Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA defenderiam o Japão em caso de disputa de ilhas



24/04/2014 | 03:57


Os EUA seriam obrigados a defender o Japão em caso de um confronto com a China envolvendo a disputa de um conjunto de ilhas não habitadas, disse o presidente Barack Obama durante entrevista coletiva.

Após encontro com o primeiro-ministro do Japão, Obama insistiu que os dois lados resolvam a disputa territorial pacificamente. Ele reforçou que os EUA não têm um posicionamento se as ilhas no Mar do Leste da China são de domínio chinês ou japonês, mas lembrou que o Japão administra a ilha há anos.

Nesse contexto, se houver uma escalada militar os EUA seriam obrigados pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a defender o Japão. "O que é uma parte consistente da aliança é que o tratado cobre todos os territórios administrados pelo Japão", disse.

Mesmo assim, Obama encorajou os dois lados a trabalharem pela via do diálogo e pediu para que eles "mantenham a retórica baixa".

O conjunto de ilhas, conhecido como Senkaku pelos japoneses e como Diaoyu pelos chineses, têm estremecido as relações entre os dois países. Obama evita se envolver na disputa territorial, mas o Japão e outros aliados avaliam a questão como a crescente influência da China.

Obama desembarcou no Japão na quarta-feira para uma viagem de oito dias na Ásia, com passagem prevista em quatro países. Os conselheiros do presidente norte-americano reforçaram que a viagem não tem como objetivo conter a influência da China e que ele não está pedindo às nações asiáticas para escolher entre uma aliança com Washington ou Pequim. "Nós queremos continuar a encorajar a ascensão pacífica da China", disse Obama. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA defenderiam o Japão em caso de disputa de ilhas


24/04/2014 | 03:57


Os EUA seriam obrigados a defender o Japão em caso de um confronto com a China envolvendo a disputa de um conjunto de ilhas não habitadas, disse o presidente Barack Obama durante entrevista coletiva.

Após encontro com o primeiro-ministro do Japão, Obama insistiu que os dois lados resolvam a disputa territorial pacificamente. Ele reforçou que os EUA não têm um posicionamento se as ilhas no Mar do Leste da China são de domínio chinês ou japonês, mas lembrou que o Japão administra a ilha há anos.

Nesse contexto, se houver uma escalada militar os EUA seriam obrigados pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a defender o Japão. "O que é uma parte consistente da aliança é que o tratado cobre todos os territórios administrados pelo Japão", disse.

Mesmo assim, Obama encorajou os dois lados a trabalharem pela via do diálogo e pediu para que eles "mantenham a retórica baixa".

O conjunto de ilhas, conhecido como Senkaku pelos japoneses e como Diaoyu pelos chineses, têm estremecido as relações entre os dois países. Obama evita se envolver na disputa territorial, mas o Japão e outros aliados avaliam a questão como a crescente influência da China.

Obama desembarcou no Japão na quarta-feira para uma viagem de oito dias na Ásia, com passagem prevista em quatro países. Os conselheiros do presidente norte-americano reforçaram que a viagem não tem como objetivo conter a influência da China e que ele não está pedindo às nações asiáticas para escolher entre uma aliança com Washington ou Pequim. "Nós queremos continuar a encorajar a ascensão pacífica da China", disse Obama. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;