continuará em uma posição delicada na tabela de classificação. Serão quatro jogos, duas vitórias, um empate e uma derrota. Aproveitamento de 58%, o que, convenhamos, para uma Seleção pentacampeã mundial, é muito pouco.

Na coletiva de Dunga ainda em Buenos Aires, depois de quase perder para a desfalcada Argentina, ele deixou claro que a disputa das Eliminatórias será sofrida, como tem acontecido antes das últimas Copas. O que nos leva a alertar o torcedor para preparar o seu coração.

Decisão

O Brasileiro pode ser decidido na quinta-feira, mas ainda haverá muita disputa por outros objetivos. O Vasco da Gama, com toda sua história e tradição, tenta fugir do rebaixamento. Pelo menos quatro times lutam pela quarta posição do G-4. E na parte de baixo da tabela pouca coisa está resolvida. Portanto, tem muito jogo pela frente.

Represália

É óbvio que as autoridades russas não vão aceitar passivamente a punição imposta pela IAAF (Federação Internacional de Atletismo). A suspensão nas disputas internacionais por tempo indeterminado pode levar a exclusão dos atletas até dos Jogos Olímpicos do Rio.

Diante de tantas provas de doping encontradas, as autoridades esportivas estão sendo diplomáticas, apesar de medidas duras e justas, contra quem burla o resultado natural de uma disputa esportiva. Teme-se que se não conseguir reverter a punição, o governo russo articule com países aliados um boicote à Olimpíada do Rio de Janeiro, nos moldes dos tempos da Guerra Fria.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;