Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Copa beneficia 14 mil
pequenas do Grande ABC


Soraia Abreu Pedroso
Do Diário do Grande ABC

13/09/2011 | 07:19


A realização da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, vai gerar oportunidades de negócio também para as micro e pequenas empresas do Grande ABC. Levantamento do Sebrae realizado em parceria com a Fundação Getulio Vargas identificou que, na região, 14.162 MPEs têm chances de crescimento econômico com a chegada do Mundial de futebol - o número representa 5% das 300 mil micro e pequenas que serão beneficiadas em todo o Estado de São Paulo.

Os setores que mais devem se destacar no Grande ABC para atender à demanda criada pelo evento são madeira e móveis, tecnologia da informação e turismo, avalia a gerente regional do Sebrae, Josephina Irene Cardelli. "São segmentos com forte atuação na região. Temos muitas empresas moveleiras concentradas em São Bernardo e de tecnologia em São Caetano, por exemplo. Além disso, Ribeirão Pires já vem atuando como uma cidade turística, o que poderá ser mais explorado", explica.

O comércio varejista da região, destaca Josephina, também poderá ser melhor trabalhado, a fim de participar das oportunidades proporcionadas pela Copa. EM

Segundo a gerente regional, devem ser organizados nos próximos meses fóruns para discutir o que pode ser feito, efetivamente, pelas micro e pequenas empresas da região. "Vamos trabalhar não somente o período que precede o mundial, mas o durante e o depois. É importante dar continuidade a esses investimentos, se preparando também para a Olimpíada de 2016 e outros eventos esportivos."

VIZINHO - De acordo com o levantamento, devido à proximidade com o bairro de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, onde está sendo construído estádio do Corinthians, candidato a sediar a abertura da copa, o município de Mauá deverá ser o mais beneficiado da região. Foram mapeados na cidade 7.399 estabelecimentos, sendo 3.781 de comércio, 2.274 de serviços e 1.344 na indústria.

As MPEs de São Bernardo e Santo André também têm grandes chances por conta da disputa dessas cidades para se tornarem subsedes do mundial, e receberem alguma seleção durante a Copa. Isso demandaria infraestrutura de hotéis, restaurantes, serviços de locação de automóveis e vans, por exemplo. Porém, os nomes só deverão ser definidos no fim do ano que vem.

O vice-governador do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, revela que haverá política de incentivo para pequenas empresas de manufatura que se deslocarem para Itaquera. "O bairro é um dos mais populosos da cidade e é um dos que geram menos emprego. Queremos torná-lo um polo fornecedor de mão de obra, para empregar as pessoas que moram por lá."

ESTADO - O mapa de oportunidades de negócios para Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede da Copa foi lançado ontem, no Estádio do Pacaembu. Em todo o Estado deverão ser beneficiadas 300 mil micro e pequenas empresas, sendo 113 mil na Capital.

Para o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, as MPEs têm de entender que a Copa do Mundo já começou. "É fundamental cuidar da formalização do negócio para participar", afirma. "Haverá espaço para hotéis, bares, pousadas, escolas de tradução de línguas, fabricantes de gelo, prestadores de serviços que realizam shows pirotécnicos, que fornecem câmeras e luz, entre muitos outros."

Foram identificados pelo estudo nove setores com maior potencial: construção civil, tecnologia da informação, madeira e móveis, têxtil e vestuário, turismo, produção associação ao turismo, comércio varejista, agronegócios e serviços.

A pesquisa aponta 456 oportunidades de negócios (a maioria em TI, agronegócios e turismo), que devem movimentar R$ 10 bilhões. Até 2013, o Sebrae vai investir R$ 80 milhões em iniciativas para possibilitar que os pequenos negócios se tornem mais competitivos.

