Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Pai do cinema independente tem cinco filmes relançados



10/03/2010 | 07:00


Os EUA da beat generation e do free jazz encontraram na figura do ator e diretor John Cassavetes (1929-1989) seu melhor intérprete. O pai dos cineastas independentes é homenageado pelo selo Cinemax (Continental) com duas caixas de DVDs que trazem cinco de suas principais obras.

Na primeira estão seus filmes de estreia, "Sombras" (1959), "Faces" (1968) e "A Morte de Um Bookmaker Chinês" (1976). A segunda caixa reúne "Uma Mulher sob Influência" (1974) e "Noite de Estreia" (1976).

Visionário, há meio século ele ousou filmar relações inter-raciais quando o assunto era tabu nos EUA, tendo como pano de fundo a cena jazzística em Manhattan e a desesperança da geração beat, cujos representantes são reduzidos a aparições em Sombras. Nele, três irmãos afro-americanos lutam para realizar projetos pessoais fadados ao fracasso.

Em Faces, Cassavetes não se mostra menos pessimista. Aqui, ele fala da falência de um casamento de 14 anos num país que mergulhava numa guerra suja (a do Vietnã) e testemunhava o advento da filosofia hippie. A desintegração do casal é retratada de maneira crua em close-ups e preto e branco. Completa a primeira caixa o terceiro título, A Morte de Um Bookmaker Chinês, noir fragmentado sobre o proprietário de um clube noturno forçado a cometer um crime.

A segunda caixa traz como protagonista a mulher do diretor, Gena Rowlands, em duas obras-primas de Cassavetes. Em "Uma Mulher sob Influência", ela interpreta uma dona de casa de classe média baixa. Já em "Noite de Estreia", Gena é promovida à condição de diva do teatro. Em ambos os casos, porém, as duas mulheres estão à beira de um ataque de nervos.

No primeiro, o marido de Mabel, mãe de três filhos, tenta lidar com a instabilidade mental da mulher. No segundo, "Noite de Estreia", são os companheiros de teatro de uma prima-dona que tentam contornar as excentricidades da atriz em sua luta inglória contra a velhice. Dois exemplos da sensibilidade de um autor independente e acima da média.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pai do cinema independente tem cinco filmes relançados


10/03/2010 | 07:00


Os EUA da beat generation e do free jazz encontraram na figura do ator e diretor John Cassavetes (1929-1989) seu melhor intérprete. O pai dos cineastas independentes é homenageado pelo selo Cinemax (Continental) com duas caixas de DVDs que trazem cinco de suas principais obras.

Na primeira estão seus filmes de estreia, "Sombras" (1959), "Faces" (1968) e "A Morte de Um Bookmaker Chinês" (1976). A segunda caixa reúne "Uma Mulher sob Influência" (1974) e "Noite de Estreia" (1976).

Visionário, há meio século ele ousou filmar relações inter-raciais quando o assunto era tabu nos EUA, tendo como pano de fundo a cena jazzística em Manhattan e a desesperança da geração beat, cujos representantes são reduzidos a aparições em Sombras. Nele, três irmãos afro-americanos lutam para realizar projetos pessoais fadados ao fracasso.

Em Faces, Cassavetes não se mostra menos pessimista. Aqui, ele fala da falência de um casamento de 14 anos num país que mergulhava numa guerra suja (a do Vietnã) e testemunhava o advento da filosofia hippie. A desintegração do casal é retratada de maneira crua em close-ups e preto e branco. Completa a primeira caixa o terceiro título, A Morte de Um Bookmaker Chinês, noir fragmentado sobre o proprietário de um clube noturno forçado a cometer um crime.

A segunda caixa traz como protagonista a mulher do diretor, Gena Rowlands, em duas obras-primas de Cassavetes. Em "Uma Mulher sob Influência", ela interpreta uma dona de casa de classe média baixa. Já em "Noite de Estreia", Gena é promovida à condição de diva do teatro. Em ambos os casos, porém, as duas mulheres estão à beira de um ataque de nervos.

No primeiro, o marido de Mabel, mãe de três filhos, tenta lidar com a instabilidade mental da mulher. No segundo, "Noite de Estreia", são os companheiros de teatro de uma prima-dona que tentam contornar as excentricidades da atriz em sua luta inglória contra a velhice. Dois exemplos da sensibilidade de um autor independente e acima da média.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;