Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Vanessa defende Skaf a governador e critica articulação por vice do PSDB

Deputada estadual do PMDB diz que chapa ao comando de SP está consolidada com presidente da Fiesp


Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

30/07/2013 | 07:00


Coordenadora do PMDB na região, a deputada estadual Vanessa Damo afirma que a movimentação de alguns correligionários para galgar vaga de vice na chapa de reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB), no ano que vem, tem cunho pessoal, não partidário. O projeto delineado pela cúpula estadual da legenda, segundo a parlamentar, é lançar candidatura própria, encabeçada pelo presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf.

“Reitero que a candidatura ao governo estadual está consolidada. Qualquer articulação para ser vice de PT ou PSDB deixa de ser partidária e passa a ser pessoal. Hoje temos um nome em potencial, que é o do Paulo Skaf, que está em segundo lugar nas pesquisas, com 20% das intenções de voto”, frisa Vanessa Damo, ao citar recente levantamento do Datafolha, em que o peemedebista aparece com 19%, atrás de Alckmin, com 40%.

Nos bastidores, peemedebistas admitem parceria com o tucano para 2014. A vaga de vice no projeto de reeleição do governador também é disputada pelo DEM, que teria a preferência de Alckmin por acreditar que Rodrigo Garcia poderia agregar mais à sua empreitada.

Vanessa Damo prefere inverter os papéis partidários da discussão. “Discutir vice não condiz com a realidade do partido. Por que PT ou PSDB não pode ser nosso vice? Paulo Skaf é dinâmico, cativante, carismático, tem folha de serviços prestados à sociedade. É bem avaliado, testado, ótimo administrador. E, mais do que tudo isso, segue a linha de renovação tão aclamada nas ruas (pelos protestos)”, discorre a deputada.

“Lançar candidato ao Palácio dos Bandeirantes é um plano sólido, que inclusive tem alinhamento com a perspectiva do nosso líder, o vive-presidente da República, Michel Temer”, salienta a parlamentar.

A peemedebista rechaça conflito político ao optar pelo enfrentamento ao governador, o qual o PMDB dá sustentação na Assembleia Legislativa. “Estamos de acordo com os projetos que são bons para o povo paulista. Mas é o momento do nosso partido”, destaca Vanessa, que na sexta-feira esteve com Skaf no congresso regional do PMDB, em São José dos Campos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vanessa defende Skaf a governador e critica articulação por vice do PSDB

Deputada estadual do PMDB diz que chapa ao comando de SP está consolidada com presidente da Fiesp

Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

30/07/2013 | 07:00


Coordenadora do PMDB na região, a deputada estadual Vanessa Damo afirma que a movimentação de alguns correligionários para galgar vaga de vice na chapa de reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB), no ano que vem, tem cunho pessoal, não partidário. O projeto delineado pela cúpula estadual da legenda, segundo a parlamentar, é lançar candidatura própria, encabeçada pelo presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf.

“Reitero que a candidatura ao governo estadual está consolidada. Qualquer articulação para ser vice de PT ou PSDB deixa de ser partidária e passa a ser pessoal. Hoje temos um nome em potencial, que é o do Paulo Skaf, que está em segundo lugar nas pesquisas, com 20% das intenções de voto”, frisa Vanessa Damo, ao citar recente levantamento do Datafolha, em que o peemedebista aparece com 19%, atrás de Alckmin, com 40%.

Nos bastidores, peemedebistas admitem parceria com o tucano para 2014. A vaga de vice no projeto de reeleição do governador também é disputada pelo DEM, que teria a preferência de Alckmin por acreditar que Rodrigo Garcia poderia agregar mais à sua empreitada.

Vanessa Damo prefere inverter os papéis partidários da discussão. “Discutir vice não condiz com a realidade do partido. Por que PT ou PSDB não pode ser nosso vice? Paulo Skaf é dinâmico, cativante, carismático, tem folha de serviços prestados à sociedade. É bem avaliado, testado, ótimo administrador. E, mais do que tudo isso, segue a linha de renovação tão aclamada nas ruas (pelos protestos)”, discorre a deputada.

“Lançar candidato ao Palácio dos Bandeirantes é um plano sólido, que inclusive tem alinhamento com a perspectiva do nosso líder, o vive-presidente da República, Michel Temer”, salienta a parlamentar.

A peemedebista rechaça conflito político ao optar pelo enfrentamento ao governador, o qual o PMDB dá sustentação na Assembleia Legislativa. “Estamos de acordo com os projetos que são bons para o povo paulista. Mas é o momento do nosso partido”, destaca Vanessa, que na sexta-feira esteve com Skaf no congresso regional do PMDB, em São José dos Campos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;