Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Após fim de greve, resíduos ainda estão acumulados

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Presidente do Siemaco disse que prefeituras devem fazer força-tarefa para limpar as ruas


Yago Delbuoni
Especial para o Diário

02/04/2015 | 07:00


A greve dos coletores de lixo acabou, mas ainda há muito o que fazer após os nove dias de paralisação. O presidente do Siemaco (Sindicato dos Empregaodos em Empresas de Prestação de Serviço de Asseio e Conservação, Limpeza Urbana e Manutenção em Áreas Verdes Públicas e Privadas), Roberto Alves da Silva, voltou a repetir ontem que o prazo para normalização do serviço é de duas semanas. “Quem pode realizar alguma força-tarefa são as prefeituras.”

Em São Caetano, a aposentada Jane Castilho, 64 anos, moradora da Rua Alegre, não acredita que o prazo será cumprido. “Aqui tem muito lixo para poucos trabalhadores.”

Moradora da Rua Martim Francisco, no bairro Santa Paula, a vendedora Inaiá Oliveira, 27, também não crê que tudo voltará ao normal em 15 dias. “Pela quantidade de lixo, só se os coletores trabalharem dia e noite sem parar.”

Outro lugar onde há resíduos acumulados é no Viaduto Engenheiro Luiz Meira, em Santo André. O autônomo José Dias, 54, disse que isso é inaceitável. “Mas é um direito do trabalhador lutar pelo salário.” Os coletores conquistaram reajuste de 9,5%, abaixo dos 11,73% solicitados. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após fim de greve, resíduos ainda estão acumulados

Presidente do Siemaco disse que prefeituras devem fazer força-tarefa para limpar as ruas

Yago Delbuoni
Especial para o Diário

02/04/2015 | 07:00


A greve dos coletores de lixo acabou, mas ainda há muito o que fazer após os nove dias de paralisação. O presidente do Siemaco (Sindicato dos Empregaodos em Empresas de Prestação de Serviço de Asseio e Conservação, Limpeza Urbana e Manutenção em Áreas Verdes Públicas e Privadas), Roberto Alves da Silva, voltou a repetir ontem que o prazo para normalização do serviço é de duas semanas. “Quem pode realizar alguma força-tarefa são as prefeituras.”

Em São Caetano, a aposentada Jane Castilho, 64 anos, moradora da Rua Alegre, não acredita que o prazo será cumprido. “Aqui tem muito lixo para poucos trabalhadores.”

Moradora da Rua Martim Francisco, no bairro Santa Paula, a vendedora Inaiá Oliveira, 27, também não crê que tudo voltará ao normal em 15 dias. “Pela quantidade de lixo, só se os coletores trabalharem dia e noite sem parar.”

Outro lugar onde há resíduos acumulados é no Viaduto Engenheiro Luiz Meira, em Santo André. O autônomo José Dias, 54, disse que isso é inaceitável. “Mas é um direito do trabalhador lutar pelo salário.” Os coletores conquistaram reajuste de 9,5%, abaixo dos 11,73% solicitados. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;