Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Guarani pode impedir venda de Boschilia ao Monaco e atrapalhar o São Paulo



06/08/2015 | 07:00


O Guarani é o maior entrave para o São Paulo fechar a venda do atacante Boschilia para o Monaco, da França, por R$ 34,4 milhões. O time de Campinas, que é o formador do jogador, deve levar para a Justiça uma briga para ficar com 30% dos direitos econômicos do atleta.

O Monaco e o São Paulo trocam e-mails há três meses com propostas e a negociação está avançada. O time do Morumbi detém de 50% dos direitos econômicos de Boschilia, que é dono de 20%. Já os 30% restantes são alvo de uma disputa do Guarani, que questiona a venda desta parcela para uma empresa de gestão de carreira de atletas.

Em 2012, o jogador foi para o São Paulo em negociação articulada pelo então presidente do Guarani, Marcelo Mingone. O atual ocupante do cargo, Horley Senna, questiona esta saída do atleta e principalmente a operação de venda de parte dos direitos econômicos para empresários.

Independentemente do desfecho do imbróglio, o Guarani, que vive grave crise financeira, tem direito a receber pelo menos cerca de R$ 450 mil como participação por ser o clube formador do atleta.

O impasse pode parar na Justiça e faz o São Paulo esperar para definir a saída. O clube passou a ter mais cautela depois do fracasso com o zagueiro Rodrigo Caio, que foi vendido ao Valencia e cancelou a transferência para a Espanha por problemas contratuais. O clube já vendeu recentemente Paulo Miranda, Denilson, Souza e Jonathan Cafu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guarani pode impedir venda de Boschilia ao Monaco e atrapalhar o São Paulo


06/08/2015 | 07:00


O Guarani é o maior entrave para o São Paulo fechar a venda do atacante Boschilia para o Monaco, da França, por R$ 34,4 milhões. O time de Campinas, que é o formador do jogador, deve levar para a Justiça uma briga para ficar com 30% dos direitos econômicos do atleta.

O Monaco e o São Paulo trocam e-mails há três meses com propostas e a negociação está avançada. O time do Morumbi detém de 50% dos direitos econômicos de Boschilia, que é dono de 20%. Já os 30% restantes são alvo de uma disputa do Guarani, que questiona a venda desta parcela para uma empresa de gestão de carreira de atletas.

Em 2012, o jogador foi para o São Paulo em negociação articulada pelo então presidente do Guarani, Marcelo Mingone. O atual ocupante do cargo, Horley Senna, questiona esta saída do atleta e principalmente a operação de venda de parte dos direitos econômicos para empresários.

Independentemente do desfecho do imbróglio, o Guarani, que vive grave crise financeira, tem direito a receber pelo menos cerca de R$ 450 mil como participação por ser o clube formador do atleta.

O impasse pode parar na Justiça e faz o São Paulo esperar para definir a saída. O clube passou a ter mais cautela depois do fracasso com o zagueiro Rodrigo Caio, que foi vendido ao Valencia e cancelou a transferência para a Espanha por problemas contratuais. O clube já vendeu recentemente Paulo Miranda, Denilson, Souza e Jonathan Cafu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;