Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Morador de Mauá recebe carta do papa

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

O jovem Everton Paulino de Souza, 22 anos, teve resposta à mensagem enviada em janeiro


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

20/04/2015 | 07:07


Entre as cerca de 6.000 cartas que o papa Francisco, líder da Igreja Católica, recebe por semana no Vaticano, a escrita por Everton Paulino de Souza, 22 anos, morador de Mauá, chegou ao conhecimento do pontífice. A confirmação foi dada por meio de resposta enviada pelo monsenhor Peter Brian Wells, assessor do papa, e chegou às mãos do rapaz há exatamente uma semana.

“Foi-me confiado certificar-lhe de que sua santidade o papa Francisco apreciou este sinal de devotamento e não deixará de implorar para você as mais seletas graças divinas (...)”, declarou Wells em trecho da carta, datada do dia 14 de março.

A ideia de se comunicar com o santo padre surgiu na metade do mês de janeiro, quando Souza viu uma notícia sobre o tema na internet. “Li que ele fazia questão de dar uma resposta, então, me deu vontade de escrever.”

Decidido, o jovem pediu ajuda à namorada para criar o texto. “Ela disse que eu era louco, para não perder tempo, pois ninguém leria minha carta.”

O rapaz, porém, não se abateu. Em uma folha de caderno, contou um pouco de sua história, vivida quase que inteira em comunidade católica do Jardim Itapark, onde mora. “Por conta da correria do dia a dia, me afastei durante três anos e pedi ao papa orientação para continuar perseverante”, falou.

Na redação, Souza ainda lembrou do aniversário da comunidade – que completou 22 anos de existência em fevereiro – pedindo bênçãos a ela, como também a ele e a seus entes queridos.

Ao postar a carta nos Correios, iniciava-se uma saga. “A funcionária pediu um código postal, como se fosse o CEP (Código de Endereçamento Postal) do Brasil, mas eu não tinha. Ela disse que várias igrejas tentaram enviar cartas para aquele endereço, mas voltavam porque não tinham o código. Sem ele, a minha também voltaria.” Souza, então, vasculhou a internet em busca da informação.

“A carta ficou mais três dias em casa, eu nem ia mandar, mas ao traçar rota no mapa com imagem (de satélite) pela internet, consegui ver uma plaquinha do Vaticano com identificação da rua e o código.”

Souza voltou à agência dos Correios e enviou a carta. Pagando adicional de R$ 10, acompanhava virtualmente todo o trajeto de seu valioso envelope. “Quase um mês depois de enviada, vi que ela chegou, mas não esperava que receberia resposta. Quando tive o retorno, não acreditei”, recordou.

A mensagem frisa para o jovem “deixar de lado tudo o que lhe atrapalha” e “correr com perseverança na competição que lhe é proposta, com os olhos fixos em Jesus.” Souza também recebeu um terço, um postal e uma fotografia do pontífice.

O contato só fez a admiração do jovem pelo papa Francisco aumentar. “Ele é muito humilde e respeita o próximo. É uma inspiração.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morador de Mauá recebe carta do papa

O jovem Everton Paulino de Souza, 22 anos, teve resposta à mensagem enviada em janeiro

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

20/04/2015 | 07:07


Entre as cerca de 6.000 cartas que o papa Francisco, líder da Igreja Católica, recebe por semana no Vaticano, a escrita por Everton Paulino de Souza, 22 anos, morador de Mauá, chegou ao conhecimento do pontífice. A confirmação foi dada por meio de resposta enviada pelo monsenhor Peter Brian Wells, assessor do papa, e chegou às mãos do rapaz há exatamente uma semana.

“Foi-me confiado certificar-lhe de que sua santidade o papa Francisco apreciou este sinal de devotamento e não deixará de implorar para você as mais seletas graças divinas (...)”, declarou Wells em trecho da carta, datada do dia 14 de março.

A ideia de se comunicar com o santo padre surgiu na metade do mês de janeiro, quando Souza viu uma notícia sobre o tema na internet. “Li que ele fazia questão de dar uma resposta, então, me deu vontade de escrever.”

Decidido, o jovem pediu ajuda à namorada para criar o texto. “Ela disse que eu era louco, para não perder tempo, pois ninguém leria minha carta.”

O rapaz, porém, não se abateu. Em uma folha de caderno, contou um pouco de sua história, vivida quase que inteira em comunidade católica do Jardim Itapark, onde mora. “Por conta da correria do dia a dia, me afastei durante três anos e pedi ao papa orientação para continuar perseverante”, falou.

Na redação, Souza ainda lembrou do aniversário da comunidade – que completou 22 anos de existência em fevereiro – pedindo bênçãos a ela, como também a ele e a seus entes queridos.

Ao postar a carta nos Correios, iniciava-se uma saga. “A funcionária pediu um código postal, como se fosse o CEP (Código de Endereçamento Postal) do Brasil, mas eu não tinha. Ela disse que várias igrejas tentaram enviar cartas para aquele endereço, mas voltavam porque não tinham o código. Sem ele, a minha também voltaria.” Souza, então, vasculhou a internet em busca da informação.

“A carta ficou mais três dias em casa, eu nem ia mandar, mas ao traçar rota no mapa com imagem (de satélite) pela internet, consegui ver uma plaquinha do Vaticano com identificação da rua e o código.”

Souza voltou à agência dos Correios e enviou a carta. Pagando adicional de R$ 10, acompanhava virtualmente todo o trajeto de seu valioso envelope. “Quase um mês depois de enviada, vi que ela chegou, mas não esperava que receberia resposta. Quando tive o retorno, não acreditei”, recordou.

A mensagem frisa para o jovem “deixar de lado tudo o que lhe atrapalha” e “correr com perseverança na competição que lhe é proposta, com os olhos fixos em Jesus.” Souza também recebeu um terço, um postal e uma fotografia do pontífice.

O contato só fez a admiração do jovem pelo papa Francisco aumentar. “Ele é muito humilde e respeita o próximo. É uma inspiração.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;