Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Deputado defende interdiçao a turistas gays na Turquia


Do Diário do Grande ABC

08/09/2000 | 12:26


Um deputado turco de extrema-direita defendeu a interdiçao feita na última quarta-feira a um grupo de turistas gays americanos, franceses e britânicos de entrar na estaçao balneária turca de Kusadasi, repudiando o que, segundo ele, seriam homossexuais importados.

``Nao podemos aceitar na Turquia esse tipo de gente. Turismo nao quer dizer degeneraçao'', declarou Mehmet Gul, deputado influente do partido de Açao Nacionalista (MHP), membro da coalizao governamental turca.

Os 850 turistas, chegados a bordo do navio Olympic Voyager, foram notificados pela polícia de que nao poderiam visitar o templo de Efeso, perto de Kusadasi, em razao de uma circular do Ministério do Interior.

O navio seguiu para Istambul, onde os passageiros puderam visitar a cidade sob vigilância policial.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Deputado defende interdiçao a turistas gays na Turquia

Do Diário do Grande ABC

08/09/2000 | 12:26


Um deputado turco de extrema-direita defendeu a interdiçao feita na última quarta-feira a um grupo de turistas gays americanos, franceses e britânicos de entrar na estaçao balneária turca de Kusadasi, repudiando o que, segundo ele, seriam homossexuais importados.

``Nao podemos aceitar na Turquia esse tipo de gente. Turismo nao quer dizer degeneraçao'', declarou Mehmet Gul, deputado influente do partido de Açao Nacionalista (MHP), membro da coalizao governamental turca.

Os 850 turistas, chegados a bordo do navio Olympic Voyager, foram notificados pela polícia de que nao poderiam visitar o templo de Efeso, perto de Kusadasi, em razao de uma circular do Ministério do Interior.

O navio seguiu para Istambul, onde os passageiros puderam visitar a cidade sob vigilância policial.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;