Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Maranhão tenta agenda com Padilha


Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

16/01/2013 | 07:00


 

O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (PSDB), vai a Brasília em busca de reunião com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para iniciar processo de instalação da UPA (Unidade de Pronto Atendimento 24 horas) na cidade.

O tucano pretende aproveitar o Congresso de Prefeitos, que será realizado nos dias 28 e 29, para tentar se encontrar com o ministro. "Quero ver se consigo me encontrar com o Alexandre Padilha e pedir que ele libere o Siconv (Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal) para que a inscrição da cidade seja feita", afirmou.

A rede de dados da União precisa estar liberada para que a Prefeitura se cadastre e manifeste interesse em ter uma UPA na cidade. "Atualmente estamos impossibilitados, principalmente porque nosso município tem menos de 50 mil habitantes", disse.

A resolução 2.648, de novembro de 2011, define que o projeto só pode ser implantado em cidades com mais de 50 mil habitantes. Rio Grande possui 45.014 moradores, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2010.

Para cidades com esse perfil, o Ministério da Saúde oferece projeto denominado Salas de Estabilização com a presença de um médico generalista e no mínimo dois leitos, segundo a resolução 2.338, de outubro de 2011. Maranhão pretende conversar com Padilha para tentar viabilizar a UPA, apesar das resoluções publicadas.

A implantação do equipamento de Saúde foi um dos temas mais polêmicos durante a campanha eleitoral. Durante comício do ex-prefeiturável Claudinho da Geladeira (PT), o ministro prometeu uma UPA na cidade, caso o petista fosse eleito. O tucano, na época, criticou a postura de Padilha e se comprometeu em buscar o equipamento.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;