Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Sinais dos tempos virtuais

A Polícia Militar de Bauru aderiu às redes sociais. A conta no Facebook (Quarto Batalhão Bauru) possuía mais de


Wilson Marini

01/08/2011 | 00:00


A Polícia Militar de Bauru aderiu às redes sociais. A conta no Facebook (Quarto Batalhão Bauru) possuía mais de 600 seguidores na sexta-feira. O Twitter também está nos planos. "É algo que veio do comando geral da corporação. Fomos percebendo as primeiras experiências e vendo como isso está dando certo", disse ao Jornal da Cidade o comandante do 4.º BPM-I, tenente-coronel Nelson Garcia Filho. Segundo ele, o ingresso no mundo virtual é uma forma de conversar com a própria tropa e outras unidades da PM. "É uma troca de experiências. Iremos ‘alimentar' com sugestões para a imprensa e outros fatos que possam ser vistos por quem está na região e, inclusive, fora dela". A ideia é que seja um informativo atualizado sobre os principais acontecimentos que envolvem a polícia na cidade. "Quando surgir uma ocorrência, queremos ir atualizando em tempo real."

Na Capital, também já é possível se comunicar por redes sociais com a Polícia Militar para acompanhar a situação das marginas Tietê e Pinheiros. A 3ª Companhia do 2º Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), na capital, lançou os canais no Twitter e no Facebook (ambos PMnasmarginais). Os canais servirão para informar o funcionamento das vias e ao mesmo tempo receber informações dos usuários. "Quem quiser tuitar já pode entrar, para poder levar informações, prestar serviço público e ajudar a polícia a cumprir bem o seu papel", disse o governador Alckmin na semana passada. Segundo o comandante geral da PM, coronel Álvaro Camilo, as páginas serão monitorados 24 horas por dia. "É um modelo de polícia comunitária virtual". Outros endereços da Polícia Militar no Twitter: PMESP e BombeirosPMESP.

Conhecimento

Esse é apenas um exemplo das transformações sociais provocadas pela revolução da informação. Em meados dos anos 90, surgiu o ‘correio eletrônico' nos computadores, depois popularizados como ‘e-mails'. A internet hoje está nos celulares, empresas, escolas, hotéis, praças e residências. O acesso está sendo ampliado para que maior número de pessoas possa se conectar em velocidade e quantidade crescentes.

Internetar é preciso. É tão fundamental quanto a alfabetização. Preocupados com a exclusão social devido às mudanças, os governos criam programas de incentivo à alfabetização digital em todo o mundo. Mas o desafio da sociedade do futuro não será o domínio da tecnologia, tampouco a sua democratização, que é inevitável. O desafio será como juntar toda a carga de informações e transformar em conhecimento - esse sim, o próximo passo na escala da evolução.

Por torpedo

O Jornal da Cidade informa ainda que em Bauru já há algum tempo a população aciona policiais por meio das mensagens de celular, os conhecidos ‘torpedos' (SMS). Diz o comandante: "A comunidade deve pegar os números de celulares dos policiais que fazem o patrulhamento. Assim, eles podem acioná-los por meio do ‘torpedo'. É algo que já ocorre. Nossa recomendação é que os policiais passem seus contatos para pessoas nos bairros".

Fim da caução em internações

De interesse público: está em vigor há um mês a Lei estadual 14.471/2011, que proíbe os hospitais e clínicas particulares de São Paulo de exigir caução ou qualquer outra garantia como condição para internar paciente. A prática caracteriza abuso, por ferir princípios básicos de cidadania. Segundo o autor do projeto, deputado Fernando Capez (PSDB), a exigência causa situações de constrangimento e coloca em risco a saúde e a própria vida da pessoa que necessita de atendimento.

A prática já era proibida pela Resolução Normativa 44/2003 da Agência Nacional de Saúde Suplementar, pelo Código de Defesa do Consumidor e pelo Código Civil, os quais vedam a cobrança de qualquer valor antecipado ou a exigência manifestamente excessiva ao consumidor. A partir de agora, o hospital ou clínica que descumprir a lei terá que devolver ao paciente o valor em dobro e pagar multa de R$ 17.450 a R$ 174.500, dependendo da gravidade da infração.

