Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

IMLs estão preparados para abrir 24h


Artur Rodrigues
Especial para o Diário
e Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

08/11/2004 | 09:29


A partir desta segunda-feira, as quatro unidades do IML (Instituto Médico-Legal) da região devem funcionar ininterruptamente, conforme determinação dada na quinta-feira pelo superintendente da Polícia Técnico-Científica, Celso Perioli. A direção das unidades de São Bernardo, São Caetano e Diadema informaram neste domingo que estão prontas para atender no período proposto. Elas informaram que manterão as portas abertas durante toda a madrugada para atendimentos de emergência - verificação de embriaguez, em caso de acidente de trânsito, constatação de estupro, entre outros. Dentre as unidades do Grande ABC, a de Santo André é a única que, há 11 dias, funciona 24 horas.

Conforme o Diário denunciou há duas semanas, os exames de emergência estavam sendo realizados em horários irregulares, em geral à tarde. Ou então, como no caso de Santo André e São Caetano, em hospitais da rede municipal. Desde que foram constatadas as irregularidades, Ana Joaquina Farinha, que dirigia o IML de Santo André, foi afastada e um médico passou a fazer plantão na unidade durante o período noturno. O mesmo profissional deveria atender ainda a demanda oriunda das sete cidades da região. A medida, no entanto, que já está em vigor há 11 dias, teria sobrecarregado o instituto.

Para garantir uma melhor distribuição dos trabalhos, as outras três unidades da região também foram obrigadas a abrir suas portas durante a madrugada. O novo esquema, determinado pela cúpula da Polícia Técnico-Científica, deveria ter entrado em vigor na última sexta-feira. No entanto, em uma ronda pelos institutos da região, a reportagem do Diário constatou que a ordem não havia sido cumprida. A direção do IML de São Bernardo alegou falta de tempo hábil para organizar as equipes de plantão, que passariam a trabalhar durante a noite. A direção de Diadema informou o mesmo.

Já o diretor do IML de São Caetano, Nilton Soares, garantiu neste domingo que sua unidade havia acatado a determinação de abrir 24 horas desde sexta-feira. No entanto, a reportagem esteve às 22h30 de sexta-feira na unidade e se deparou com a entrada do prédio lacrada com um cadeado. "A equipe deve ter saído para jantar", argumentou Soares. Ele afirmou que os profissionais também já estão cientes das novas escalas de plantão. O mesmo ocorre em São Bernardo, segundo Manoel de Assumpção Gazze, diretor da unidade.

Em Diadema, Luis Frederico Hoppe, diretor do IML da cidade, disse que fará nesta segunda uma reunião com os médicos legistas da unidade para informar as novas regras. "A escala já existia. Por isso, vamos mantê-la. A única coisa que muda é que antes os médicos eram chamados em casa e tinham meia hora para chegar ao IML. Agora, o atendimento será feito direto na unidade", disse Hoppe.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

IMLs estão preparados para abrir 24h

Artur Rodrigues
Especial para o Diário
e Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

08/11/2004 | 09:29


A partir desta segunda-feira, as quatro unidades do IML (Instituto Médico-Legal) da região devem funcionar ininterruptamente, conforme determinação dada na quinta-feira pelo superintendente da Polícia Técnico-Científica, Celso Perioli. A direção das unidades de São Bernardo, São Caetano e Diadema informaram neste domingo que estão prontas para atender no período proposto. Elas informaram que manterão as portas abertas durante toda a madrugada para atendimentos de emergência - verificação de embriaguez, em caso de acidente de trânsito, constatação de estupro, entre outros. Dentre as unidades do Grande ABC, a de Santo André é a única que, há 11 dias, funciona 24 horas.

Conforme o Diário denunciou há duas semanas, os exames de emergência estavam sendo realizados em horários irregulares, em geral à tarde. Ou então, como no caso de Santo André e São Caetano, em hospitais da rede municipal. Desde que foram constatadas as irregularidades, Ana Joaquina Farinha, que dirigia o IML de Santo André, foi afastada e um médico passou a fazer plantão na unidade durante o período noturno. O mesmo profissional deveria atender ainda a demanda oriunda das sete cidades da região. A medida, no entanto, que já está em vigor há 11 dias, teria sobrecarregado o instituto.

Para garantir uma melhor distribuição dos trabalhos, as outras três unidades da região também foram obrigadas a abrir suas portas durante a madrugada. O novo esquema, determinado pela cúpula da Polícia Técnico-Científica, deveria ter entrado em vigor na última sexta-feira. No entanto, em uma ronda pelos institutos da região, a reportagem do Diário constatou que a ordem não havia sido cumprida. A direção do IML de São Bernardo alegou falta de tempo hábil para organizar as equipes de plantão, que passariam a trabalhar durante a noite. A direção de Diadema informou o mesmo.

Já o diretor do IML de São Caetano, Nilton Soares, garantiu neste domingo que sua unidade havia acatado a determinação de abrir 24 horas desde sexta-feira. No entanto, a reportagem esteve às 22h30 de sexta-feira na unidade e se deparou com a entrada do prédio lacrada com um cadeado. "A equipe deve ter saído para jantar", argumentou Soares. Ele afirmou que os profissionais também já estão cientes das novas escalas de plantão. O mesmo ocorre em São Bernardo, segundo Manoel de Assumpção Gazze, diretor da unidade.

Em Diadema, Luis Frederico Hoppe, diretor do IML da cidade, disse que fará nesta segunda uma reunião com os médicos legistas da unidade para informar as novas regras. "A escala já existia. Por isso, vamos mantê-la. A única coisa que muda é que antes os médicos eram chamados em casa e tinham meia hora para chegar ao IML. Agora, o atendimento será feito direto na unidade", disse Hoppe.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;