Fechar
Publicidade

Sábado, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cúpula do Pentágono entra em quarentena após infecção de oficial



07/10/2020 | 07:07


A maior autoridade militar dos EUA, o general Mark Milley, e membros do comando do Pentágono entraram em quarentena após terem tido contato com Charles Ray, almirante da Guarda Costeira (USCG, na sigla em inglês), que teve diagnóstico positivo para coronavírus na segunda-feira. Segundo a USCG, o almirante "foi testado após apresentar sintomas leves no fim de semana".

O porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman, disse que Ray participou de reuniões do Departamento de Defesa, na semana passada. Vários militares do alto escalão que estiveram no encontro também foram isolados. "Entre as pessoas que participaram das reuniões está o chefe do Estado-Maior", afirmou Hoffman.

"Todos aqueles que estiveram em contato com o almirante Ray foram colocados em quarentena e testados. Ninguém que teve contato com ele no Pentágono mostrou quaisquer sintomas e não temos nenhum teste positivo ainda", disse o porta-voz.

Como precaução, Milley, que ocupa o cargo de chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, está trabalhando de casa, segundo uma fonte da Defesa. Até agora, seus testes deram negativo.

Como principal conselheiro militar do presidente Donald Trump, o general está confinado em um espaço seguro, que lhe permite manter comunicação direta com o presidente, como explicou a fonte.

O chefe de gabinete da Força Aérea americana, Charles Brown, o chefe das Operações Navais, o almirante Michael Gilday, e o chefe das Operações Espaciais, general John Raymond, também estão trabalhando de casa.

Hoffman disse que não há mudança na resposta ou na capacidade das Forças Armadas dos Estados Unidos em razão do afastamento do comando militar americano. Segundo o porta-voz, o Departamento de Defesa segue as diretrizes de saúde pública desde abril, incluindo a verificação de temperatura corporal e o uso de máscaras, quando o distanciamento social não é possível. (Com agências internacionais)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cúpula do Pentágono entra em quarentena após infecção de oficial


07/10/2020 | 07:07


A maior autoridade militar dos EUA, o general Mark Milley, e membros do comando do Pentágono entraram em quarentena após terem tido contato com Charles Ray, almirante da Guarda Costeira (USCG, na sigla em inglês), que teve diagnóstico positivo para coronavírus na segunda-feira. Segundo a USCG, o almirante "foi testado após apresentar sintomas leves no fim de semana".

O porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman, disse que Ray participou de reuniões do Departamento de Defesa, na semana passada. Vários militares do alto escalão que estiveram no encontro também foram isolados. "Entre as pessoas que participaram das reuniões está o chefe do Estado-Maior", afirmou Hoffman.

"Todos aqueles que estiveram em contato com o almirante Ray foram colocados em quarentena e testados. Ninguém que teve contato com ele no Pentágono mostrou quaisquer sintomas e não temos nenhum teste positivo ainda", disse o porta-voz.

Como precaução, Milley, que ocupa o cargo de chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, está trabalhando de casa, segundo uma fonte da Defesa. Até agora, seus testes deram negativo.

Como principal conselheiro militar do presidente Donald Trump, o general está confinado em um espaço seguro, que lhe permite manter comunicação direta com o presidente, como explicou a fonte.

O chefe de gabinete da Força Aérea americana, Charles Brown, o chefe das Operações Navais, o almirante Michael Gilday, e o chefe das Operações Espaciais, general John Raymond, também estão trabalhando de casa.

Hoffman disse que não há mudança na resposta ou na capacidade das Forças Armadas dos Estados Unidos em razão do afastamento do comando militar americano. Segundo o porta-voz, o Departamento de Defesa segue as diretrizes de saúde pública desde abril, incluindo a verificação de temperatura corporal e o uso de máscaras, quando o distanciamento social não é possível. (Com agências internacionais)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;