Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Brasil preocupa, mas Argentina é favorita na final da Copa América


Da AFP

14/07/2007 | 18:11


Brasil e Argentina, as duas maiores potências do futebol sul-americano, decidirão neste domingo o título da Copa América 2007, no estádio 'Pachencho' Romero de Maracaibo, na presença ilustre do presidente da federação Internacional de Futebol (Fifa), Jospeh Blatter.

Apesar de ter 14 títulos, o dobro de seu clássico rival, Argentina trata este jogo como uma revanche da final da Copa América de 2004, no Peru, quando um gol de Adriano no último minuto levou à decisão para pênaltis, que deram às seleção brasileira seu sétimo título.

Os argentinos conquistaram sua última Copa América em 1993, no Equador, enquanto os brasileiros chegaram às finais das seis últimas edições, ganhando quatro delas.

O favoritismo, dessa vez, é dos argentinos. É a única equipe invicta, já que venceu seus cinco compromissos, e têm 16 gols a favor e três contra. Além disso, os rendimentos individuais e de conjunto são argumentos mais que sólidos para quebrar uma seca de 14 anos sem voltas olímpicas.

O Brasil estreou com derrota para o México (2 x 0), despertou da monotonia nas quartas-de-final, quando humilhou o Chile (6 x 1), mas esteve a ponto de entregar a semifinal, quando necessitou do pênaltis para superar a seleção do Uruguai por 5 x 4, depois de um empate por 2 x 2 no tempo regulamentar.

O clássico deve ser marcado pelos duelos entre Juan Román Riquelme e Lionel Messi, no time argentino, e o artilheiro, Robinho, na equipe pentacampeã mundial. Eles foram eleitos as maiores figuras do torneio.

Argentinos e brasileiros já disputaram 90 partidas oficiais ao longo da história, com 35 vitórias dos auriverdes e 33 dos alvicelestes, além de 22 empates. Na Copa América a vantagem é dos argentinos, que venceram 15 jogos contra oito do Brasil. Foram registrados oito empates.

A partida começará às 18h (de Brasília). O árbitro do jogo será o paraguaio Carlos Amarilla, assistido pelo uruguaio Walter Rial e o venezuelano Luis Sánchez.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brasil preocupa, mas Argentina é favorita na final da Copa América

Da AFP

14/07/2007 | 18:11


Brasil e Argentina, as duas maiores potências do futebol sul-americano, decidirão neste domingo o título da Copa América 2007, no estádio 'Pachencho' Romero de Maracaibo, na presença ilustre do presidente da federação Internacional de Futebol (Fifa), Jospeh Blatter.

Apesar de ter 14 títulos, o dobro de seu clássico rival, Argentina trata este jogo como uma revanche da final da Copa América de 2004, no Peru, quando um gol de Adriano no último minuto levou à decisão para pênaltis, que deram às seleção brasileira seu sétimo título.

Os argentinos conquistaram sua última Copa América em 1993, no Equador, enquanto os brasileiros chegaram às finais das seis últimas edições, ganhando quatro delas.

O favoritismo, dessa vez, é dos argentinos. É a única equipe invicta, já que venceu seus cinco compromissos, e têm 16 gols a favor e três contra. Além disso, os rendimentos individuais e de conjunto são argumentos mais que sólidos para quebrar uma seca de 14 anos sem voltas olímpicas.

O Brasil estreou com derrota para o México (2 x 0), despertou da monotonia nas quartas-de-final, quando humilhou o Chile (6 x 1), mas esteve a ponto de entregar a semifinal, quando necessitou do pênaltis para superar a seleção do Uruguai por 5 x 4, depois de um empate por 2 x 2 no tempo regulamentar.

O clássico deve ser marcado pelos duelos entre Juan Román Riquelme e Lionel Messi, no time argentino, e o artilheiro, Robinho, na equipe pentacampeã mundial. Eles foram eleitos as maiores figuras do torneio.

Argentinos e brasileiros já disputaram 90 partidas oficiais ao longo da história, com 35 vitórias dos auriverdes e 33 dos alvicelestes, além de 22 empates. Na Copa América a vantagem é dos argentinos, que venceram 15 jogos contra oito do Brasil. Foram registrados oito empates.

A partida começará às 18h (de Brasília). O árbitro do jogo será o paraguaio Carlos Amarilla, assistido pelo uruguaio Walter Rial e o venezuelano Luis Sánchez.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;