Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Banha cobra de Saulo harmonia entre secretários e elo com a Casa

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Chefe do Legislativo diz que peemedebista precisa sanar erros antes de enviar projeto para os vereadores


Júnior Carvalho
Especial para o Diário

14/04/2014 | 07:00


O presidente da Câmara de Ribeirão Pires, Edson Savietto, o Banha (PDT), mandou recado ao prefeito Saulo Benevides (PMDB). Na sessão do dia 9, o parlamentar manifestou o descontentamento com a confusão causada pelo projeto que previa o parcelamento da dívida com o Imprerp (Instituto Municipal de Previdência Municipal). O texto foi enviado à Casa sem autorização do órgão e precisou ser revogado.

A medida foi refeita, com o aval do conselho fiscal do Imperp, e aprovado novamente pelo Legislativo. “O prefeito tem de resolver os problemas entre os secretários antes de enviar projetos para cá. A gente se expõe diante da opinião pública e da imprensa”, disparou o dirigente da Casa, ao se referir à desarmonia entre a Secretaria de Assuntos Jurídicos e o comando do Imprerp.

Segundo o governo, o setor jurídico não tinha o entendimento de que a medida teria de passar pelo crivo do conselho fiscal do instituto de previdência. Mas a legislação municipal determina que essas movimentações tenham crivo da equipe financeira da autarquia.

O projeto inicial, que chegou em regime de urgência, também não informava o valor total dos débitos referentes ao não pagamento de contribuições patronais. Mesmo sem conter detalhes da negociação, a medida foi aprovada ilesa pela Câmara. “A gente sabia sim o que estávamos votando, só não tínhamos conhecimento de que precisava da autorização do conselho do Imprerp”, salientou Banha, que cobrou mais aproximação da secretária de Assuntos Jurídicos, Rosana Figueiredo, com o Legislativo. “A secretária precisa vir aqui explicar os projetos. Essa discussão com os vereadores tem de haver”.

Na sessão da semana passada, o projeto foi novamente aprovado por unanimidade. Desta vez, a medida trazia detalhes da negociação da dívida e a posição do Imprerp favorável ao parcelamento. Avaliado em R$ 3,9 milhões, o débito será pago em 60 prestações. Para garantir adesão ao texto, a superintendente do instituto, Rosana de Lucca, foi ao Legislativo explicar a medida aos parlamentares.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Banha cobra de Saulo harmonia entre secretários e elo com a Casa

Chefe do Legislativo diz que peemedebista precisa sanar erros antes de enviar projeto para os vereadores

Júnior Carvalho
Especial para o Diário

14/04/2014 | 07:00


O presidente da Câmara de Ribeirão Pires, Edson Savietto, o Banha (PDT), mandou recado ao prefeito Saulo Benevides (PMDB). Na sessão do dia 9, o parlamentar manifestou o descontentamento com a confusão causada pelo projeto que previa o parcelamento da dívida com o Imprerp (Instituto Municipal de Previdência Municipal). O texto foi enviado à Casa sem autorização do órgão e precisou ser revogado.

A medida foi refeita, com o aval do conselho fiscal do Imperp, e aprovado novamente pelo Legislativo. “O prefeito tem de resolver os problemas entre os secretários antes de enviar projetos para cá. A gente se expõe diante da opinião pública e da imprensa”, disparou o dirigente da Casa, ao se referir à desarmonia entre a Secretaria de Assuntos Jurídicos e o comando do Imprerp.

Segundo o governo, o setor jurídico não tinha o entendimento de que a medida teria de passar pelo crivo do conselho fiscal do instituto de previdência. Mas a legislação municipal determina que essas movimentações tenham crivo da equipe financeira da autarquia.

O projeto inicial, que chegou em regime de urgência, também não informava o valor total dos débitos referentes ao não pagamento de contribuições patronais. Mesmo sem conter detalhes da negociação, a medida foi aprovada ilesa pela Câmara. “A gente sabia sim o que estávamos votando, só não tínhamos conhecimento de que precisava da autorização do conselho do Imprerp”, salientou Banha, que cobrou mais aproximação da secretária de Assuntos Jurídicos, Rosana Figueiredo, com o Legislativo. “A secretária precisa vir aqui explicar os projetos. Essa discussão com os vereadores tem de haver”.

Na sessão da semana passada, o projeto foi novamente aprovado por unanimidade. Desta vez, a medida trazia detalhes da negociação da dívida e a posição do Imprerp favorável ao parcelamento. Avaliado em R$ 3,9 milhões, o débito será pago em 60 prestações. Para garantir adesão ao texto, a superintendente do instituto, Rosana de Lucca, foi ao Legislativo explicar a medida aos parlamentares.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;