Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Will Power é o homem a ser batido

Australiano venceu as duas primeiras edições em São Paulo


Dérek Bittencourt
do Diário do Grande ABC

28/04/2012 | 07:00


Se há um homem a ser batido nesta terceira edição da São Paulo Indy 300 é o australiano Will Power. Ele é o líder do campeonato (127 pontos, 24 a mais que o vice e companheiro de Penske, Helio Castroneves), venceu nas outras duas vezes que a categoria visitou a Capital paulista e triunfou também na última etapa, em Long Beach.

Ontem, em coletiva na companhia do escocês Dario Franchitti, o piloto da Penske exaltou a pista do Anhembi, elegeu-a como a "melhor" de rua da temporada e uma de suas favoritas. Também pudera, com um currículo desses pelas vias da terra da garoa.

"Foi um ótimo começo de temporada, na verdade. A competição tem sido ótima e chegamos ao campeonato muito bem preparados. Estou feliz em estar de volta aqui, é um dos meus circuitos favoritos e provavelmente o público seja grande para ver Barrichello e os demais pilotos brasileiros. Gosto da pista inteira, pelo fato de ter uma longa reta que proporciona ultrapassagens. As reformas feitas a tornam a melhor pista de rua que visitamos. A superfície está bastante suave", disse Power.

O brasileiro Helio Castroneves, por sua vez, confirmou a qualidade do companheiro, mas fez uma ressalva. "Ele é bem agressivo em classificações e menos em ritmo de corrida. Mas não é imbatível. Ninguém é super-herói. É dar um tempo e encontrar um lado diferente. Há maneiras de combatê-lo", explicou.

Voltando ao tema circuito do Anhembi, Dario Franchitti, campeão da temporada 2011, também rasgou elogios, destacou ainda a possibilidade de chuva durante treinos e corrida, e falou sobre os benefícios da transferência do brasileiro Rubens Barrichello da Fórmula 1 à Indy.

"É um bom circuito para dirigir e veremos quais mudanças foram feitas. A previsão é de chuva para o fim de semana, então vamos ver o que vai acontecer. Espero fim de semana bem interessante, competição muito próxima e acredito que os fãs brasileiros estarão muito animados em ver o Tony Kanaan, o Helio, a Bia e agora o Barrichello, o que é fantástico e foi um grande negócio para a Indy", explicou o escocês, tetracampeão da categoria.

A respeito da chegada de Rubinho, Will Power manteve o discurso de Franchitti. O australiano foi além e o definiu como "impressionante". "Acho que é ótimo ter Rubens na categoria. Todos os pilotos no paddock ficaram felizes ao ouvir que eles estava vindo. Ele era fora do comum na Fórmula 1. É bom para nós, para a cobertura. É um piloto impressionante", afirmou. "Acredito que ele não está acostumado com todos os bumps de pistas assim. Mas vejo-o como um rival quando ele continuar e entender como a Indy é", completou.

 PREPARATIVOS
Ontem, alguns pilotos caminharam pela pista, outros preferiram fazer o percurso de motocicleta ou em carrinhos de golfe. E foram unânimes os comentários sobre o fim do bump no encontro do piso de concreto do sambódromo e o asfalto. Enquanto isso, os carros passaram pelo processo tradicional de pesagem e abastecimento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Will Power é o homem a ser batido

Australiano venceu as duas primeiras edições em São Paulo

Dérek Bittencourt
do Diário do Grande ABC

28/04/2012 | 07:00


Se há um homem a ser batido nesta terceira edição da São Paulo Indy 300 é o australiano Will Power. Ele é o líder do campeonato (127 pontos, 24 a mais que o vice e companheiro de Penske, Helio Castroneves), venceu nas outras duas vezes que a categoria visitou a Capital paulista e triunfou também na última etapa, em Long Beach.

Ontem, em coletiva na companhia do escocês Dario Franchitti, o piloto da Penske exaltou a pista do Anhembi, elegeu-a como a "melhor" de rua da temporada e uma de suas favoritas. Também pudera, com um currículo desses pelas vias da terra da garoa.

"Foi um ótimo começo de temporada, na verdade. A competição tem sido ótima e chegamos ao campeonato muito bem preparados. Estou feliz em estar de volta aqui, é um dos meus circuitos favoritos e provavelmente o público seja grande para ver Barrichello e os demais pilotos brasileiros. Gosto da pista inteira, pelo fato de ter uma longa reta que proporciona ultrapassagens. As reformas feitas a tornam a melhor pista de rua que visitamos. A superfície está bastante suave", disse Power.

O brasileiro Helio Castroneves, por sua vez, confirmou a qualidade do companheiro, mas fez uma ressalva. "Ele é bem agressivo em classificações e menos em ritmo de corrida. Mas não é imbatível. Ninguém é super-herói. É dar um tempo e encontrar um lado diferente. Há maneiras de combatê-lo", explicou.

Voltando ao tema circuito do Anhembi, Dario Franchitti, campeão da temporada 2011, também rasgou elogios, destacou ainda a possibilidade de chuva durante treinos e corrida, e falou sobre os benefícios da transferência do brasileiro Rubens Barrichello da Fórmula 1 à Indy.

"É um bom circuito para dirigir e veremos quais mudanças foram feitas. A previsão é de chuva para o fim de semana, então vamos ver o que vai acontecer. Espero fim de semana bem interessante, competição muito próxima e acredito que os fãs brasileiros estarão muito animados em ver o Tony Kanaan, o Helio, a Bia e agora o Barrichello, o que é fantástico e foi um grande negócio para a Indy", explicou o escocês, tetracampeão da categoria.

A respeito da chegada de Rubinho, Will Power manteve o discurso de Franchitti. O australiano foi além e o definiu como "impressionante". "Acho que é ótimo ter Rubens na categoria. Todos os pilotos no paddock ficaram felizes ao ouvir que eles estava vindo. Ele era fora do comum na Fórmula 1. É bom para nós, para a cobertura. É um piloto impressionante", afirmou. "Acredito que ele não está acostumado com todos os bumps de pistas assim. Mas vejo-o como um rival quando ele continuar e entender como a Indy é", completou.

 PREPARATIVOS
Ontem, alguns pilotos caminharam pela pista, outros preferiram fazer o percurso de motocicleta ou em carrinhos de golfe. E foram unânimes os comentários sobre o fim do bump no encontro do piso de concreto do sambódromo e o asfalto. Enquanto isso, os carros passaram pelo processo tradicional de pesagem e abastecimento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;