Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Pop rock coeso

Recheado por 11 composições, disco é ilustrado por arranjos
cuidadosos e trás a banda mergulhada em novas sugestões


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

31/03/2012 | 07:00


Se quando se menciona a banda Europe a lembrança é do pop rock que os levou ao sucesso mundial ainda nos anos 1980 com canções como 'The Final Countdown', é deles mesmo que estamos falando. Mas agora os tempos são outros e aquilo realmente ficou no passado.

Formada por Joey Tempest (vocais), John Norum (guitarra), John Léven (baixo), Mic Michaeli (teclado) e Ian Haugland (bateria), a banda sueca tira do forno o álbum 'Bag Of Bones' (Hellion Records, R$ 25 em média), em que mergulha em frases pesadas de guitarra - trabalho que já vinha sendo feito em seu disco anterior, 'Last Look At Eden' - e continuam apostando em som mais consistente.

Recheado por 11 composições - todas autorais - 'Bag Of Bones' tenta registrar de vez nova fase do quinteto.
Com produção de Kevin Shirley, que já assinou trabalhos de ilustres como Iron Maiden, Black Country Comme Journey, o disco traz banda renovada e mergulhada em novas sugestões harmônicas.
Ilustrado por arranjos cuidadosos, a obra traz canções poderosas, como a faixa título. "É um disco realmente pesado, grandioso. A grande novidade é que nós gravamos ao vivo, tocando todos juntos, na mesma sala.
Levamos quatro semanas para gravá-lo", diz o guitarrista e compositor John Norum.

Segundo ele, por conta da extensa turnê, a banda teve pouco tempo para preparar o disco. "Estávamos ensaiando, fazendo vários shows, viemos com as ideias, ensaiamos e gravamos", diz. "Os únicos problemas foram os fones de ouvido que pareciam de piloto de helicóptero que usamos e eu ter tomado vários choques no estúdio. Havia algo errado na sala. Talvez os choques tenham colocado fogo nos meus solos", brinca.

Talvez o fato de ter sido feito ao vivo seja o motivo de um álbum coeso e grudento. 'Riches To Rags', canção de abertura, dá pontapé inicial ao trabalho, tem frases vibrantes de guitarra e assim segue do início ao fim.
Rica surpresa é a presença do guitarrista Joe Bonamassa. O norte-americano da banda Black Country Commcontribuiu com arranjos de 'slide' na faixa título. Norum e Tempest esbanjam disposição em 'Not Supposed To Sing The Blues', música que ganhou clipe. Enquanto o vocalista procura notas mais graves e proporciona refrão digno de se cantar junto, o guitarrista faz solo de tirar o fôlego. Regada a notas de violão, 'Drink And Smile' é momento de calmaria.

AMADURECIMENTO
Apesar da projeção mundial ter acontecido quando eram jovens na faixa dos 20 anos e de os holofotes não estarem virados para eles agora, Norum não tem dúvidas do ótimo momento que a banda vive. "Somos músicos muito melhores hoje. Nos tornamos homens, não somos mais garotos. Fizemos centenas e centenas de shows. Sabemos mais sobre instrumentos e como conseguir um som melhor."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pop rock coeso

Recheado por 11 composições, disco é ilustrado por arranjos
cuidadosos e trás a banda mergulhada em novas sugestões

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

31/03/2012 | 07:00


Se quando se menciona a banda Europe a lembrança é do pop rock que os levou ao sucesso mundial ainda nos anos 1980 com canções como 'The Final Countdown', é deles mesmo que estamos falando. Mas agora os tempos são outros e aquilo realmente ficou no passado.

Formada por Joey Tempest (vocais), John Norum (guitarra), John Léven (baixo), Mic Michaeli (teclado) e Ian Haugland (bateria), a banda sueca tira do forno o álbum 'Bag Of Bones' (Hellion Records, R$ 25 em média), em que mergulha em frases pesadas de guitarra - trabalho que já vinha sendo feito em seu disco anterior, 'Last Look At Eden' - e continuam apostando em som mais consistente.

Recheado por 11 composições - todas autorais - 'Bag Of Bones' tenta registrar de vez nova fase do quinteto.
Com produção de Kevin Shirley, que já assinou trabalhos de ilustres como Iron Maiden, Black Country Comme Journey, o disco traz banda renovada e mergulhada em novas sugestões harmônicas.
Ilustrado por arranjos cuidadosos, a obra traz canções poderosas, como a faixa título. "É um disco realmente pesado, grandioso. A grande novidade é que nós gravamos ao vivo, tocando todos juntos, na mesma sala.
Levamos quatro semanas para gravá-lo", diz o guitarrista e compositor John Norum.

Segundo ele, por conta da extensa turnê, a banda teve pouco tempo para preparar o disco. "Estávamos ensaiando, fazendo vários shows, viemos com as ideias, ensaiamos e gravamos", diz. "Os únicos problemas foram os fones de ouvido que pareciam de piloto de helicóptero que usamos e eu ter tomado vários choques no estúdio. Havia algo errado na sala. Talvez os choques tenham colocado fogo nos meus solos", brinca.

Talvez o fato de ter sido feito ao vivo seja o motivo de um álbum coeso e grudento. 'Riches To Rags', canção de abertura, dá pontapé inicial ao trabalho, tem frases vibrantes de guitarra e assim segue do início ao fim.
Rica surpresa é a presença do guitarrista Joe Bonamassa. O norte-americano da banda Black Country Commcontribuiu com arranjos de 'slide' na faixa título. Norum e Tempest esbanjam disposição em 'Not Supposed To Sing The Blues', música que ganhou clipe. Enquanto o vocalista procura notas mais graves e proporciona refrão digno de se cantar junto, o guitarrista faz solo de tirar o fôlego. Regada a notas de violão, 'Drink And Smile' é momento de calmaria.

AMADURECIMENTO
Apesar da projeção mundial ter acontecido quando eram jovens na faixa dos 20 anos e de os holofotes não estarem virados para eles agora, Norum não tem dúvidas do ótimo momento que a banda vive. "Somos músicos muito melhores hoje. Nos tornamos homens, não somos mais garotos. Fizemos centenas e centenas de shows. Sabemos mais sobre instrumentos e como conseguir um som melhor."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;