 

Dúvidas podem ser tiradas pelo 0800 570 0800 ou pelo site www.sebraesp.com.br. No Grande ABC, o escritório regional fica em Santo andré, na Rua Cel. Fernando Prestes, 47, Centro. O telefone é 4990-1911.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Copa beneficia 14 mil
pequenas do Grande ABC

Soraia Abreu Pedroso
Do Diário do Grande ABC

13/09/2011 | 07:19


A realização da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, vai gerar oportunidades de negócio também para as micro e pequenas empresas do Grande ABC. Levantamento do Sebrae realizado em parceria com a Fundação Getulio Vargas identificou que, na região, 14.162 MPEs têm chances de crescimento econômico com a chegada do Mundial de futebol - o número representa 5% das 300 mil micro e pequenas que serão beneficiadas em todo o Estado de São Paulo.

Os setores que mais devem se destacar no Grande ABC para atender à demanda criada pelo evento são madeira e móveis, tecnologia da informação e turismo, avalia a gerente regional do Sebrae, Josephina Irene Cardelli. "São segmentos com forte atuação na região. Temos muitas empresas moveleiras concentradas em São Bernardo e de tecnologia em São Caetano, por exemplo. Além disso, Ribeirão Pires já vem atuando como uma cidade turística, o que poderá ser mais explorado", explica.

O comércio varejista da região, destaca Josephina, também poderá ser melhor trabalhado, a fim de participar das oportunidades proporcionadas pela Copa. EM

Segundo a gerente regional, devem ser organizados nos próximos meses fóruns para discutir o que pode ser feito, efetivamente, pelas micro e pequenas empresas da região. "Vamos trabalhar não somente o período que precede o mundial, mas o durante e o depois. É importante dar continuidade a esses investimentos, se preparando também para a Olimpíada de 2016 e outros eventos esportivos."

VIZINHO - De acordo com o levantamento, devido à proximidade com o bairro de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, onde está sendo construído estádio do Corinthians, candidato a sediar a abertura da copa, o município de Mauá deverá ser o mais beneficiado da região. Foram mapeados na cidade 7.399 estabelecimentos, sendo 3.781 de comércio, 2.274 de serviços e 1.344 na indústria.

As MPEs de São Bernardo e Santo André também têm grandes chances por conta da disputa dessas cidades para se tornarem subsedes do mundial, e receberem alguma seleção durante a Copa. Isso demandaria infraestrutura de hotéis, restaurantes, serviços de locação de automóveis e vans, por exemplo. Porém, os nomes só deverão ser definidos no fim do ano que vem.

O vice-governador do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, revela que haverá política de incentivo para pequenas empresas de manufatura que se deslocarem para Itaquera. "O bairro é um dos mais populosos da cidade e é um dos que geram menos emprego. Queremos torná-lo um polo fornecedor de mão de obra, para empregar as pessoas que moram por lá."

ESTADO - O mapa de oportunidades de negócios para Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede da Copa foi lançado ontem, no Estádio do Pacaembu. Em todo o Estado deverão ser beneficiadas 300 mil micro e pequenas empresas, sendo 113 mil na Capital.

Para o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, as MPEs têm de entender que a Copa do Mundo já começou. "É fundamental cuidar da formalização do negócio para participar", afirma. "Haverá espaço para hotéis, bares, pousadas, escolas de tradução de línguas, fabricantes de gelo, prestadores de serviços que realizam shows pirotécnicos, que fornecem câmeras e luz, entre muitos outros."

Foram identificados pelo estudo nove setores com maior potencial: construção civil, tecnologia da informação, madeira e móveis, têxtil e vestuário, turismo, produção associação ao turismo, comércio varejista, agronegócios e serviços.

A pesquisa aponta 456 oportunidades de negócios (a maioria em TI, agronegócios e turismo), que devem movimentar R$ 10 bilhões. Até 2013, o Sebrae vai investir R$ 80 milhões em iniciativas para possibilitar que os pequenos negócios se tornem mais competitivos.

 

Dúvidas podem ser tiradas pelo 0800 570 0800 ou pelo site www.sebraesp.com.br. No Grande ABC, o escritório regional fica em Santo andré, na Rua Cel. Fernando Prestes, 47, Centro. O telefone é 4990-1911.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;