Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Viagem pela história da Mercedes


Marcelo Monegato
Enviado a Stuttgart

14/11/2012 | 07:00


Dizem que o povo brasileiro não tem memória. Quando o assunto é automóveis e automobilismo temos, infelizmente, que admitir que está afirmação é mais que verdadeira. Atualmente quarto maior mercado automotivo do mundo, o Brasil vive de contar sua história sobre rodas a partir de ações isoladas de verdadeiros Dom Quixotes que tentam, contra tudo e contra muitos, manter pequenos acervos. Ah se por aqui todos pensassem como a Mercedes-Benz.

Durante viagem à Alemanha, o Diário teve a oportunidade de visitar na cidade de Stuttgart o museu da fabricante alemã, responsável pela invenção do automóvel - isso há mais de 125 anos. Portanto, mais que uma viagem pelo legado da Mercedes-Benz, tivemos a oportunidade de mergulhar na história da máquina que transformou costumes e comportamentos de toda a sociedade.

O museu é localizado em um belo prédio de nove andares e arquitetura moderna - são 16,5 mil m² de área construída. Neste espaço estão expostos mais de 150 veículos, entre carros de passeio, superesportivos, caminhões, ônibus, bólidos de competição e até mesmo protótipos que acabaram não sendo produzidos. Há também simuladores utilizados pelos pilotos de Fórmula 1 Michael Schumacher e Nico Rosberg, e muita interatividade.

O passeio começa no último andar. E ao invés de encontrarmos o primeiro automóvel do mundo, nos deparamos com o primeiro meio de transportes da humanidade: o cavalo - que atualmente serve de medida para potência dos motores. Durante nosso passeio contamos com a ajuda de um guia com total conhecimento da história de cada um dos modelos. O interessante é que entre um andar e outro quadros com imagens de acontecimentos históricos - como as duas grandes guerras mundiais - situam o visitante sobre o exato momento que aqueles veículos circulavam pelo mundo. O Brasil, claro, está presente em algumas imagens.

Ao final do passeio, que custa somente oito euros (aproximadamente R$ 20) - quatro euros (R$ 10) para estudantes -, é possível passar na loja oficial da Mercedes-Benz e levar uma lembrança. Há inúmeros livros, camisetas, bolsas, mochilas, miniaturas dos mais diversos modelos, chaveiros, botons, ímãs de geladeira, entre muitas outras coisas.

Para o famintos, uma boa pedida é fazer um pitstop e tomar um refrigerante, uma cerveja ou mesmo um café expresso. Aliás, para entrar na lanchonete do museu não é preciso comprar ingresso.

Já para os endinheirados que se apaixonaram pela fabricante alemã, logo ao lado tem uma concessionária modelo. É só passar e desembolsar algumas centenas de milhares de euros e sair a bordo de um superesportivo SLS AMG.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Viagem pela história da Mercedes

Marcelo Monegato
Enviado a Stuttgart

14/11/2012 | 07:00


Dizem que o povo brasileiro não tem memória. Quando o assunto é automóveis e automobilismo temos, infelizmente, que admitir que está afirmação é mais que verdadeira. Atualmente quarto maior mercado automotivo do mundo, o Brasil vive de contar sua história sobre rodas a partir de ações isoladas de verdadeiros Dom Quixotes que tentam, contra tudo e contra muitos, manter pequenos acervos. Ah se por aqui todos pensassem como a Mercedes-Benz.

Durante viagem à Alemanha, o Diário teve a oportunidade de visitar na cidade de Stuttgart o museu da fabricante alemã, responsável pela invenção do automóvel - isso há mais de 125 anos. Portanto, mais que uma viagem pelo legado da Mercedes-Benz, tivemos a oportunidade de mergulhar na história da máquina que transformou costumes e comportamentos de toda a sociedade.

O museu é localizado em um belo prédio de nove andares e arquitetura moderna - são 16,5 mil m² de área construída. Neste espaço estão expostos mais de 150 veículos, entre carros de passeio, superesportivos, caminhões, ônibus, bólidos de competição e até mesmo protótipos que acabaram não sendo produzidos. Há também simuladores utilizados pelos pilotos de Fórmula 1 Michael Schumacher e Nico Rosberg, e muita interatividade.

O passeio começa no último andar. E ao invés de encontrarmos o primeiro automóvel do mundo, nos deparamos com o primeiro meio de transportes da humanidade: o cavalo - que atualmente serve de medida para potência dos motores. Durante nosso passeio contamos com a ajuda de um guia com total conhecimento da história de cada um dos modelos. O interessante é que entre um andar e outro quadros com imagens de acontecimentos históricos - como as duas grandes guerras mundiais - situam o visitante sobre o exato momento que aqueles veículos circulavam pelo mundo. O Brasil, claro, está presente em algumas imagens.

Ao final do passeio, que custa somente oito euros (aproximadamente R$ 20) - quatro euros (R$ 10) para estudantes -, é possível passar na loja oficial da Mercedes-Benz e levar uma lembrança. Há inúmeros livros, camisetas, bolsas, mochilas, miniaturas dos mais diversos modelos, chaveiros, botons, ímãs de geladeira, entre muitas outras coisas.

Para o famintos, uma boa pedida é fazer um pitstop e tomar um refrigerante, uma cerveja ou mesmo um café expresso. Aliás, para entrar na lanchonete do museu não é preciso comprar ingresso.

Já para os endinheirados que se apaixonaram pela fabricante alemã, logo ao lado tem uma concessionária modelo. É só passar e desembolsar algumas centenas de milhares de euros e sair a bordo de um superesportivo SLS AMG.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;