Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Critério na venda de ingressos põe torcedor em risco no Brunão

Responsável pela comercialização não distingue andreenses de flamenguistas e preocupa público


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

23/05/2009 | 07:00


Ao torcedor que for ao Estádio Bruno Daniel neste domingo assistir ao jogo entre Santo André e Flamengo um alerta: atenção ao local destinado a andreenses e flamenguistas. Denúncia feita pelos líderes das torcidas organizadas do Ramalhão, Renato Ramos, da Fúria, e Ovídio Simpionato, da Tuda, indica imprudência na comercialização dos ingressos, o que põe em risco a segurança do público.

"Quando os torcedores chegavam para comprar as entradas, as bilheteiras não distinguiam o setor do Flamengo e o do Santo André, e muitos andreenses adquiriram bilhetes para a arquibancada (destinada aos visitantes)", revelou Renato Ramos, que compareceu ao treinamento de ontem à tarde, no estádio, ao lado de 70 outros torcedores para prestigiar a equipe.

"Quem sempre vem ao Bruno Daniel sabe que a cadeira coberta é o setor do Santo André e a arquibancada é do visitante, mas esse é um jogo diferente e pode dar confusão", emendou Ovídio.

O diretor de futebol do Santo André, Juraci Catarino, afirmou que a responsável pela venda é a BWA (que processa e distribui os ingressos) - os representantes da empresa não foram localizados. Pelo lado dos militares, o sargento Magalhães esclareceu que os policiais nada têm a ver com o problema. "Isso é responsabilidade do clube. A nossa é fazer a segurança do evento", disse.

O artigo 74 do Regulamento Geral das Competições da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) determina que "Os ingressos das partidas deverão ser padronizados, cabendo à federação local supervisionar sua emissão, cuja responsabilidade direta pertence aos clubes mandantes."

Portanto, o Santo André é quem deve tomar providências quanto a venda dos bilhetes. Assim, para a hora do jogo, os torcedores dão sugestões. "Recomendo que todos cheguem cedo, com a camisa do time e procure funcionários do clube ou a própria polícia para se informar do setor correto para cada torcida", disse Renato Ramos.

Nova lesão impede estreia de Rodrigo Fabri

A maré não está a favor do meia-atacante Rodrigo Fabri. Um dos principais reforços do Santo André para a disputa do Campeonato Brasileiro, o jogador sofre com frequentes lesões que o impedem de estrear.

Depois de chegar e ter problemas musculares na coxa direita, no início da semana o departamento médico o liberou para o jogo de amanhã, contra o Flamengo. No entanto, inflamação no mesmo local, o deixará de molho por mais alguns dias.

"Ele está com a musculatura inflamada e deve ser poupado por mais três ou quatro dias antes de voltar a treinar normalmente com o elenco", explicou o médico Eduardo Almeida. "Ele ficou muito tempo parado, é normal que isso aconteça", emendou.

A perspectiva para a estreia de Fabri é de mais uma semana, no dia 30, contra o Atlético Mineiro, no Estádio do Mineirão. "Vamos trabalhar visando essa partida", concluiu o médico.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Critério na venda de ingressos põe torcedor em risco no Brunão

Responsável pela comercialização não distingue andreenses de flamenguistas e preocupa público

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

23/05/2009 | 07:00


Ao torcedor que for ao Estádio Bruno Daniel neste domingo assistir ao jogo entre Santo André e Flamengo um alerta: atenção ao local destinado a andreenses e flamenguistas. Denúncia feita pelos líderes das torcidas organizadas do Ramalhão, Renato Ramos, da Fúria, e Ovídio Simpionato, da Tuda, indica imprudência na comercialização dos ingressos, o que põe em risco a segurança do público.

"Quando os torcedores chegavam para comprar as entradas, as bilheteiras não distinguiam o setor do Flamengo e o do Santo André, e muitos andreenses adquiriram bilhetes para a arquibancada (destinada aos visitantes)", revelou Renato Ramos, que compareceu ao treinamento de ontem à tarde, no estádio, ao lado de 70 outros torcedores para prestigiar a equipe.

"Quem sempre vem ao Bruno Daniel sabe que a cadeira coberta é o setor do Santo André e a arquibancada é do visitante, mas esse é um jogo diferente e pode dar confusão", emendou Ovídio.

O diretor de futebol do Santo André, Juraci Catarino, afirmou que a responsável pela venda é a BWA (que processa e distribui os ingressos) - os representantes da empresa não foram localizados. Pelo lado dos militares, o sargento Magalhães esclareceu que os policiais nada têm a ver com o problema. "Isso é responsabilidade do clube. A nossa é fazer a segurança do evento", disse.

O artigo 74 do Regulamento Geral das Competições da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) determina que "Os ingressos das partidas deverão ser padronizados, cabendo à federação local supervisionar sua emissão, cuja responsabilidade direta pertence aos clubes mandantes."

Portanto, o Santo André é quem deve tomar providências quanto a venda dos bilhetes. Assim, para a hora do jogo, os torcedores dão sugestões. "Recomendo que todos cheguem cedo, com a camisa do time e procure funcionários do clube ou a própria polícia para se informar do setor correto para cada torcida", disse Renato Ramos.

Nova lesão impede estreia de Rodrigo Fabri

A maré não está a favor do meia-atacante Rodrigo Fabri. Um dos principais reforços do Santo André para a disputa do Campeonato Brasileiro, o jogador sofre com frequentes lesões que o impedem de estrear.

Depois de chegar e ter problemas musculares na coxa direita, no início da semana o departamento médico o liberou para o jogo de amanhã, contra o Flamengo. No entanto, inflamação no mesmo local, o deixará de molho por mais alguns dias.

"Ele está com a musculatura inflamada e deve ser poupado por mais três ou quatro dias antes de voltar a treinar normalmente com o elenco", explicou o médico Eduardo Almeida. "Ele ficou muito tempo parado, é normal que isso aconteça", emendou.

A perspectiva para a estreia de Fabri é de mais uma semana, no dia 30, contra o Atlético Mineiro, no Estádio do Mineirão. "Vamos trabalhar visando essa partida", concluiu o médico.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;