Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Acesso no Jardim Silvina segue aberto; caminhão da Prefeitura é flagrado

Problema foi denunciado pelo Diário, mas conserto não foi realizado


Renata Rocha
Especial para o Diário

14/10/2014 | 07:00


O atalho irregular da Via Anchieta ao Jardim Silvina, em São Bernardo, denunciado na semana passada em reportagem do Diário, continua aberto. Assim como na quinta-feira, quando a equipe esteve no local, novamente foi flagrado veículo que presta serviço para a Prefeitura utilizando o acesso. Desta vez, um caminhão passou, na manhã de ontem, pelo guard-rail quebrado.

O ponto onde falta a mureta está localizado na alça da saída 26 da rodovia e passa pelo Viaduto Augusto Batistini Demarchi. O acesso ao Jardim Calux, também na Via Anchieta, apresenta o mesmo problema.

Segundo os moradores, o atalho do Silvina está ali há anos e é utilizado para economizar tempo, já que, sem ele, seria necessário percorrer cerca de dois quilômetros até a entrada do bairro pela Rua Pedro Zolcsak, que fica a cerca de 500 metros do ponto irregular. “Aqui aconteceram vários acidentes. É comum vermos muitos caminhões entrando e saindo. Já passou da hora de consertar e vigiar. Se quebrarem de novo, é só multar o motorista que passar pelo acesso”, disse a dona de casa Marines Cruz, 51 anos.

Além do caminhão da Prefeitura flagrado pela reportagem, ontem diversos carros passaram pelo atalho. A entrada dos veículos na Via Anchieta é dificultada pela velocidade dos automóveis que já estão na rodovia. Nada disso impede os condutores, que esperam o momento oportuno para acessar a via ou o bairro.

Para o aposentado Francisco Rossi Pereira, 63, os moradores tinham que ter mais consciência, já que podem causar um acidente. “Não basta só os motoristas fazerem o que é certo. É necessário arrumar o guard-rail.”

Procurada para saber quando o conserto será feito, a Prefeitura não retornou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Acesso no Jardim Silvina segue aberto; caminhão da Prefeitura é flagrado

Problema foi denunciado pelo Diário, mas conserto não foi realizado

Renata Rocha
Especial para o Diário

14/10/2014 | 07:00


O atalho irregular da Via Anchieta ao Jardim Silvina, em São Bernardo, denunciado na semana passada em reportagem do Diário, continua aberto. Assim como na quinta-feira, quando a equipe esteve no local, novamente foi flagrado veículo que presta serviço para a Prefeitura utilizando o acesso. Desta vez, um caminhão passou, na manhã de ontem, pelo guard-rail quebrado.

O ponto onde falta a mureta está localizado na alça da saída 26 da rodovia e passa pelo Viaduto Augusto Batistini Demarchi. O acesso ao Jardim Calux, também na Via Anchieta, apresenta o mesmo problema.

Segundo os moradores, o atalho do Silvina está ali há anos e é utilizado para economizar tempo, já que, sem ele, seria necessário percorrer cerca de dois quilômetros até a entrada do bairro pela Rua Pedro Zolcsak, que fica a cerca de 500 metros do ponto irregular. “Aqui aconteceram vários acidentes. É comum vermos muitos caminhões entrando e saindo. Já passou da hora de consertar e vigiar. Se quebrarem de novo, é só multar o motorista que passar pelo acesso”, disse a dona de casa Marines Cruz, 51 anos.

Além do caminhão da Prefeitura flagrado pela reportagem, ontem diversos carros passaram pelo atalho. A entrada dos veículos na Via Anchieta é dificultada pela velocidade dos automóveis que já estão na rodovia. Nada disso impede os condutores, que esperam o momento oportuno para acessar a via ou o bairro.

Para o aposentado Francisco Rossi Pereira, 63, os moradores tinham que ter mais consciência, já que podem causar um acidente. “Não basta só os motoristas fazerem o que é certo. É necessário arrumar o guard-rail.”

Procurada para saber quando o conserto será feito, a Prefeitura não retornou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;