Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

São Caetano lança edital para licitação do Programa Leite é Vida

Pixabay/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

13/02/2019 | 17:04


A Prefeitura de São Caetano deu o primeiro passo para retomar a entrega de leite em pó para famílias carentes do município. Isso porque o prefeito José Auricchio Junior (PSDB) assinou, na tarde desta quarta-feira (13), edital que dá abertura à licitação para distribuição do alimento por meio do programa Leite é Vida. A medida promete beneficiar cerca de 3.000 moradores, que serão recadastrados pela Seais (Secretaria de Assistência e Inclusão Social) a partir desta semana.

O projeto de lei, elaborado pelo Executivo e que foi encaminhado à Câmara Municipal em setembro de 2018, já havia vigorado na cidade até meados de 2016. Criado na segunda gestão de Auricchio como chefe do Executivo, em 2009, a ação social ficou paralisada entre os anos de 2013 e 2014, quando foi retomada na gestão do então prefeito Paulo Pinheiro (PMDB). Em 2016, sob justificativa de crise financeira, a iniciativa foi interrompida novamente. Segundo Auricchio, quando retomou o cargo, em 2017, teve de esperar “arrumar a casa” para retomar o benefício.

O pregão presencial deve ser finalizado em 30 dias, segundo o chefe do Paço. Na sequência, a distribuição aos beneficiados deve começar, sendo que a entrega acontece de duas formas: pessoas que tem condição de deslocamento retiram o produto na secretaria, aos que tem condição patológica especial haverá distribuição feita por equipe, na residência.

Serão distribuídos dois quilos de leite em pó por mês às famílias cadastradas. Ao todo, o montante mensal soma 5.500 quilos do alimento, totalizando 66 mil quilos por ano, ou então, 33 mil caixas de leite. O investimento municipal está avaliado em R$ 2,7 milhões, valor que Auricchio acredita que deve cair, tendo em vista o processo de licitação aberto hoje.

“Como médico, posso dizer que o leite é essencial para vida do ser humano. Avalio que a retomada do programa Leite é Vida não é um custo, e sim, investimento, sobretudo se tratando de um benefício para população mais vulnerável”, afirmou o chefe do Executivo.

Para o vereador licenciado e recém-nomeado secretário da Pasta, Daniel Córdoba – assumiu o cargo há três dias – a ação será como fortalecimento de caráter social. “O País enfrenta difícil situação social e econômica, sobretudo com a falta de empregos. Esse benefício chega como fortalecimento para alimentação destas pessoas beneficiadas”.

PERFIL
Poderão ser contempladas pela distribuição de leite em pó crianças de 7 a 11 anos e que não possuam irmãos participantes do programa Viva Leite, do governo do Estado. Idosos com 65 anos ou mais e que tenham alguma doença especificada em atestado médico e adultos com problemas infectocontagiosos, degenerativos ou câncer também poderão participar. A pessoa precisa ser residente do município há, no mínimo, três anos e possuir renda familiar per capita de até um salário mínimo (R$ 988).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano lança edital para licitação do Programa Leite é Vida

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

13/02/2019 | 17:04


A Prefeitura de São Caetano deu o primeiro passo para retomar a entrega de leite em pó para famílias carentes do município. Isso porque o prefeito José Auricchio Junior (PSDB) assinou, na tarde desta quarta-feira (13), edital que dá abertura à licitação para distribuição do alimento por meio do programa Leite é Vida. A medida promete beneficiar cerca de 3.000 moradores, que serão recadastrados pela Seais (Secretaria de Assistência e Inclusão Social) a partir desta semana.

O projeto de lei, elaborado pelo Executivo e que foi encaminhado à Câmara Municipal em setembro de 2018, já havia vigorado na cidade até meados de 2016. Criado na segunda gestão de Auricchio como chefe do Executivo, em 2009, a ação social ficou paralisada entre os anos de 2013 e 2014, quando foi retomada na gestão do então prefeito Paulo Pinheiro (PMDB). Em 2016, sob justificativa de crise financeira, a iniciativa foi interrompida novamente. Segundo Auricchio, quando retomou o cargo, em 2017, teve de esperar “arrumar a casa” para retomar o benefício.

O pregão presencial deve ser finalizado em 30 dias, segundo o chefe do Paço. Na sequência, a distribuição aos beneficiados deve começar, sendo que a entrega acontece de duas formas: pessoas que tem condição de deslocamento retiram o produto na secretaria, aos que tem condição patológica especial haverá distribuição feita por equipe, na residência.

Serão distribuídos dois quilos de leite em pó por mês às famílias cadastradas. Ao todo, o montante mensal soma 5.500 quilos do alimento, totalizando 66 mil quilos por ano, ou então, 33 mil caixas de leite. O investimento municipal está avaliado em R$ 2,7 milhões, valor que Auricchio acredita que deve cair, tendo em vista o processo de licitação aberto hoje.

“Como médico, posso dizer que o leite é essencial para vida do ser humano. Avalio que a retomada do programa Leite é Vida não é um custo, e sim, investimento, sobretudo se tratando de um benefício para população mais vulnerável”, afirmou o chefe do Executivo.

Para o vereador licenciado e recém-nomeado secretário da Pasta, Daniel Córdoba – assumiu o cargo há três dias – a ação será como fortalecimento de caráter social. “O País enfrenta difícil situação social e econômica, sobretudo com a falta de empregos. Esse benefício chega como fortalecimento para alimentação destas pessoas beneficiadas”.

PERFIL
Poderão ser contempladas pela distribuição de leite em pó crianças de 7 a 11 anos e que não possuam irmãos participantes do programa Viva Leite, do governo do Estado. Idosos com 65 anos ou mais e que tenham alguma doença especificada em atestado médico e adultos com problemas infectocontagiosos, degenerativos ou câncer também poderão participar. A pessoa precisa ser residente do município há, no mínimo, três anos e possuir renda familiar per capita de até um salário mínimo (R$ 988).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;