Fechar
Publicidade

Domingo, 7 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Opinião: Phubbing, mais do que falta de educação

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sérgio Vinícius
Do 33Giga

04/11/2020 | 19:48


*Por Vivaldo José Breternitz

Chamamos phubbing à situação em que uma pessoa presta mais atenção ao seu telefone celular do que a alguém com quem está interagindo.

A palavra deriva das expressões inglesas phone e snubbing, do verbo to snub, que pode ser traduzido neste contexto como ignorar ou esnobar.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Os pesquisadores italianos Luca Pancani, Paolo Riva, Tiziano Gerosa e Marco Gui, da Universidade de Milão, estudaram o assunto e publicaram no Journal of Social and Personal Relationships um artigo intitulado Mom, dad, look at me: The development of the Parental Phubbing Scale.

Os pesquisadores ouviram cerca de 3 mil adolescentes de 15 e 16 anos, procurando descobrir se e como eles são impactados por phubbing praticado por seus pais.

Os resultados não foram bons: o phubbing afeta negativamente o bem estar psicológico dos jovens e a forma com que se relacionam com outras pessoas, podendo mesmo levar ao desenvolvimento de sintomas de depressão.

Leia mais:
Qual a primeira foto no Instagram de 50 celebridades?
50 perfis do Instagram para quem gosta de cozinhar

Os pesquisadores lembram que o uso cada vez mais intenso dos smartphones tende a tornar o fenômeno ainda mais grave e que não apenas adolescentes podem ser afetados.

Podemos classificar o phubbing como pura e simples falta de educação, que gera desconforto, mas devemos nos conscientizar que os males que causam podem ser ainda maiores.

É sempre oportuno falarmos sobre o assunto, na esperança que a evolução das normas de comportamento limite sua prática.

*Vivaldo José Breternitz, doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Opinião: Phubbing, mais do que falta de educação

Sérgio Vinícius
Do 33Giga

04/11/2020 | 19:48


*Por Vivaldo José Breternitz

Chamamos phubbing à situação em que uma pessoa presta mais atenção ao seu telefone celular do que a alguém com quem está interagindo.

A palavra deriva das expressões inglesas phone e snubbing, do verbo to snub, que pode ser traduzido neste contexto como ignorar ou esnobar.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Os pesquisadores italianos Luca Pancani, Paolo Riva, Tiziano Gerosa e Marco Gui, da Universidade de Milão, estudaram o assunto e publicaram no Journal of Social and Personal Relationships um artigo intitulado Mom, dad, look at me: The development of the Parental Phubbing Scale.

Os pesquisadores ouviram cerca de 3 mil adolescentes de 15 e 16 anos, procurando descobrir se e como eles são impactados por phubbing praticado por seus pais.

Os resultados não foram bons: o phubbing afeta negativamente o bem estar psicológico dos jovens e a forma com que se relacionam com outras pessoas, podendo mesmo levar ao desenvolvimento de sintomas de depressão.

Leia mais:
Qual a primeira foto no Instagram de 50 celebridades?
50 perfis do Instagram para quem gosta de cozinhar

Os pesquisadores lembram que o uso cada vez mais intenso dos smartphones tende a tornar o fenômeno ainda mais grave e que não apenas adolescentes podem ser afetados.

Podemos classificar o phubbing como pura e simples falta de educação, que gera desconforto, mas devemos nos conscientizar que os males que causam podem ser ainda maiores.

É sempre oportuno falarmos sobre o assunto, na esperança que a evolução das normas de comportamento limite sua prática.

*Vivaldo José Breternitz, doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;