Água

Levar água potável a todos os brasileiros é o objetivo do decreto federal 7.492/2011, publicado quarta-feira no Diário Oficial da União. Trata-se do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água. O decreto deve promover também ações relacionadas à segurança alimentar e nutricional; infraestrutura hídrica e de abastecimento público de água; regulação do uso da água; saúde e meio Ambiente. Em São Paulo, a Sabesp já estabeleceu como meta a universalização dos serviços de fornecimento de água e tratamento de água para 2016.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sinais dos tempos virtuais

A Polícia Militar de Bauru aderiu às redes sociais. A conta no Facebook (Quarto Batalhão Bauru) possuía mais de

Wilson Marini

01/08/2011 | 00:00


A Polícia Militar de Bauru aderiu às redes sociais. A conta no Facebook (Quarto Batalhão Bauru) possuía mais de 600 seguidores na sexta-feira. O Twitter também está nos planos. "É algo que veio do comando geral da corporação. Fomos percebendo as primeiras experiências e vendo como isso está dando certo", disse ao Jornal da Cidade o comandante do 4.º BPM-I, tenente-coronel Nelson Garcia Filho. Segundo ele, o ingresso no mundo virtual é uma forma de conversar com a própria tropa e outras unidades da PM. "É uma troca de experiências. Iremos ‘alimentar' com sugestões para a imprensa e outros fatos que possam ser vistos por quem está na região e, inclusive, fora dela". A ideia é que seja um informativo atualizado sobre os principais acontecimentos que envolvem a polícia na cidade. "Quando surgir uma ocorrência, queremos ir atualizando em tempo real."

Na Capital, também já é possível se comunicar por redes sociais com a Polícia Militar para acompanhar a situação das marginas Tietê e Pinheiros. A 3ª Companhia do 2º Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), na capital, lançou os canais no Twitter e no Facebook (ambos PMnasmarginais). Os canais servirão para informar o funcionamento das vias e ao mesmo tempo receber informações dos usuários. "Quem quiser tuitar já pode entrar, para poder levar informações, prestar serviço público e ajudar a polícia a cumprir bem o seu papel", disse o governador Alckmin na semana passada. Segundo o comandante geral da PM, coronel Álvaro Camilo, as páginas serão monitorados 24 horas por dia. "É um modelo de polícia comunitária virtual". Outros endereços da Polícia Militar no Twitter: PMESP e BombeirosPMESP.

Conhecimento

Esse é apenas um exemplo das transformações sociais provocadas pela revolução da informação. Em meados dos anos 90, surgiu o ‘correio eletrônico' nos computadores, depois popularizados como ‘e-mails'. A internet hoje está nos celulares, empresas, escolas, hotéis, praças e residências. O acesso está sendo ampliado para que maior número de pessoas possa se conectar em velocidade e quantidade crescentes.

Internetar é preciso. É tão fundamental quanto a alfabetização. Preocupados com a exclusão social devido às mudanças, os governos criam programas de incentivo à alfabetização digital em todo o mundo. Mas o desafio da sociedade do futuro não será o domínio da tecnologia, tampouco a sua democratização, que é inevitável. O desafio será como juntar toda a carga de informações e transformar em conhecimento - esse sim, o próximo passo na escala da evolução.

Por torpedo

O Jornal da Cidade informa ainda que em Bauru já há algum tempo a população aciona policiais por meio das mensagens de celular, os conhecidos ‘torpedos' (SMS). Diz o comandante: "A comunidade deve pegar os números de celulares dos policiais que fazem o patrulhamento. Assim, eles podem acioná-los por meio do ‘torpedo'. É algo que já ocorre. Nossa recomendação é que os policiais passem seus contatos para pessoas nos bairros".

Fim da caução em internações

De interesse público: está em vigor há um mês a Lei estadual 14.471/2011, que proíbe os hospitais e clínicas particulares de São Paulo de exigir caução ou qualquer outra garantia como condição para internar paciente. A prática caracteriza abuso, por ferir princípios básicos de cidadania. Segundo o autor do projeto, deputado Fernando Capez (PSDB), a exigência causa situações de constrangimento e coloca em risco a saúde e a própria vida da pessoa que necessita de atendimento.

A prática já era proibida pela Resolução Normativa 44/2003 da Agência Nacional de Saúde Suplementar, pelo Código de Defesa do Consumidor e pelo Código Civil, os quais vedam a cobrança de qualquer valor antecipado ou a exigência manifestamente excessiva ao consumidor. A partir de agora, o hospital ou clínica que descumprir a lei terá que devolver ao paciente o valor em dobro e pagar multa de R$ 17.450 a R$ 174.500, dependendo da gravidade da infração.

Água

Levar água potável a todos os brasileiros é o objetivo do decreto federal 7.492/2011, publicado quarta-feira no Diário Oficial da União. Trata-se do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água. O decreto deve promover também ações relacionadas à segurança alimentar e nutricional; infraestrutura hídrica e de abastecimento público de água; regulação do uso da água; saúde e meio Ambiente. Em São Paulo, a Sabesp já estabeleceu como meta a universalização dos serviços de fornecimento de água e tratamento de água para 2016.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;