Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Greve de aeroviários impede acesso a aeroportos em Paris


Do Diário do Grande ABC

14/10/1999 | 10:49


Uma greve dos aeroviários impedia nesta quinta-feira os acesso aos principais aeroportos de Paris.

A categoria reivindica dos patroes o início de negociaçoes sobre a semana de trabalho de 35 horas, que entrará em vigor em 2000.

Conforme informaçoes da Direçao dos Aeroportos Afiliados, os quatro principais sindicatos bloquearam os caminhos que conduzem aos aeroportos de Orly e Charles de Gaulle, obrigando os motoristas a deixar seus veículos e seguir a pé até os terminais.

Muitos vôos também foram atrasados e muitos grevistas participaram de ruidosos protestos dentro dos terminais, provocando uma situaçao caótica que representa grandes transtornos para o público.

Esta é a segunda greve em menos de uma semana feitas pelos aeroviários

Os trabalhadores se opoem à forma de como a administraçao dos aeroportos pretendem pôr em prática a semana de trabalho de 35 horas, determinaçao que as empresas que tenham mais de 20 anos empregados terao que cumprir a partir de 1.º de janeiro do ano que vem.

As empresas, no entanto, possuem flexibilidade para decidir como aplicarao a medida.

Os aeroportos parisienses propuseram que os funcionários ganhem mais tempo livre durante a baixa temporada, em vez de repartir essas horas durante a semana.

Porém, os sindicatos sao contrários ao plano e acusando seus patroes de recusarem a ouvir suas reivindicaçoes.

O pessoal de terra começou cedo a paralisaçao na manha desta quinta-feira.

O fechamento de várias pistas em ambos os aeroportos foi uma das medidas que os trabalhadores realizaram nesta manha.Porém, o sindicato patronal declarou que pretende esperar que a situaçao volte ao normal.

O governo francês espera que com a lei da semana de trabalho reduzida, aprovada em 1998, as companhias contratem mais funcionários a fim de manter o mesmo nível de produtividade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Greve de aeroviários impede acesso a aeroportos em Paris

Do Diário do Grande ABC

14/10/1999 | 10:49


Uma greve dos aeroviários impedia nesta quinta-feira os acesso aos principais aeroportos de Paris.

A categoria reivindica dos patroes o início de negociaçoes sobre a semana de trabalho de 35 horas, que entrará em vigor em 2000.

Conforme informaçoes da Direçao dos Aeroportos Afiliados, os quatro principais sindicatos bloquearam os caminhos que conduzem aos aeroportos de Orly e Charles de Gaulle, obrigando os motoristas a deixar seus veículos e seguir a pé até os terminais.

Muitos vôos também foram atrasados e muitos grevistas participaram de ruidosos protestos dentro dos terminais, provocando uma situaçao caótica que representa grandes transtornos para o público.

Esta é a segunda greve em menos de uma semana feitas pelos aeroviários

Os trabalhadores se opoem à forma de como a administraçao dos aeroportos pretendem pôr em prática a semana de trabalho de 35 horas, determinaçao que as empresas que tenham mais de 20 anos empregados terao que cumprir a partir de 1.º de janeiro do ano que vem.

As empresas, no entanto, possuem flexibilidade para decidir como aplicarao a medida.

Os aeroportos parisienses propuseram que os funcionários ganhem mais tempo livre durante a baixa temporada, em vez de repartir essas horas durante a semana.

Porém, os sindicatos sao contrários ao plano e acusando seus patroes de recusarem a ouvir suas reivindicaçoes.

O pessoal de terra começou cedo a paralisaçao na manha desta quinta-feira.

O fechamento de várias pistas em ambos os aeroportos foi uma das medidas que os trabalhadores realizaram nesta manha.Porém, o sindicato patronal declarou que pretende esperar que a situaçao volte ao normal.

O governo francês espera que com a lei da semana de trabalho reduzida, aprovada em 1998, as companhias contratem mais funcionários a fim de manter o mesmo nível de produtividade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;