Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Mãe de menino ferido viaja para o Líbano


Do Diário OnLine

14/10/2003 | 08:36


A mãe do menino brasileiro ferido em um bombardeio no Líbano, na semana passada, embarcou na noite de segunda-feira para reencontrá-lo. Ahmed Ali, 4 anos, ficou gravemente ferido quando um míssil atingiu a casa onde morava com os avós em Hula, no sul do país. Seu irmão, Ali Nader Yassine, 5 anos, morreu no ataque.

Sandra Bispo mora no Guarujá, no litoral sul de São Paulo. Ela e o ex-marido, Nader Kamel Yassine, se separaram em novembro do ano passado e concordaram em enviar os filhos para morar com os avós paternos. Segundo a mãe, o casal optou por mandar os garotos para Hula por julgar que se tratava de um lugar tranqüilo.

Logo após o ataque, o consulado libanês havia informado que Ahmed teria que amputar a perna. Porém, depois de duas cirurgias, os médicos afastaram o risco do garoto ser mutilado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mãe de menino ferido viaja para o Líbano

Do Diário OnLine

14/10/2003 | 08:36


A mãe do menino brasileiro ferido em um bombardeio no Líbano, na semana passada, embarcou na noite de segunda-feira para reencontrá-lo. Ahmed Ali, 4 anos, ficou gravemente ferido quando um míssil atingiu a casa onde morava com os avós em Hula, no sul do país. Seu irmão, Ali Nader Yassine, 5 anos, morreu no ataque.

Sandra Bispo mora no Guarujá, no litoral sul de São Paulo. Ela e o ex-marido, Nader Kamel Yassine, se separaram em novembro do ano passado e concordaram em enviar os filhos para morar com os avós paternos. Segundo a mãe, o casal optou por mandar os garotos para Hula por julgar que se tratava de um lugar tranqüilo.

Logo após o ataque, o consulado libanês havia informado que Ahmed teria que amputar a perna. Porém, depois de duas cirurgias, os médicos afastaram o risco do garoto ser mutilado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;