Fechar
Publicidade

Sábado, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Contingente de empregados com carteira é o menor da série desde 2012, diz IBGE



29/05/2018 | 13:15


O contingente de empregados com carteira assinada no setor privado no trimestre encerrado em abril, de 32,729 milhões de pessoas, é o menor da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012. Esse recorde negativo foi renovado, pois já havia sido atingido no trimestre até março.

Segundo Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os dados divulgados mais cedo mostram "falta de força" do mercado de trabalho.

O pesquisador destacou que o contingente de trabalhadores com carteira assinada vem caindo desde 2014. De lá para cá, cerca de 4 milhões de postos formais foram perdidos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Contingente de empregados com carteira é o menor da série desde 2012, diz IBGE


29/05/2018 | 13:15


O contingente de empregados com carteira assinada no setor privado no trimestre encerrado em abril, de 32,729 milhões de pessoas, é o menor da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012. Esse recorde negativo foi renovado, pois já havia sido atingido no trimestre até março.

Segundo Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os dados divulgados mais cedo mostram "falta de força" do mercado de trabalho.

O pesquisador destacou que o contingente de trabalhadores com carteira assinada vem caindo desde 2014. De lá para cá, cerca de 4 milhões de postos formais foram perdidos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;