Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 3 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lauro prepara veto à exigência do Carnaval

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Emenda de Maninho separava recurso da LDO para realização da Folia em Diadema em 2015


Júnior Carvalho
Especial para o Diário

12/07/2014 | 07:00


O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), vai vetar a emenda à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) aprovada pela Câmara na quinta-feira que separa recursos para realização do Carnaval em 2015. A alteração é de autoria do presidente da Casa, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), que prevê reserva de R$ 1 milhão no Orçamento para a festa popular.

A proposta de Maninho, ratificada pela Casa, obriga o Paço a retomar as subvenções às escolas de samba na Folia do próximo ano. O repasse está suspenso desde 2013.

Embora haja intenção de vetar a emenda, o governo pode esbarrar em questões jurídicas, já que a alteração foi ratificada pela Câmara – poder independente ao Executivo. Caso isso ocorra, Lauro se prepara para diminuir a força do pedido de Maninho, incluindo na reserva orçamentária realização de outras festas populares – como o arraial.

Outra emenda de Maninho que deverá ser derrubada por Lauro diz respeito ao acréscimo de R$ 3 milhões no montante destinado à Câmara no próximo ano. A LDO do verde prevê repasse de R$ 30,8 milhões ao Legislativo em 2015, mas o petista alega que as despesas para o próximo ano serão maiores e que o valor estabelecido pelo governo é “obviamente insuficiente.”

As duas emendas de Maninho e mais 14 mudanças na LDO passaram com tranquilidade na sessão de quinta-feira. A única alteração rejeitada pela Casa foi a proposta do vereador Ricardo Yoshio (PRB) em ressuscitar o OP (Orçamento Participativo), política de administrações petistas. A medida obrigaria o Paço a realizar audiências públicas cinco regiões da cidade.

Desde que assumiu o Paço, em 2013, Lauro não empenhou recursos para organizar o tradicional desfile das escolas de samba. O verde argumenta que o TCE (Tribunal de Contas do Estado) tem questionado a prestação de contas dos repasses às agremiações.

OBRIGATÓRIO
A Câmara também aprovou na quinta-feira projeto de Maninho que torna obrigatória a execução das programações previstas na peça orçamentária, denominado orçamento impositivo. A mesma medida foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional e também obriga o Paço a cumprir as emendas propostas pelos vereadores.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lauro prepara veto à exigência do Carnaval

Emenda de Maninho separava recurso da LDO para realização da Folia em Diadema em 2015

Júnior Carvalho
Especial para o Diário

12/07/2014 | 07:00


O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), vai vetar a emenda à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) aprovada pela Câmara na quinta-feira que separa recursos para realização do Carnaval em 2015. A alteração é de autoria do presidente da Casa, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), que prevê reserva de R$ 1 milhão no Orçamento para a festa popular.

A proposta de Maninho, ratificada pela Casa, obriga o Paço a retomar as subvenções às escolas de samba na Folia do próximo ano. O repasse está suspenso desde 2013.

Embora haja intenção de vetar a emenda, o governo pode esbarrar em questões jurídicas, já que a alteração foi ratificada pela Câmara – poder independente ao Executivo. Caso isso ocorra, Lauro se prepara para diminuir a força do pedido de Maninho, incluindo na reserva orçamentária realização de outras festas populares – como o arraial.

Outra emenda de Maninho que deverá ser derrubada por Lauro diz respeito ao acréscimo de R$ 3 milhões no montante destinado à Câmara no próximo ano. A LDO do verde prevê repasse de R$ 30,8 milhões ao Legislativo em 2015, mas o petista alega que as despesas para o próximo ano serão maiores e que o valor estabelecido pelo governo é “obviamente insuficiente.”

As duas emendas de Maninho e mais 14 mudanças na LDO passaram com tranquilidade na sessão de quinta-feira. A única alteração rejeitada pela Casa foi a proposta do vereador Ricardo Yoshio (PRB) em ressuscitar o OP (Orçamento Participativo), política de administrações petistas. A medida obrigaria o Paço a realizar audiências públicas cinco regiões da cidade.

Desde que assumiu o Paço, em 2013, Lauro não empenhou recursos para organizar o tradicional desfile das escolas de samba. O verde argumenta que o TCE (Tribunal de Contas do Estado) tem questionado a prestação de contas dos repasses às agremiações.

OBRIGATÓRIO
A Câmara também aprovou na quinta-feira projeto de Maninho que torna obrigatória a execução das programações previstas na peça orçamentária, denominado orçamento impositivo. A mesma medida foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional e também obriga o Paço a cumprir as emendas propostas pelos vereadores.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;